Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconAtualidade
line break icon

AC/DC e Strokes: duas bandas que voltaram à ativa na pandemia 

THE STROKES

Christian Bertrand / Shutterstock.com

Octavio Messias - publicado em 21/10/20

Bandas lançam novos discos após quatro e sete anos, respectivamente 

Com o caos e o estresse provocados pela pandemia, o público roqueiro de maneira geral ainda não se atinou para o retorno de duas das maiores bandas do gênero, de diferentes gerações: o AC/DC, banda de rock clássico formada em Sidney, na Austrália, em 1973; e o The Strokes, banda nova-iorquina que foi uma das principais responsáveis retomada do rock no começo dos 2000, junto com bandas como The White Stripes e Kings of Leon.

Superação de conflitos

Nesta semana foi divulgada a música Shot in the Dark,  o primeiro single de Power UP, novo álbum do AC/DC.  O anúncio de que a banda lança seu 17º disco de estúdio no próximo dia 13, após quatro anos de hiato, pegou os fãs de surpresa, já que o álbum anterior, Rock or Bust, foi marcado por uma série de transtornos e conflitos pessoais dos integrantes da banda. 

O segundo guitarrista, Malcolm Young – irmão do líder da banda, o icônico guitarrista Angus Young –, deixou a banda para se tratar de demência, e foi substituído por seu sobrinho, Stevie Young (filho de Stephen Young, o primogênito dos irmãos). O baterista Phil Rudd ficou em prisão domiciliar por posse de narcóticos e por ameaçar um integrante da equipe. E o vocalista Brian Johnson (que em 1980 ocupou o lugar do finado cantor Bon Scott, membro da formação original) foi afastado por perda auditiva, atribuída não aos 36 anos tocando em uma das bandas mais barulhentas da história, mas ao seu hobbie de pilotar carros de corrida. Ele substituído na turnê do disco de 2016 pelo vocalista do Guns N’ Roses, Axl Rose, que se apresentou à frente da banda nos seus últimos 22 shows.  

Power Up

Todos os integrantes da banda pelos últimos 40 anos voltaram a se reunir para Power Up, exceto por Malcom Young que permanece cuidando da saúde. Apesar da surpresa, o novo lançamento já chega sem o mesmo brilho de todos os álbuns da banda, uma vez que cada disco chega como pretexto para uma nova turnê, expectativa que, em tempos de pandemia, fica completamente prejudicada. Esperemos que aglomerações voltem a ocorrer em breve e que os integrantes da banda, na segunda metade dos 60 anos (exceto por Stevie, que continua substituindo Malcolm), conservem o pique para voltar a fazer suas antológicas, energéticas e espetaculares apresentações ao vivo, como podemos ver no vídeo acima gravado no estádio do River Plate, em Buenos Aires, em 2009.  

The New Abnormal

Já o The Strokes muitos fãs nem perceberam que voltaram, uma vez que seu sexto álbum de estúdio (o primeiro em sete anos), The New Abnormal, foi lançado em abril, ainda no começo da pandemia – momento que pode ser considerado mais crítico que o atual não pelo número de mortes, mas pelo estresse e pela avalanche de notícias sobre o vírus que proliferava à época –, praticamente sem nenhuma repercussão. A banda – que conta com o baterista brasileiro Fabrizio Moretti –  até ironizou a situação com o título do disco, “O Novo Anormal” em português. Além de At the Door (acima), o álbum rendeu outros dois singles: Bad Decisions e Brooklin Bridge to Chorus.

Para encerrar, lembremos de Last Nite, o principal sucesso do The Strokes. 


Audrey Assad

Leia também:
O novo EP de Audrey Assad leva sua música para o próximo nível


GITARA

Leia também:
8 supergrupos do rock alternativo

Tags:
ArteMúsicaPandemia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia