Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconAtualidade
line break icon

Os efeitos da pandemia no número de partos prematuros

PREMATURE

Ondrom - Shutterstock

Theresa Civantos Barber - publicado em 26/10/20

O número de nascimentos de bebês prematuros caiu durante a pandemia. Com a boa notícia, os médicos tentam desvendar as causas dessa surpreendente tendência

As restrições impostas pela pandemia causaram impactos no número partos prematuros. E os médicos querem entender o motivo.

Esperava-se que as taxas crescentes de doenças ou o estresse provocado pela pandemia afetassem negativamente as grávidas. Entretanto, médicos de várias partes do mundo notaram, inicialmente, uma queda repentina e drástica no número de nascimentos de bebês prematuros nesse período.

Agora, portanto, uma pesquisa confirmou a tendência observada pelos especialistas. Segundo o New York Times,

Um grande estudo da Holanda, publicado na terça-feira no The Lancet Public Health, rendeu evidências ainda mais fortes de uma associação entre o lockdown e um número menor de partos prematuros … Os pesquisadores holandeses examinaram dados de triagem de sangue de recém-nascidos de 2010 a 2020, que incluíam mais de 1,5 milhão de crianças. Mais de 56.000 desses bebês nasceram depois que a Holanda começou a fechar as portas em resposta à pandemia …Os pesquisadores observaram, portanto, que os partos prematuros caíram depois de 9 de março, quando o governo da Holanda começou a alertar a população para adotar mais medidas de higiene e ficar em casa… Na semana seguinte, escolas e locais de trabalho começaram a fechar. “Pudemos ver que esse impacto foi real”, disse o Dr. Jasper Been, neonatologista do Erasmus Medical Center em Rotterdam e principal autor do estudo. A redução foi de 15 para 23 por cento, disse ele.

Essa queda no número de partos prematuros, sem dúvida, é uma notícia boa e, acima de tudo, surpreendente. Entretanto, os médicos ainda não sabem o que poderia estar causando essa redução.

As causas da queda do número de partos prematuros

Uma teoria, por exemplo, é que as precauções pandêmicas, que incluíam melhor higiene e menos exposição a possíveis fontes de doença, resultaram em taxas mais baixas de infecção. Sabe-se que 40% dos partos prematuros estão associados a infecções.

Outra teoria, no entanto, diz que as restrições à pandemia reduziram o estresse para muitas grávidas. Da mesma forma, o estresse materno pode antecipar os partos. Para muitas grávidas, entretanto, ficar mais tempo em casa com a família não foi motivo de estresse.

Por outro lado, pesquisadores se perguntaram se a diminuição nesse índice poderia estar acontecendo porque mais bebês nasceram mortos. Mas, felizmente, esse não parece ser o caso:

Se a maioria dos prematuros fosse, de fato, natimortos, disse Been, teria que haver um grande aumento de natimortos – talvez três vezes o número normal. Ninguém, entretanto, relatou essa mudança até agora. 

Conclusão

Ter um bebê prematuro costuma ser profundamente traumático para os pais. Da mesma forma, é um desafio para a saúde dos pequenos. Portanto, a queda no número de nascimentos de bebês prematuros na pandemia é uma notícia promissora e reconfortante. Mesmo que a COVID-19 tenha trazido desafios dolorosos, seus efeitos estão dando ao mundo bebês mais saudáveis. De fato, trata-se de um grande sinal de esperança.

Mas a grande esperança, é óbvio, é que os médicos possam descobrir por que isso está acontecendo, para que a redução de partos prematuros possa continuar sem uma pandemia devastadora.


pregnant

Leia também:
3 grandes vantagens de estar grávida na quarentena


NIEMOWLĘ

Leia também:
12 nomes para bebês que vão nascer na pandemia

Tags:
GravidezPandemia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia