Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconAtualidade
line break icon

Aborto de bebês com síndrome de Down: Reino Unido eliminou 339 em 6 meses

Criança com Síndrome de Down

Eleonora_os | Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 05/11/20

Não era estupro. Não havia risco de vida, nem para a mãe, nem para o bebê. Só havia Síndrome de Down, que não é doença.

Aborto de bebês com síndrome de Down é uma vergonhosa forma de eugenia que ganha força em países supostamente avançados. A Islândia representa o caso mais extremo: lá, 100% dos bebês com a síndrome são abortados.

Mas a ilha nórdica não é o único país em que esta chocante prática eugênica se consolida.

Helen Whately, ministra da Saúde do Reino Unido, divulgou que, só nos primeiros 6 meses de 2020, o sistema de saúde britânico abortou 339 bebês apenas porque eles tinham a Síndrome de Down.

Aborto de bebês com síndrome de Down: uma forma de eugenia

Não se tratou de casos de estupro, nem de casos de risco de vida para a mãe ou para o bebê – cenários usados como justificativa em grande parte dos países para autorizar abortos. Tratou-se, no caso britânico, de bebês perfeitamente saudáveis, com uma condição genética que não é doença, mas em torno da qual persiste um assustador e vergonhoso preconceito. Pior ainda: é uma forma de eugenia.

Os números, ademais, não são definitivos: além de poderem sofrer uma revisão, eles cobrem somente a Inglaterra e o País de Gales, e não a Escócia e a Irlanda do Norte, que também fazem parte do Reino Unido.

Diante deste fato indignante, a organização pró-vida Life exigiu a revisão das leis britânicas sobre o aborto.

Liz Parsons, da diretoria da Life, declara:

“Depois de cinco décadas, a lei do aborto continua empoderando os provedores de aborto para interromperem a vida de milhares de seres humanos até o momento do nascimento caso eles tenham qualquer tipo de ‘deficiência’. A lei é inerentemente discriminatória, antiquada e incompatível com os princípios de igualdade e justiça para todos os seres humanos. O fato de dois bebês serem abortados por dia porque têm a síndrome de Down é chocante e inaceitável em qualquer sociedade justa e igualitária”.

Aborto de bebês com síndrome de Down: a brava reação de uma jovem com a síndrome

A Life citou o caso emblemático de Heidi Crowter, mulher de 24 anos, com a síndrome de Down. Ela luta pela vida dos bebês com a síndrome e chegou a processar o governo do Reino Unido por causa da atual lei de aborto. O Tribunal Superior da Inglaterra e do País de Gales acatou a revisão dessa lei em 17 de outubro.

A organização pró-vida comenta o fato:

“Uma mulher com a síndrome de Down sentiu que precisa promover a proteção dos bebês com a síndrome por meio dos tribunais. Estamos rumando para uma Grã-Bretanha sem síndrome de Down? Os legisladores estão satisfeitos com esse triste estado de coisas? Lemos na BBC a história de uma mulher grávida de um bebê com a síndrome de Down que recebeu a oferta de aborto 15 vezes, apesar de deixar claro que isso não era uma opção para ela. Até ofereceram a ela um aborto cirúrgico tardio, com 38 semanas!”

A Life prossegue:

“Temos que refletir se queremos uma sociedade que acaba com a vida de milhares de seres humanos por terem uma deficiência. Está na hora de recordarmos aos responsáveis pela criação das leis a responsabilidade deles de proteger os mais vulneráveis da sociedade e de agir agora para corrigir essa injustiça discriminatória da lei de aborto de 1967”.


Sigga Ella Síndrome de Down

Leia também:
Fotos para sensibilizar o rico país que… aborta quase 100% dos bebês Down

Tags:
AbortoIdeologiaJustiçaSíndrome de down
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia