Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 27 Outubro |
Aleteia logo
home iconReligião
line break icon

O que significa o termo “católico” na teoria e, principalmente, na prática?

WORK

Monkey Business Images - Shutterstock

Aleteia Brasil - publicado em 31/08/20

"Acolher a todos" é diferente de "acolher tudo": há renúncias que são profundamente libertadoras, iluminadoras e revitalizadoras

O termo “católico” passou a popularizar-se principalmente após a reforma protestante, a fim de diferenciar entre os cristãos fiéis à tradição herdada dos primórdios do cristianismo e aqueles que seguiram interpretações ligadas à ruptura da unidade, como a luterana, a calvinista, a anglicana, a metodista, a batista, as neopentecostais e um longo etcétera.

No entanto, a Igreja é católica desde os seus primórdios, já que a palavra “católico” significa “universal”, ou seja, que abrange a todos. O termo vem do grego “kata holos“, que tem um sentido de “considerando o todo“.

Isto quer dizer que a Igreja é para todas as pessoas. “Aqui vem todo o mundo“, disse James Joyce ao descrever a Igreja. Ela acolhe pessoas “de todas as nações, tribos, povos e línguas“, como resumiu o Apocalipse (7, 9). Ninguém está excluído do alcance da sua missão, que é, justamente, universal: “Ide e fazei discípulos todos os povos“, determinou Jesus Cristo, o próprio fundador da Igreja – que, por sinal, é outra palavra bastante significativa: “Igreja” quer dizer “assembleia” (do grego “ekklesía”), isto é, a “reunião universal” dos que acreditam em Jesus e na totalidade dos Seus ensinamentos e instruções (inclusive os ensinamentos que afirmam que a Sua Igreja é construída sobre a rocha de Pedro e as instruções que determinam que tudo o que os Seus apóstolos atarem ou desatarem na terra ficará atado ou desatado no céu).

Acontece que “acolher a todos” não é o mesmo que “acolher tudo”.

Não é questão de receber a todos de qualquer jeito e deixar cada um continuar fazendo qualquer coisa. Trata-se de unir a todos, ou seja, de dar unidade a todos, mas em torno a uma só referência: o próprio Cristo, Caminho, Verdade e Vida.

A Igreja Católica é a assembleia universal que une a todos formando um só corpo, que é o próprio Corpo Místico de Cristo. Portanto, é requisito para a unidade católica o entendimento de que é preciso aderir ao Corpo de Cristo, o que equivale a aderir a Cristo mesmo, com tudo o que isto exige em termos de transformação de cada um de nós.

Sim, são bem-vindas todas as pessoas independentemente das suas características acidentais, como cor, cultura, lugar de nascimento, conta bancária, profissão. São bem-vindos todos os pecadores – afinal, Ele mesmo afirmou que veio não para os justos, e sim para os pecadores. Mas os pecadores são bem-vindos para se libertarem do pecado e não para continuarem pecando. Cristo mesmo, após acolher a pecadora que estava prestes a ser apedrejada, lhe disse com toda a clareza: “Nem eu te condeno. Vai, e não tornes a pecar“. Quem é acolhido e perdoado é o pecador – não o seu pecado.

Fazer parte do Corpo de Cristo é aderir a Deus e não amoldar Deus às nossas medidas. O Reino de Deus, disse o próprio, “não é deste mundo“.

Há palavras e pensamentos, atos e omissões que não são compatíveis com o Reino de Cristo. É por isso que a Igreja coloca ao alcance de todos o convite e os meios para obterem a reconciliação com Deus, superando os apegos destrutivos que nos diminuem como pessoas e, portanto, como filhos de Deus.

A Igreja não coloca esta necessidade de conversão como algo negativo, pesaroso, limitante e deprimente, mas como algo libertador, iluminador e revitalizador, de modo que o perdão e a plena reconciliação com Deus são uma graça a ser desejada, acolhida e abraçada em toda a sua extensão e profundidade.

Tudo o que é necessário para a salvação está presente na doutrina católica, pregada por Cristo – e Cristo mesmo é a Verdade plena. A verdade preservada pela Igreja de Cristo contém o que é agradável, como o perdão e a misericórdia, e também o que é difícil e exigente, como a conversão, a renúncia ao pecado e responsabilidade de respondermos pessoalmente ao julgamento de Deus – cuja sentença, no fim das contas, depende plenamente de nós próprios: Ele apenas respeitará as decisões que nós tivermos tomado, pois criou-nos livres e respeita integralmente a nossa liberdade de escolhas. Ser católico, portanto, implica aceitar de modo universal, total, o conjunto inteiro das verdades que a Igreja ensina – e não só as partes que nos agradam.

Ser católico, em resumo, é ser completo. E, não, isso não é nada fácil – mas todos os auxílios estão disponíveis na Igreja, para quem livremente decidir aceitá-los.




Leia também:
A conversão de um ateu: “Naquela noite, no deserto do Saara, eu conheci Deus”

Tags:
DoutrinaIgreja CatólicaJesus
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
SANDRA SABATTINI
Francisco Vêneto
Primeira noiva em processo de canonização na história foi beatifi...
2
EUCHARIST
Reportagem local
O que fazer se a hóstia cair no chão durante a Missa?
3
Transplante de rins
Francisco Vêneto
Transplante de rim de porco em humanos: a Igreja tem alguma objeç...
4
Pe. Jonas Magno de Oliveira e sua mãe
Francisco Vêneto
Mãe de padre brasileiro se torna freira na mesma família religios...
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco: “Tenho medo dos diabos educados”
6
As irmãs biológicas que se tornaram freiras no instituto Iesu Communio
Francisco Vêneto
As cinco irmãs biológicas que se tornaram freiras em apenas 2 ano...
7
Don José María Aicua Marín
Dolors Massot
Padre morre de ataque cardíaco enquanto celebrava funeral
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia