Aleteia
Quinta-feira 22 Outubro |
São Moderano
Atualidade

4 atrações no Netflix para entender o racismo estrutural

CHARLOTTESVILLE

Fibonacci Blue-cc

Octavio Messias - publicado em 11/09/20

Dois filmes e duas séries retratam a condição negra no Brasil e nos EUA

Muito se discute, hoje, a questão do racismo estrutural. Passados 132 anos da Lei Áurea, nossa sociedade ainda conserva mecanismos e até uma mentalidade escravocratas, o que atrapalha nossa compreensão da verdadeira condição do negro no país, que, embora seja a maioria populacional do Brasil, ainda vive sob opressão, longe de uma igualdade de condições e oportunidades com relação aos brancos e sofrendo com o abuso de violência por parte da polícia.

Para entender melhor essa questão, recomendo a leitura de teóricos como Djamila Ribeiro, Silvio Almeida e Adilson Moreira. Muitos deles afirmam que o primeiro passo para um branco refletir e mudar essa situação é reconhecer o racismo em si mesmo – afinal, fomos educados sob essas mesmas estruturas de pensamento que privilegiam os brancos e jogam o racismo para debaixo do tapete. 

Para ajudar nessa tarefa de reflexão e conscientização, selecionamos quatro atrações disponíveis no Netflix que retratam a condição negra tanto no Brasil quanto nos EUA, onde vem ocorrendo vários casos de discriminação explícita, como o homicídio de George Floyd. 

Confira:

Filmes

1- Destacamento Blood (2020), de Spike Lee

O filme parte um dado histórico ultrajante que nunca foi de conhecimento comum. Na época da Guerra do Vietnã (1955-1975), os negros consistiam em 11% da população norte-americana, e mesmo vivendo em condições de segregação, formavam 16% do exército e, de todos os soldados enviados para combate em solo inimigo, 23% eram negros. Até que, nos dias de hoje, um grupo de veteranos negros se reencontra e coloca na mesa as mazelas do passado. Estrelado pelo sempre brilhante Delroy Lindo e pelo recém-falecido Chadwick Boseman, estrela de Pantera Negra. 

2- A 13ª Emenda (2016), de Ava DuVernay

Da mesma diretora de Selma (2014), dramatização da marcha liderada pelo ícone Martin Luther King em 1965. Com depoimentos de estudiosos, ativistas e políticos como Angela Davis, Bryan Stevenson e Michelle Alexander que mostram como a população negra nos Estados Unidos ainda vive em condições análogas à escravidão sob muitos aspectos, e como o Estado funciona na manutenção desse status quo. O título se refere à emenda que aboliu a escravidão em 1865. 

Séries

3- Irmandade (2019), de Pedro Morelli 

Depois de 20 anos sem contato com seu irmão (interpretado por Seu Jorge), a advogada Cristina (Naruna Costa) descobre que ele está preso e é líder da facção criminosa Irmandade, na qual ela se infiltra com a intenção de salvá-lo. Então ela realmente entende os mecanismos e os contextos sociais nos quais os negros estão inseridos, o que faz com que questione sua própria noção de justiça. A série também retrata de maneira realista a precariedade das instalações carcerárias do Brasil, onde 65% da população é formada por negros e, destes, 41,5% estão presos em regime provisório aguardando julgamento. 

4- Quem Matou Malcolm X? (2020), de Rachel Dretzin e Phil Bertelsen

Conhecer a história do ativista Malcolm X, assim como de Martin Luther King, é fundamental para entender o ativismo negro nos anos 60 e, principalmente, como é possível normalizar qualquer tipo de absurdo, como segregar negros no fundo dos ônibus, não atendê-los em restaurantes e impossibilitá-los de votar. Essa série documental mostra a revoltante sequência de eventos que levaram ao seu assassinato, em 1965.  


KARDYNAŁ PETER TURKSON

Leia também:
Oficial vaticano: racismo é contrário à nossa concepção da pessoa humana




Leia também:
Papa Francisco pede fim do racismo e da intolerância

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
dignidadeJustiçaPecadoViolência
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Papa Francisco São José Menino Jesus
ACI Digital
Papa Francisco reza esta oração a São José há...
violência contra padres no Brasil
Francisco Vêneto
Outubro de cruz para padres no Brasil: um per...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia