Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 20 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

A Guarda Suíça Pontifícia, o menor e mais antigo exército do mundo

guardia svizzera_foto 5

© Musei Vaticani, Governatorato SCV

Reportagem local - publicado em 02/10/20

A Guarda Suíça é responsável pela segurança do Papa e dos edifícios papais, mas não do Estado do Vaticano em si

A Guarda Suíça compõe-se de um agrupamento de apenas cem homens. O Papa Júlio II foi quem a criou, em 22 de janeiro de 1506. Os mercenários suíços eram na época os mais famosos da Europa. Sua ação mais memorável foi proteger o Papa Clemente VII de um ataque do exército de Carlos V em 6 de maio de 1527, quando 147 soldados deram a vida pelo Pontífice.

Além de mostrar imagens raras do interior do Vaticano, o vídeo abaixo explica os requisitos necessários para ser guarda suíço, as funções da corporação, o treinamento dos guardas, seu tempo livre, sua participação em cerimônias papais e sua experiência espiritual.

Mesmo para quem não fala alemão, francês ou italiano, as impressionantes imagens a seguir valem a pena por si sós e são capazes de transmitir a essência da mensagem.

Curiosidades

– O inconfundível uniforme dos guardas suíços é confeccionado em tecido de cetim nas cores azul royal, amarelo dourado e vermelho sangue. O traje teria sido desenhado por Michelangelo, o famoso artista que também pintou a Capela Sistina.

– Este é o único grupo de soldados particulares reconhecido pela lei suíça.

– Só podem fazer parte da Guarda Suíça homens católicos, com diploma profissional ou ensino médio completo, com idade entre 18 e 30 anos e altura mínima de 1,74m. Não podem ser casados, exceto cabos, sargentos e oficiais. Eles também devem ter prestado serviço militar no exército suíço, não ter antecedentes criminais e ter uma reputação social impecável.

– O tempo de serviço de um membro da Guarda Suíça é normalmente de dois anos, mas pode se renovar até um máximo de vinte.

– A língua oficial da Guarda Suíça é o alemão.

– O lema da Guarda Suíça, em latim, é “Àcriter et fidèliter” (“Com coragem e fidelidade”).

– Seus padroeiros são três: São Martinho, São Sebastião e São Nicolau de Flue.

Bandeira e cotidiano

– A bandeira da Guarda Suíça contém o emblema pessoal do papa; assim, a corporação é a única no mundo cuja bandeira muda a cada novo chefe de estado.

– O cotidiano dos guardas inclui também as celebrações litúrgicas, com capela própria onde quem celebra é o capelão do exército papal.

– Em setembro de 1943, os nazistas ocuparam Roma e passaram a patrulhar a cidade até a Praça de São Pedro, mas não ousaram invadir o Vaticano. A Guarda tinha apenas 60 homens, então eles só podiam oferecer resistência simbólica. Além disso, o Papa Pio XII deu ordens para que a Guarda Suíça não derramasse sangue em sua defesa.

– O primeiro comandante da Guarda Suíça foi Kaspar von Silenen (1506-1517) e o atual é Christoph Graf.

– A Guarda Suíça é responsável pela segurança do Papa e dos edifícios papais, mas não do Estado do Vaticano em si. A Gendarmaria do Estado da Cidade do Vaticano encarrega-se da polícia e da segurança da Cidade-Estado, sendo responsável pela ordem pública, controle de fronteira e tráfego, investigação criminal e outras funções próprias da polícia.




Leia também:
A guarda suíça: um símbolo do cristianismo militante a serviço de Cristo Rei

Tags:
HistóriaHistória da IgrejaVaticano
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia