Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 11 Maio |
São Francisco de Jerônimo
home iconAtualidade
line break icon

O aborto é crime e pecado grave

NIEMOWLĘ, KORONAWIRUS

Hu Chen/Unsplash | CC0

Vanderlei de Lima - publicado em 24/08/20 - atualizado em 24/08/20

Defensores do aborto afirmam que no caso de risco de vida para a mãe ou de gravidez decorrente de estupro o aborto é legal, “não há crime”. Essa afirmação é mentirosa

O triste caso da menina de dez anos – que foi estuprada pelo tio, ficou grávida, mas pressionada por terceiros abortou – ganhou ampla repercussão, pois o aborto é crime e pecado grave, como veremos neste artigo.

Defensores do aborto – homicídio cruel e covarde no ventre materno – afirmam que no caso de risco de vida para a mãe ou de gravidez decorrente de estupro o aborto é legal, “não há crime”. Essa afirmação é mentirosa. Com efeito, o Código Penal [CP] reza: “Art. 128 – Não se pune o aborto praticado por médico: I – se não há outro meio de salvar a vida da gestante; Aborto no caso de gravidez resultante de estupro. II – se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal”.

Ora, entre as expressões “não há crime” e “não se pune” há uma grande diferença. Sim, o Art. 23 do CP diz: “Não há crime quando o agente pratica o fato: I – em estado de necessidade; II – em legítima defesa; III – em estrito cumprimento de dever legal ou no exercício regular de direito. Excesso punível: Parágrafo único – O agente, em qualquer das hipóteses deste artigo, responderá pelo excesso doloso ou culposo”. Pois bem: a expressão “não há crime” é muito clara: “não existe crime algum” quando o agente (a pessoa) que, de si praticaria – em outras circunstâncias – um delito, nessas situações, não o pratica. Ao contrário, age legalmente, pois está amparado pela Lei.

Note-se, portanto, a diferença da expressão “não há crime” para a “não se pune”, pois, neste segundo caso, o crime existe sim, apenas não é punido. Assim, o filho que furta R$ 1.000,00 do pai comete o crime de furto (art. 155 do CP), mas não recebe punição, embora o crime exista (cf. Art. 181 do CP). O mesmo se dá com o médico que pratica abortos nos dois casos tratados no Art. 128 do CP: comete crime, mas não recebe punições por ele. É a, tecnicamente, dita “escusa (desculpa) absolutória”, muito diferente, como se vê, da “excludente de ilicitude” na qual não há crime algum (caso do policial que revida a tiros a uma injusta agressão e contribui para o óbito do criminoso). Esta é a verdade a ser dita: aborto legal não existe no Brasil. É sempre crime!

Mais: o aborto, além de crime, é pecado grave que clama aos céus por vingança, uma vez que nele se derrama sangue inocente (cf. Gn 4,10). Ainda: quem dele participa é passível de excomunhão. Esta significa estar fora da comunhão com a Igreja. Há dois tipos de excomunhões, designadas pelas expressões latinas “latae sententiae” (decorrente do próprio delito ou automática) e “ferendae sententiae” (dependente de processo canônico).

O aborto, que é o assassinato de um ser humano indefeso e inocente no ventre materno, está inserido no primeiro tipo de excomunhão (a automática), conforme o Código de Direito Canônico, cânon 1398, que assim reza: “Quem provoca o aborto, seguindo-se o efeito, incorre em excomunhão latae sententiae”. Estão excomungados também todos os que, com ciência e consciência, ajudaram na realização do aborto. De modo material, a excomunhão atinge os médicos, enfermeiros, parteiras etc., pois colaboram diretamente no assassinato de um ser humano. De modo moral eficaz, a excomunhão atinge o marido, o namorado, o amante, o pai, a mãe etc. que ameaçam ou estimulam e até ajudam a mulher a submeter-se ao aborto.

A mulher que aborta também está excomungada, mas nem sempre. Ela pode estar inserida nas atenuantes propostas pelo cânon 1324 do Código de Direito Canônico que prevê a não excomunhão da mãe que aborta quando: a) esta tem apenas posse parcial da razão; b) está sob forte ímpeto de paixão que não foi por ela mesma fomentada voluntariamente e c) se está sob coação por medo grave. A mulher necessita, pois, neste caso, da oração e do apoio de todos, menos de estímulos para cometer o aborto, pois este, além de não apagar seus traumas, acrescenta-lhe mais um: o de ter aplicado ao próprio filho inocente a pena de morte. Pena máxima que nem mesmo o cruel estuprador (verdadeiro culpado de tudo) recebeu ou receberá da Justiça humana. 

Reflitamos!


POPE FRANCIS

Leia também:
O que a Igreja Católica faz para ajudar mães estupradas e seus bebês?

Tags:
AbortoFamíliaPecadoVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Bebê anjo
Reportagem local
“Tchau, papai”: as últimas palavras que Maurício ouvi...
2
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
3
ELDERLY,WOMAN,ALONE
Aleteia Brasil
O pe. Zezinho e a mãe que espera há 30 anos, sem sucesso, pelo pe...
4
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
5
Reportagem local
Triste, surpreendente, inspirador: o drama e o recomeço da menina...
6
OPERA SINGER
Cerith Gardiner
Cantora de ópera faz apresentação incomum e homenageia Maria e as...
7
MOM,BABY,SLEEP
Hozana
Só Deus sabe o tamanho do sacrifício que é ser mãe
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia