Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 15 Janeiro |
Santo Arnoldo Janssen
home iconAtualidade
line break icon

Evo Morales é denunciado ao Tribunal de Haia pela crise do oxigênio na Bolívia

BOLIVIA

Patricio Crooker | Patricio Crooker

Reportagem local - publicado em 08/09/20

Está sendo pouco noticiado mundo afora o quanto a pandemia tem sido útil e lucrativa para determinados interesses econômicos e políticos

O ex-presidente boliviano Evo Morales foi denunciado na última sexta-feira, 4 de setembro, ao Tribunal Penal Internacional, sediado em Haia, nos Países Baixos, por crimes contra a humanidade.

A denúncia

O denunciante foi o próprio Estado boliviano, que responsabiliza Evo Morales pelas mortes de ao menos 40 doentes por falta de oxigênio medicinal. Os tubos de oxigênio deixaram de chegar aos hospitais devido aos bloqueios realizados em estradas do país durante 12 dias consecutivos de violentos protestos, em agosto. Essas manifestações foram convocadas por grupos de esquerda ligados a Evo e contrários ao atual governo interino da Bolívia, tais como a Central dos Trabalhadores Boliviana, sindicato cujo secretário executivo, Juan Carlos Guarachi, também foi denunciado ao tribunal de Haia.

O Estado boliviano solicita do tribunal internacional uma investigação sobre os autores do que considera um crime contra a humanidade, que “provocou o sofrimento de populações afetadas e derivou na morte de ao menos 40 pacientes por falta de atendimento médico”. A Procuradoria da Bolívia responsabiliza Evo Morales pelas consequências trágicas dos protestos. O ex-presidente, que está na Argentina, é considerado foragido pela justiça boliviana.

A denúncia em Haia foi apresentada pelo procurador-geral da Bolívia, José María Cabrera, cuja nota especifica que os bloqueios “impediram a passagem de alimentos, oxigênio medicinal, circulação de ambulâncias, médicos e paramédicos que eram essenciais para atender à emergência sanitária gerada pela pandemia do coronavírus”.

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, comentou o caso no Twitter:

“A impunidade não pode prevalecer. Os abusos de poder mais perversos que têm sido cometidos na Bolívia não podem ficar impunes”.

Bebês em risco de morte

Durante a crise do oxigênio, em 9 de agosto, o fotógrafo e jornalista Patricio Crooker mostrou ao mundo, via Instagram, uma série de imagens da Unidade de Terapia Intensiva de Neonatologia do Hospital de la Mujer em Miraflores, La Paz. Os recém-nascidos também haviam passado por uma situação crítica devido à escassez de oxigênio.

BOLIVIA
Patricio Crooker
BOLIVIA
Patricio Crooker

Na ocasião, a redação de Aleteia em língua espanhola conversou com Crooker, que autorizou a publicação de suas fotos. Ele declarou ao repórter Pablo Cesio:

“Há escassez de oxigênio por causa dos bloqueios nas principais rodovias do país há mais de uma semana pelas disputas políticas entre seguidores de Evo Morales e o governo transitório. Isto é uma crise de magnitude tremenda, porque, além da crise de saúde da covid-19, aparece também esta situação dos bloqueios”.

O “Anjo do Oxigênio” morre no Peru

Entre junho e julho, o oxigênio também havia sofrido grave escassez no Peru, onde o preço do insumo chegou a aumentar tão drasticamente que o país passou a considerar como heroi nacional o empresário Mario Romero Pérez, por ter continuado a vender oxigênio medicinal a preço justo. O empresário foi apelidado de “Anjo do Oxigênio de San Juan de Miraflores”. Os peruanos ficaram profundamente consternados quando o próprio Mario veio a falecer em decorrência da covid-19, em 19 de julho.

PERU
Shutterstock | ARTURO CRISANTO

Interesses que matam

Esse tipo de situação, chamativamente, está sendo pouco noticiada mundo afora: o quanto a pandemia tem sido lucrativa e útil para determinados interesses econômicos, políticos e ideológicos. Seria, talvez, porque parte relevante dos que fabricam as pautas estão entre os interessados na parcialidade da informação? Perguntar ainda é permitido.


PLANNED PARENTHOOD

Leia também:
80 milhões para combater coronavírus foram para conta de multinacional de aborto

Tags:
Coronavíruscovid-19IdeologiaPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fáti...
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias ...
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
Deserto de Negev
Francisco Vêneto
Pedra de 1.400 anos com inscrição mariana é e...
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens pode...
Reportagem local
Papa Francisco: cuidado com os cristãos que s...
POPE JOHN PAUL II
Philip Kosloski
"Não tenhais medo": a frase mais usada por Sã...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia