Aleteia
Terça-feira 27 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Por que a bomba atômica foi lançada sobre a cidade mais católica do Japão?

POPE NAGASAKI

© AFP PHOTO / VATICAN MEDIA

Reportagem local - publicado em 25/08/20

Nagasaki possuía uma florescente comunidade católica, já marcada por uma trajetória de mártires cristãos vitimados pelo ódio à fé

Todos os anos, no mês de agosto, o mundo recorda os dois trágicos dias em que, já no final da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos lançaram as bombas atômicas sobre o território japonês. No dia 6, o alvo foi Hiroshima. No dia 9, Nagasaki.

A segunda cidade possuía uma florescente comunidade católica, já marcada por uma trajetória de mártires cristãos vitimados pelo ódio à fé nos séculos XVI e XVII, quando as missões dos padres jesuítas e franciscanos foram fazendo de Nagasaki um importante centro do catolicismo no Japão.

Em 1945, a cidade tinha cerca de 240 mil habitantes, dos quais 63 mil era católicos: destes, ao menos dois terços foram mortos naquele 9 de agosto.

Mas por que Nagasaki?

O alvo inicial, depois de Hiroshima, era a cidade de Kokura, mas, segundo a versão mais difundida, as condições meteorológicas levaram o alto comando militar norte-americano a rever a sua “escolha”. Foi quando Nagasaki entrou na mira.

A bomba matou 75 mil pessoas pelo próprio impacto da explosão e, nos dias seguintes, assassinou outras 75 mil em decorrência das lesões e doenças causadas pela radiação.

O cardeal Giacomo Biffi comenta e questiona sobre o caso:

“Vamos supor que as bombas atômicas não tivessem sido jogadas ao acaso. Essa pergunta se torna inevitável: por que foi escolhida para a segunda bomba, entre todas, precisamente a cidade do Japão onde o catolicismo, além de ter a história mais gloriosa, estava mais difundido e consolidado?”

O cardeal recorda que já no século XVI surgiu a primeira comunidade católica sólida em Nagasaki. No dia 5 de fevereiro de 1597, 36 mártires entregaram a vida por Cristo naquela cidade: 6 missionários franciscanos, 3 jesuítas japoneses e 26 leigos. Em 1862, eles foram canonizados pelo Papa Pio IX.

Durante a perseguição intensificada em 1637, foram assassinados cerca de 35 mil cristãos. Depois desse episódio bárbaro que o mundo praticamente não conhece, a pequena comunidade cristã começou a se reunir nas catacumbas, privada de sacerdotes e de contato com o restante do mundo católico. Mas perseverou e não foi extinta. Em 1865, o pe. Petitjean descobriu essa “Igreja clandestina” e conseguiu aos poucos retomar nela a vida sacramental. Ainda foram necessários mais de 20 anos para que, em 1889, fosse proclamada a plena liberdade religiosa no Japão. Em 15 de junho de 1891 foi criada canonicamente a diocese de Nagasaki. Em 1927, ela finalmente teve o seu primeiro bispo japonês, Dom Hayasaka, pessoalmente consagrado pelo Papa Pio IX.

Em sua vasta obra sobre a história das missões católicas, Joseph Schmidlin informa que, em 1929, havia 94.096 católicos japoneses, dos quais nada menos que 63.698 eram de Nagasaki.

A pergunta do cardeal Giacomo Biffi mereceria, certamente, uma resposta.

“Por que foi escolhida para a segunda bomba, entre todas, precisamente a cidade do Japão onde o catolicismo, além de ter a história mais gloriosa, estava mais difundido e consolidado?”




Leia também:
Nagasaki: o menino de 10 anos que carrega nas costas o irmãozinho morto

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
GuerraHistóriaPerseguição
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
São Padre Pio de Pietrelcina
Oração de cura e libertação indicada pelo exo...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia