Aleteia

13 freiras do mesmo convento nos EUA morrem com covid: 12 delas num só mês

AM240720
Pequeno memorial às religiosas falecidas no convento das Irmãs Felicianas em Livonia, EUA
Compartilhar

“Todo dia diziam: ‘outra irmã’, ‘outra irmã’, ‘outra irmã’… Foi muito assustador”

Segundo a agência católica Global Sisters Report, 13 religiosas residentes no mesmo convento das Irmãs de São Félix de Cantalice, ou irmãs felicianas, em Livonia, no Estado norte-americano do Michigan, faleceram em decorrência de complicações relacionadas com a covid-19 num curto espaço de tempo: embora o falecimento mais recente tenha sido em 27 de junho, os outros doze ocorreram num arco de apenas 30 dias, entre 10 de abril e 10 de maio.

Além das 13 irmãs falecidas, outras 17 contraíram a doença e se recuperaram. As 52 religiosas que permanecem no convento estão mantendo restrições cuidadosas de convivência: elas frequentam a capela por turnos e, no refeitório, sentam-se apenas duas por mesa. Elas não puderam assistir aos funerais das irmãs falecidas e comentam que será difícil a hora de retomarem a convivência normal e não terem mais a presença das que partiram: “A tristeza ainda está por vir, eu acho”, declarou a madre superiora, Mary Andrew Budinski.

AM240720
Dan Stockman | Global Sisters Report
Irmã Mary Ann Smith sobe escadas do convento em que faleceram 13 religiosas com covid-19

As religiosas falecidas tinham de 69 a 99 anos e ocupavam cargos diversificados como professora, bibliotecária, organista e enfermeira, por exemplo. Uma delas prestava serviços à Secretaria de Estado do Vaticano.

“…e se espalhou como fogo”

A Global Sisters Report observou que as 13 mortes estão entre as maiores perdas de vidas numa mesma comunidade religiosa desde a pandemia de gripe espanhola de 1918. A respeito do impacto de tantos falecimentos em sequência, uma das irmãs afirmou:

“Ouvi pela primeira vez que duas auxiliares tinham contraído o vírus. Não sabemos quem e nem queremos saber. Depois atingiu as irmãs no segundo andar e se espalhou como fogo. Não nos davam números, mas todo dia diziam: ‘outra irmã’, ‘outra irmã’, ‘outra irmã’… Foi muito assustador”.

A própria madre superiora adoeceu em abril e chegou a pensar que morreria:

“Eu estava tão doente que rezava para que o Senhor me levasse. Senti muita dor. Eu realmente pensei que ia morrer e me rendi. Falei: ‘Meu Deus, se me levares, estou pronta’. Então acordei na manhã seguinte e ainda estava viva. De alguma forma, me recuperei”.

Ainda segundo a Global Sisters Report, ao menos 19 outras freiras, além das 13 irmãs felicianas, também morreram nos EUA de complicações ligadas à covid-19.

AM240720
Dan Stockman | Global Sisters Report
Um dos quartos das irmãs, agora vazio, no primeiro andar do convento - muitas das religiosas falecidas viviam nesse piso
Boletim
Receba Aleteia todo dia