Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 17 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Justiça paquistanesa mantém casamento forçado de adolescente cristã raptada

WEB2-PAKISTAN-YOUNG GIRL-ACN

ACN

Maira Shahbaz

Reportagem local - publicado em 21/08/20

Maira Shahbaz, 14 anos, foi raptada a mão armada em abril por um muçulmano que a forçou a se converter ao islã e a se casar com ele

A adolescente cristã paquistanesa Maira Shahbaz chorou ao receber a sentença de que o seu casamento forçado será mantido, assim como a sua “conversão” forçada ao islamismo.

A família da menina denunciou que ela foi sequestrada a mão armada, em abril, pelo muçulmano Mohamad Nakash, que a forçou a se casar com ele. Em julho, um imã local emitiu um decreto invalidando o casamento e Maira foi autorizada a ficar num abrigo para mulheres enquanto o caso fosse analisado pela justiça.

Mohamad Nakash, porém, mostrou às autoridades uma “certidão de casamento” forjada, que, além de ter sido firmada 6 meses antes do sequestro, ainda “atestava” que a jovem tinha 19 anos e não 14. A família de Maira, porém, apresentou a certidão de nascimento da adolescente, provando a sua verdadeira idade. Mesmo assim, o juiz sentenciou a favor de… Mohamad Nakash.

Leis islâmicas

O Paquistão, país de maioria muçulmana, se tornou tragicamente conhecido mundo afora pela aberração da sua assim chamada “legislação antiblasfêmia”: qualquer um que for acusado de “blasfemar” contra Maomé, o alcorão ou o islã em geral, mesmo sem provas por parte dos acusadores, pode ser condenado à prisão ou, em não poucos casos, à pena de morte. O caso mais emblemático internacionalmente foi o da mãe de família Asia Bibi, cuja trajetória você pode conhecer acessando o artigo sugerido ao final desta matéria.

A situação absurda imposta à jovem Maira está longe de ser incomum no país. A também adolescente Huma Younus, de 15 anos, foi sequestrada no ano passado e obrigada a “se converter” ao islamismo e a se casar com um dos raptores. Após inúmeras agressões sexuais, ela agora está grávida e confinada num quarto, de acordo com informações repassadas pelo advogado da família, Tabassum Yousaf, à fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN). Segundo Yousaf, Huma conversou recentemente com os pais por telefone e lhes informou da gravidez.

Em fevereiro, um tribunal superior do Paquistão determinou, com base na lei islâmica, que os homens do país podem casar-se com meninas menores de idade, desde que elas já tenham tido o primeiro ciclo menstrual.

Enquanto a fundação Ajuda à Igreja que Sofre e outras instituições cristãs denunciam a situação paquistanesa, não se sabe ao certo o que é que está sendo feito por entidades como a ONU.


Asia Bibi

Leia também:
9 anos no inferno à espera do enforcamento pelo crime de ser católica

Tags:
liberdade religiosaMuçulmanos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia