Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 23 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Canadá relata grande aumento no suicídio assistido

Eutanásia

Shutterstock | Algernon7

John Burger - publicado em 07/08/20

A perda da capacidade de se envolver em "atividades de vida significativas" é a principal razão dada

O suicídio assistido no Canadá quase dobrou entre 2018 e 2019, afirma o Ministério da Saúde do país, no primeiro relatório oficial sobre o procedimento.

O “Primeiro Relatório Anual sobre Assistência Médica em Morte no Canadá, 2019” foi publicado no mês passado.

“O número de mortes assistidas por médicos (MAID) está aumentando constantemente. Em 2019, houve 5.631 casos de MAID notificados no Canadá, representando 2,0% de todas as mortes no Canadá.”

O número de casos de MAID em 2019 representa um aumento de 26,1% em relação aos números de 2018, com todas as províncias mostrando um crescimento constante ano após ano no número de casos de MAID desde a sua introdução na lei em 2016.

Quando todas as fontes de dados são consideradas, o número total de mortes por assistência médica relatadas no Canadá desde a promulgação da legislação federal é de 13.946.

Os dados do relatório vieram principalmente do sistema de monitoramento federal para MAID, que foi lançado em 1 de novembro de 2018. Antes dessa data, os dados eram fornecidos voluntariamente por províncias e territórios.

A idade média das pessoas que optaram pelo suicídio assistido no Canadá foi de 75,2 anos, com os homens superando as mulheres apenas ligeiramente, 50,9% a 49,1%.

O câncer (67,2%) foi a condição médica de base mais citada, seguido por males respiratórios (10,8%) e neurológicos (10,4%).

Os praticantes relataram que o sofrimento entre as pessoas que optam pelo suicídio assistido “estava intimamente ligado à perda de autonomia”, observou o relatório.

“A perda da capacidade de se envolver em atividades de vida significativas (82,1%), seguida de perto pela perda da capacidade de realizar as atividades da vida diária (78,1%) e o controle inadequado dos sintomas além da dor, ou preocupação com ela (56,4%) foram os as descrições relatadas com mais frequência como sofrimento intolerável do paciente.”

O Canadá legalizou o suicídio assistido em 2016. No ano passado, foram aprovados 92,2% dos pedidos de suicídio assistido, de um total de 7.336 solicitações.

Os canadenses que optam pelo suicídio assistido têm a opção de administrar as drogas letais a si próprios, mas muito poucos o fazem. No ano passado, o número de pessoas que optaram pela autoadministração foi de seis cidadãos.

Em fevereiro, o cardeal Thomas Collins, arcebispo de Toronto, divulgou uma declaração criticando uma tentativa legislativa de expandir a eutanásia sem expandir a disponibilidade de cuidados paliativos.

“Onde está a vontade política para levar adiante os cuidados paliativos para todos os canadenses?”, perguntou o cardeal Collins. “Apenas 30% dos canadenses têm acesso a cuidados paliativos de qualidade, embora saibamos que a dor e a solidão estão entre os maiores medos de quem sofre. Se todos os canadenses tivessem acesso a cuidados paliativos de qualidade, menos buscariam a injeção letal. Mas, em vez de desenvolver uma cultura geral de cuidado, estamos adiantando a morte sob demanda.”

O cardeal acrescentou que os médicos serão obrigados a cumprir os pedidos de eutanásia, já que o Canadá não tem proteção dos direitos de consciência para os profissionais médicos.

“Aqueles que acham que sua vida não tem mais valor devem ter a garantia de todos nós de que isso não é verdade”, acrescentou Collins. “Há dignidade em cada vida humana, não apenas quando somos jovens, saudáveis ​​e capazes, mas ainda mais quando somos frágeis e vulneráveis.”


SYRINGE

Leia também:
A eutanásia é aceitável em algum caso?

Tags:
EutanásiaMorteSofrimentoVida
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia