Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 26 Fevereiro |
Santo Alexandre
home iconAtualidade
line break icon

“Se não é caos jurídico, não sei o que é”: pe. José Eduardo sobre o caso do pe. Lodi

Pe José Eduardo Oliveira

Pe. José Eduardo de Oliveira / Facebook

Reportagem local - publicado em 02/10/20

"Qualquer pessoa poderá ser condenada pelo fato de ter ganhado uma causa e a justiça ter-lhe dado razão?", questiona o padre

“Se não é caos jurídico, não sei o que é”. Este é o resumo da perplexidade de milhões de cidadãos diante do caso do padre pró-vida Luiz Carlos Lodi. A história dele, de fato, continua dando muito o que pensar, avaliar e discutir.

Ou pelo menos tentar… Isso porque não se tem certeza de que a suposta democracia brasileira vá permitir que os cidadãos pensem, avaliem e discutam com a liberdade que teoricamente têm para isso. Um cidadão, afinal, já pode ser condenado porque recorreu à justiça e a própria justiça lhe deu razão. Diante disso, o que pode acontecer quando alguém exerce o direito de questionar a justiça por ir contra si mesma?

O pe. José Eduardo Oliveira, por exemplo, fez questão de se pronunciar a respeito do caso-caos, porque a perplexidade que o fato está gerando é monumental.

A propósito: você soube da história por meio da “grande mídia”? Então, provavelmente, você leu somente um lado dela, porque grande parte das reportagens omitiu o lado do padre e o retratou como um criminoso insensível.

Você precisa de mais informações sobre este caso complexo? Então acesse o artigo que recomendamos ao final desta matéria.

O que o pe. José Eduardo escreveu

O sacerdote da diocese de Osasco também é notório defensor da vida e da liberdade. E foi isto o que ele escreveu no Facebook:

SOBRE O CASO DO PADRE LODIComo a imprensa noticiou ontem, o Padre Luiz Carlos Lodi da Cruz foi condenado pelo STF a pagar R$ 400.000,00 de indenização por ter conseguido uma liminar da justiça para a interrupção de um aborto. É isto, mesmo! A justiça está condenando o Pe. Lodi por ter recorrido à justiça e ganhado na justiça (e isto sem reformar a sentença anterior nem condenar o juiz que a emitiu).Se isto não é um caos jurídico, não sei mais o que poderia ser. Quer dizer que, daqui pra frente, qualquer pessoa poderá ser condenada pelo fato de ter ganhado uma causa e a justiça ter-lhe dado razão?ISTO É UM ABSURDO!

“Se não é caos jurídico, não sei o que é”: o habeas corpus em grave risco

O pe. José Eduardo foi além, porque também abordou, especificamente, a questão do habeas corpus. Assim, ele acrescentou:

AINDA SOBRE A CONDENAÇÃO DO PADRE LODIO “habeas corpus” é um dos instrumentos jurídicos mais antigos (séc. XIII), anterior ao surgimento das próprias Constituições dos Estados, e é um reconhecimento por parte da autoridade judicial de que qualquer pessoa pode requerer a garantia de que um direito fundamental seja resguardado.Diante da urgência de se garantir um direito fundamental, a própria lei assegura a qualquer cidadão, mesmo sem ser advogado, o direito de impetrar um “habeas corpus”, e de que, portanto, este seja avaliado por um juiz.Ora, se a apreciação positiva de um “habeas corpus” pode resultar numa condenação judicial, isto significa que este instituto jurídico já não goza de nenhuma segurança: na prática, qualquer um que apresentar um “habeas corpus” pode ser punido exatamente por isto.A condenação do Padre Lodi é de uma seriedade absurda. Trata-se de algo muito pior que o próprio ativismo judicial: atacar a instituição do “habeas corpus” é como lançar uma bomba atômica nos próprios fundamentos do direito, naquele pressuposto que antecede a própria noção moderna de Constituição e, portanto, na concepção mesma das democracias modernas.

De fato, muitos internautas repercutiram a frase: “Se não é caos jurídico, não sei o que é”. E é uma frase que não parece repercutir à toa.

Saiba mais sobre o caso:


Padre Luiz Lodi

Leia também:
Condenado porque a justiça o atendeu: o complexo caso do padre e do aborto

Tags:
AbortoCidadaniaIdeologiaJustiçaliberdadeVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
2
Eucaristia
Reportagem local
Diocese afasta padre que convidou pastor para “concelebrar&...
3
OPERA SINGER
Cerith Gardiner
Cantora de ópera faz apresentação incomum e homenageia Maria e as...
4
PRAYER
Desde la Fe
Coisas que você não deve fazer na Missa e talvez não saiba
5
RECONSTRUCTED CHRIST
Lucandrea Massaro
Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3...
6
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
7
MEXICO
Pablo Cesio
México: homem chega à própria missa de corpo presente
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia