Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 23 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Papa: as boas relações humanas ajudam na cura dos doentes

Papa Francisco

HANDOUT/AFP/East News

Reportagem local - publicado em 11/09/20

"A doença recorda uma atitude decisiva para o ser humano: confiar-se ao outro, irmão e irmã, e ao Outro com letra maiúscula, que é o nosso Pai celestial"

Ao receber em audiência neste dia 11 os participantes do Congresso Mundial de Ginecologia Oncológica, o Papa Francisco declarou:

“O doente é muito mais que o protocolo dentro do qual ele se enquadra do ponto de vista clínico. A prova disso é que, quando o paciente vê a sua singularidade reconhecida, aumenta a confiança dele na equipe médica e no panorama positivo”.

Francisco agradeceu aos profissionais por ajudarem “mulheres que enfrentam doenças tão difíceis e complexas” e destacou a importância dos laços de solidariedade entre os pacientes com doenças graves, seus parentes e os profissionais da saúde, “numa relação de ajuda recíproca” de profundo impacto na vida da mulher. É indispensável, agregou o Papa, cuidar da condição psicológica, relacional e espiritual de cada paciente.

“Todos sabemos, e também já foi demonstrado, que viver boas relações ajuda e apoia os doentes ao longo de todo o percurso do tratamento, reacendendo ou aumentando a esperança neles. A proximidade do amor abre as portas para a esperança e também para a cura. Muitas vezes se diz que a relação, o encontro com os agentes de saúde, faz parte da cura”.

O Papa manifestou “tristeza e preocupação com o risco bastante difundido de deixar a dimensão humana do cuidado das pessoas doentes à ‘boa vontade’ de cada médico, em vez de considerá-la como parte integrante do tratamento oferecido pelas estruturas de saúde”.

Nesse contexto, ele elogiou as associações sem fins lucrativos que colocam os pacientes no centro das atenções, apoiando as suas exigências e perguntas legítimas e dando voz a quem não consegue se fazer ouvir devido à fragilidade da sua condição pessoal, econômica e social.

“A doença recorda a atitude decisiva para o ser humano, que é a de confiar-se ao outro. Confiar-se ao outro, irmão e irmã, e ao Outro com letra maiúscula, que é o nosso Pai celestial. Ela também lembra o valor da proximidade, do tornar-se próximo, como Jesus nos ensina na parábola do Bom Samaritano”.

E finalizou:

“Como cura uma carícia no momento oportuno! Vocês sabem melhor do que eu”.

POPE GENERAL AUDIENCE ELDERLY

Leia também:
Papa: “acompanhar doentes terminais na difícil provação do fim da vida”

Tags:
DoençaPapa FranciscoSaúde
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia