Aleteia

Pe. Zezinho conta o caso de um bebê abandonado, 35 anos depois

NIEMOWLĘ, KORONAWIRUS
Hu Chen/Unsplash | CC0
Compartilhar

“Ela era linda. Ele também. Mas o bebê nasceu sem um dos braços”

O pe. Zezinho contou em sua rede social o seguinte caso – que, infelizmente, é comum:

O BEBÊ REJEITADO

Ela era linda. Ele também. Mas, no nascimento, o bebê nasceu sem um dos braços.

Às vezes acontece. Até hoje a mãe vive com o filho que é técnico em agricultura. O salário dele dá para manter a mãe, a esposa e um filho.

Isto foi há quase 35 anos.

O pai? Foi embora quatro meses depois do nascimento. Disse que não tinha estômago para ver o filho daquele jeito! Sumiu! Foi visto uma vez no bairro próximo. Mas nunca mais se ouviu falar dele.

A mãe corajosa, católica, teve apoio da comunidade. Ela nunca mais procurou o ex-marido fujão! Nunca mais se casou, em parte pelo filho e em parte pela decepção com o ex-amor da sua vida. Pena que ele decidiu ser “ex”… Não era tão bonito como parecia.

Lamentavelmente, há pais e também mães que abandonam os próprios filhos:

Boletim
Receba Aleteia todo dia