Aleteia

Modelo 3D de Cristo baseado no Sudário está em exposição em Veneza

TURIN
Shutterstock | gonewiththewind
Compartilhar

A exposição mostra uma correlação entre a maneira como o Sudário de Turim foi envolto e os métodos descritos nas Escrituras

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

O Museu da Scuola Grande di San Marco, em Veneza, recebe uma exposição diferente do Sudário de Turim, que começou em meados de julho e está programada para continuar até o dia 26 de setembro.

A exposição, intitulada “O Cristo do Sudário: Uma Anatomia Sagrada Tridimensional”, apresenta um modelo 3D de Jesus em tamanho real, criado usando as dimensões físicas da imagem no Sudário de Turim.

Veja a imagem de Jesus projetada em 3D:

No site do Museu da Scuola Grande di San Marco, os organizadores da exposição explicam que a escultura do homem do Sudário foi feita a partir do estudo anatômico feito pelo pesquisador Sergio Rodella.

Esse estudo das marcas deixadas pelo corpo do homem do Sudário no manto original reúne outros estudos que, por mais de um século, pesquisadores de diferentes disciplinas (fotografia, medicina forense, biologia, botânica, química, tecnologia digital, numismática etc.) têm publicado sobre esse precioso tecido.

A exposição também contará com relíquias da Paixão de Jesus, os primeiros negativos fotográficos do Sudário de Turim e o ícone do Mandylion.

The Greek Catholic Church of Our Lady of Damascus
Paul Parker on behalf of the Malta Tourism Authority
Mandylion or Holy Face of Jesus. Mosaic by Natasha Tomic. XXIst Century.

Toda sexta-feira, o museu realizará visitas guiadas gratuitas à exposição, que conduzirá os visitantes pela história do Sudário.

Os guias explicam que a reconstrução tridimensional científica do corpo envolto no Sudário revela uma concordância entre as Escrituras e a maneira como o corpo foi envolto, o que poderia sugerir a autenticidade do Sudário.

O museu, que possui uma seção dedicada à história da medicina, explica que a exposição usará a experiência do curador para explicar “a humanidade excruciante dessa morte” e o quanto Jesus teria sofrido durante a crucificação.

O Sudário também é um verdadeiro ícone da dor. É um dom tentar entender o sofrimento incompreensível dos doentes, dos doentes terminais, dos moribundos. Este lugar, onde a cultura e os cuidados hospitalares encontram síntese, não poderia, portanto, ser moral e cientificamente mais adequado para sediar esta exposição.

A exposição ocorrerá até 26 de setembro, sendo necessário seguir as diretrizes para o coronavírus, como distanciamento social e uso de máscaras faciais.

Boletim
Receba Aleteia todo dia