Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 27 Outubro |
Aleteia logo
home iconReligião
line break icon

A consciência moral na prática

PYTANIA O PRACĘ

fizkes | Shutterstock

Vanderlei de Lima - publicado em 06/09/20

O objetivo (a norma) e o subjetivo (as circunstâncias nas quais o indivíduo está inserido) se unem para a realização de algo conforme o bem

Este artigo trata da consciência moral na prática; ou seja, saber agir, no dia a dia, em conformidade com a vontade de Deus a nosso respeito.

Iniciemos lembrando que “a consciência é o ditame ou juízo do entendimento prático sobre a moralidade do ato que vamos realizar ou já realizamos, segundo os princípios morais” (Antonio Royo Marín, OP. A fé da Igreja: em que deve crer o cristão de hoje. 2ª ed. Campinas: Eclesiae, 2018, p. 348). Se o juízo vem antes da ação, mandando ou proibindo o ato, é dito antecedente; se vem depois, aprovando ou desaprovando o ocorrido, é chamado de consequente ou posterior.

Tal consciência não é criada pelo ser humano, mas dada a ele objetivamente, de fora, conforme diz o Papa João Paulo II: “Deus criou o homem e ordenou-o com sabedoria e amor ao seu fim mediante a lei inscrita no seu coração (cf. Rm 2,15), a lei natural. Esta não é mais do que a luz da inteligência infundida por Deus em nosso coração. Graças a ela conhecemos o que se deve cumprir e o que se deve evitar. Esta luz e esta lei, Deus as concedeu na criação” (Veritatis Splendor, 1993, n. 12). 

Eis um exemplo ilustrativo de quanto acaba de ser afirmado: na noite escura, o curioso entra em um consultório médico vazio a fim de tentar ver fichários de pacientes. Eis, porém, que, no mais profundo do seu ser, algo parece lhe dizer: “Você é responsável por uma ação má!”. O que seria essa voz de censura severa? – indaga-se. E responde-se: “Não seria a voz dos homens, nem seria uma voz premeditada por mim, mas seria uma voz anterior a qualquer deliberação minha: seria a chamada ‘voz da consciência’” (Trecho adaptado do livro J. Javaux, Prouver Dieu, p. 60-62, apud E. Bettencourt. Curso de Filosofia. Rio de Janeiro: Mater Ecclesiae, 2014, p. 343).

Isso posto, importa entender melhor, ainda que brevemente, como funciona a consciência. Sim, ela há de ter sempre por meta o seguinte princípio: “Pratica o bem e evita o mal”. A partir disso, para formular um juízo, a consciência se coloca entre a norma ou a lei objetiva da moral – válida a todos os seres humanos em todos os tempos e lugares – e as circunstâncias bem delimitadas em que se encontra. Tem-se, então, em cada ato moral, o aspecto objetivo (a lei) e o subjetivo (pessoal ou circunstancial). Detalhemos!

Há o princípio básico e geral da moral: “É preciso praticar o bem e evita o mal”; vem, em seguida, o julgamento da prudência aplicado a uma situação concreta: “Neste momento, como terei de dirigir o carro, é um mal tomar cerveja”; conclui-se, portanto, o raciocínio com um parecer da consciência: “Agora, não posso tomar cerveja”. Como vimos, a virtude cardeal ou humana da prudência desempenha nesse juízo importante papel. É, pois, a prudência que “avalia se tal ou tal situação concreta está ou não sujeita às normas gerais da moralidade” (Dom Estêvão Bettencourt, OSB. Curso de Teologia Moral. Rio de Janeiro, 1986, p. 28).

Outro exemplo: há o princípio básico e geral da moral: “É preciso praticar o bem e evita o mal”. Dele, o sujeito tira uma consequência particular: “Há de se devolver a uma pessoa algo que ela confiou aos seus cuidados, pois isso é um bem”. Considerando, no entanto, a circunstância em que se está a aplicar os princípios abstratos da moral, foi-lhe confiada a guarda de uma arma de fogo municiada. Todavia, quem lhe confiou – e agora a pede de volta – está mentalmente perturbado. A conclusão ditada pela prudência, após confrontar os princípios morais com a realidade específica em que o guardador da arma se acha, assegura que ele “não deve, neste momento, devolver a arma ao seu legítimo proprietário”.

Esse julgamento, longe de se confundir com o relativismo ético (tanto faz agir deste ou daquele modo), é sério, pois não menospreza os princípios morais básicos aplicáveis a cada ser humano em todos os tempos e lugares, mas leva também em conta a realidade na qual a pessoa se acha. O objetivo (a norma) e o subjetivo (as circunstâncias nas quais o indivíduo está inserido) se unem para a realização de algo conforme o bem (cf. idem, p. 27-30).

Eis como a consciência moral bem formada age na prática.

Tags:
DoutrinamoralPecadoValoresVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
SANDRA SABATTINI
Francisco Vêneto
Primeira noiva em processo de canonização na história foi beatifi...
2
EUCHARIST
Reportagem local
O que fazer se a hóstia cair no chão durante a Missa?
3
Transplante de rins
Francisco Vêneto
Transplante de rim de porco em humanos: a Igreja tem alguma objeç...
4
Pe. Jonas Magno de Oliveira e sua mãe
Francisco Vêneto
Mãe de padre brasileiro se torna freira na mesma família religios...
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco: “Tenho medo dos diabos educados”
6
As irmãs biológicas que se tornaram freiras no instituto Iesu Communio
Francisco Vêneto
As cinco irmãs biológicas que se tornaram freiras em apenas 2 ano...
7
Don José María Aicua Marín
Dolors Massot
Padre morre de ataque cardíaco enquanto celebrava funeral
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia