Aleteia
Sábado 24 Outubro |
São Maglório
Religião

A Igreja e a defesa incondicional da vida

BABY

Shutterstock | ESB-Professional

Vanderlei de Lima - publicado em 04/10/20

Recordemos a firme posição da Igreja na defesa incondicional da vida por meio de pronunciamento infalível

Dois pronunciamentos recentes da Igreja chamam a atenção para a defesa incondicional da vida desde a concepção até o seu fim natural. Eis o tema deste artigo.

No dia 25/09 último, o Santo Padre, o Papa Francisco, em Discurso online na 75ª Assembleia Geral da ONU, afirmou que muitos “países e instituições internacionais estão promovendo o aborto como um dos chamados serviços essenciais”. E acrescentou: “É triste ver como se tornou simples e conveniente, para alguns, negar a existência da vida como solução para problemas que podem e devem ser resolvidos tanto para a mãe como para o nascituro”. Em seguida, voltou-se – ainda dentro da defesa dos nascituros – para a revalorização da família por parte dos governantes, ao implorar às autoridades civis “que prestem especial atenção às crianças às quais são negados os seus direitos e dignidade fundamentais, em especial seu direito à vida e à educação”.

Recordemos, aqui, a firme posição da Igreja na defesa incondicional da vida por meio de pronunciamento infalível. Sim, São João Paulo II afirmou solenemente: “Com a autoridade que Cristo conferiu a Pedro e aos seus Sucessores, em comunhão com os Bispos – que de várias e repetidas formas condenaram o aborto e que, na consulta referida anteriormente, apesar de dispersos pelo mundo, afirmaram unânime consenso sobre esta doutrina – declaro que o aborto direto, isto é, querido como fim ou como meio, constitui sempre uma desordem moral grave, enquanto morte deliberada de um ser humano inocente. Tal doutrina está fundada sobre a lei natural e sobre a Palavra de Deus escrita, é transmitida pela Tradição da Igreja e ensinada pelo Magistério ordinário e universal.Nenhuma circunstância, nenhum fim, nenhuma lei no mundo poderá jamais tornar lícito um ato que é intrinsecamente ilícito, porque contrário à Lei de Deus, inscrita no coração de cada homem, reconhecível pela própria razão, e proclamada pela Igreja” (Encíclica Evangelium vitae, 1995, n. 62).

Em 14 de julho de 2020, a Congregação para a Doutrina da Fé também publicou a Carta intitulada Samaritanus bonus (O Bom samaritano, Lc 10,30-37). Nela se vê a claríssima condenação à eutanásia que “é um ato intrinsecamente mau, em qualquer ocasião ou circunstância. A Igreja no passado já afirmou de modo definitivo ‘que a eutanásia é uma violação grave da Lei de Deus, enquanto morte deliberada moralmente inaceitável de uma pessoa humana. Tal doutrina está fundada sobre a lei natural e sobre a Palavra de Deus escrita, é transmitida pela Tradição da Igreja e ensinada pelo Magistério ordinário e universal. A eutanásia comporta, segundo as circunstâncias, a malícia própria do suicídio ou do homicídio’ (João Paulo II, Evangelium vitae, 1995, n. 65). Qualquer cooperação formal ou material imediata a um tal ato é um pecado grave contra a vida humana: ‘Não há autoridade alguma que o possa legitimamente impor ou permitir. Trata-se, com efeito, de uma violação da lei divina, de uma ofensa à dignidade da pessoa humana, de um crime contra a vida e de um atentado contra a humanidade’ (Congregação para a Doutrina da Fé, Declaração Iura et bona, 1980). Por isso, a eutanásia é um ato homicida que nenhum fim pode legitimar e que não tolera nenhuma forma de cumplicidade ou colaboração, ativa ou passiva. Aqueles que aprovam leis sobre a eutanásia e o suicídio assistido se tornam, portanto, cúmplices do grave pecado que outros realizarão. Eles são outrossim culpados de escândalo porque tais leis contribuem para deformar a consciência, mesmo dos fiéis (Catecismo da Igreja Católica, n. 2286, inSamaritanus bonus, cap. V, 1).

Os defensores da vida, desde a concepção até o seu fim natural, não podemos deixar de louvar a Deus por estes dois grandes presentes: o oportuno trecho do Discurso do Santo Padre à ONU e a Carta Samaritanus bonus, da Congregação para a Doutrina da Fé com o aval – é óbvio – do Papa Francisco. Tais Documentos são eco fiel das palavras de Cristo, nosso Senhor: “Eu vim para que tenham vida e para que a tenham em abundância” (Jo 10,10). 

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
AbortoVida
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Papa Pedro João Paulo II Bento XVI Francisco
Reportagem local
Pedro, João Paulo, Bento e Francisco: 4 Papas...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia