Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 29 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Conheça a vencedora do Prêmio Nobel de Literatura de 2020

LOUISE GLUCK

Robin Marchant / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Octavio Messias - publicado em 09/10/20

Leia um poema de Louise Glück, a poeta e ensaísta norte-americana laureada com o prêmio máximo na arte escrita 

Pode-se dizer que existem três classes de vencedores do prêmio Nobel de Literatura:

  1. as surpresas absolutas, como quando o cantor e compositor Bob Dylan faturou o prêmio em 2016;
  2. os cânones, categoria de incidência cada vez mais rara, uma vez que o último vencedor que nela se enquadraria possivelmente foi Alice Munro em 2013, ou talvez Mario Vargas Llosa em 2010;
  3. e as surpresas ou azarões, o que consiste em autores menos conhecidos que geralmente passam longe do radar das casas de apostas e são premiados, como recentemente foi o caso das escritoras Olga Tokarczuk (2019) e Svetlana Alexijevich (2015). 

E que agora se repete com a poeta e ensaísta nova-iorquina Louise Glück, que foi anunciada nesta quinta-feira (8) como a vencedora do Nobel 2020 de literatura. Segundo a nota divulgada pelo júri da premiação, Louise foi selecionada por sua “voz poética inconfundível que, com beleza austera, torna universal a existência individual”. Professora de literatura na universidade de Yale, Glück já havia sido agraciada com o Pulitzer em 1993 (pelo livro de poesia The Wild Iris), e em 2014 com o National Book Award.  

Trajetória

Hoje com 77 anos, a autora fez sua estreia com a coletânea de poemas Firstborn, publicada em 1968 e ‘logo se tornou uma das poetas mais proeminentes da literatura americana contemporânea”, como diz a nota, que enaltece sua poesia ”caracterizada por uma busca pela clareza” e destaca o livro Averno (2006) como ”uma interpretação visionária do mito de descida de Perséfone ao inferno no cativeiro de Hades, o deus da morte”. Ainda inédita no Brasil (começa o leilão das editoras), Louise Glück costuma abordar temas como infância, relacionamentos e vida em família. 

Em vez da cerimônia habitual em Estocolmo, onde os laureados recebem o prêmio das mãos do das mãos do rei da Suécia, a entrega será transmitida com cada um dos vencedores em sua casa. 

O prêmio de literatura é sempre o quarto a ser anunciado, depois dos de medicina, física e química. Nos próximos dias deve ser anunciado o prêmio de economia e o tão aguardado Nobel da Paz, ao qual Papa Francisco era um dos favoritos. 

Leia um poema da vencedora de literatura do Nobel 2020, Louise Glück:

Portland, 1968*

Você fica firme como ficam as rochas que o mar alcança em ondas transparentes de desejo; elas estão arruinadas, finalmente; tudo o que está preso está arruinado. E o mar triunfa, como tudo o que é falso, tudo o que é fluente e feminino. De trás, uma lente se abre para o seu corpo. Por que você deveria se virar? Não importa quem é a testemunha, por causa de quem você está sofrendo, por quem você fica firme.

Tradução de André Caramuru Aubert publicada no jornal Rascunho 




Leia também:
Impactante testemunho: “Eu me converti ao cristianismo por meio de… Bob Dylan”


KOBIETA W AUTOBUSIE

Leia também:
5 clássicos da literatura sobre epidemias

Tags:
ArteLivros
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia