Aleteia

Igreja do Cazaquistão se torna a primeira basílica menor da Ásia Central

Minor Basilica of St. Joseph in Karaganda, Kazakhstan
Compartilhar

A Basílica de São José ajudou a formar a maior comunidade católica da região

O Vaticano elevou a Igreja de São José no Cazaquistão ao status de basílica menor. A homenagem marca a instalação da primeira basílica menor na Ásia Central, região que inclui Cazaquistão, Uzbequistão, Tadjiquistão, Quirguistão e Turcomenistão.

A Catholic News Agency relata que a Basílica de São José foi construída na década de 1970, enquanto o Cazaquistão era um território da União Soviética, a pedido de católicos no exílio. A igreja foi aprovada em 1977 e inaugurada em 1980, quando se tornou um ponto de referência para a comunidade católica do país. A igreja paroquial se tornou a catedral da Diocese de Karaganda em 1999.

O padre Vladimir Dzurenda, atual reitor da Basílica Menor de São José, conversou com a CNA sobre a importância de Basílica de São José para o povo do Cazaquistão. Ele disse:

“A paróquia de São José foi uma das poucas igrejas que teve permissão para ser construída nos anos 70 no Cazaquistão, quando fazia parte da União Soviética. Durante o comunismo, as pessoas vinham aqui, viajavam muitos quilômetros para receber os sacramentos e apoio espiritual. Nos anos 80, a maior comunidade católica da Ásia Central foi formada aqui”.

Uma igreja só pode ser chamada de basílica menor se demonstrar grande beleza e significado histórico para a comunidade católica que atende.

Ser nomeada basílica pelo papa traz certos “privilégios” para a igreja, como “conferir certa precedência perante outras igrejas (não, entretanto, perante a catedral local), o direito de conopaeum do sino. O conopaeum é uma espécie de guarda-chuva (também chamado papilio ou sinicchio), que junto com o sino era usado nas procissões em ocasiões oficiais.

Boletim
Receba Aleteia todo dia