Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconReligião
line break icon

Albertina, Isabel e Benigna: as três mártires da castidade brasileiras

mártires da castidade

Facebook Beata Albertina Berckenbrock / Bastião Já Sabe-CC BY-SA 4.0 / Diocese do Crato

Reportagem local - publicado em 10/11/20

Elas não ficaram conhecidas apenas pela forma como morreram, mas como levaram a vida: exemplos para a juventude

O Brasil tem três mulheres conhecidas como “mártires da castidade”. Elas morreram defendendo a pureza e são modelos para a juventude brasileira. Isso, no entanto, não só pela forma como faleceram, mas pelo modo como levaram a vida. Aliás, em comum, elas tiveram um estilo de vida marcado pela fé, oração e ajuda ao próximo.

Conheça abaixo um pouco das histórias dessas mártires da castidade. 

Albertina Berkenbrock

Albertina nasceu em 11 de abril de 1919 em Imaruí, SC.  Recebeu desde cedo a formação católica e participava ativamente da vida religiosa da comunidade. De fato, confessava-se com frequência e comungava sempre.

Mas no dia 15 de junho de 1931, Albertina, aos 12 anos, perdeu a vida para preservar a sua pureza espiritual e corporal.

Naquele dia, então, a menina foi procurar um boi no pasto. No caminho, entretanto, encontrou seu malfeitor. Quando a jovem lhe perguntou se tinha visto o animal que procurava, o homem lhe deu uma pista falsa e a mandou para o local em que tentou violentá-la. 

Primeiramente, ele a derrubou no chão e tentou estuprá-la. Mas ela cobriu-se o máximo que pode com seu vestido. Sem conseguir derrotá-la, o criminoso lhe afundou um canivete no pescoço, degolando-a.

Como resultado, a fama de Albertina começou a circular rapidamente entre a população local, que conhecia a jovem, a sua educação cristã, o seu amor pela família e pelo próximo e o seu bom comportamento, piedade e caridade.

Albertina Berkenbrock foi proclamada Bem-Aventurada em 20 de outubro de 2007 pelo Papa Bento XVI.


Albertina Berkenbrock

Leia também:
Quem é a mártir da pureza Albertina Berkenbrock, a “Maria Goretti brasileira”

Isabel Cristina Mrad Campos

No dia 1º de setembro de 1982, a jovem estudante mineira Isabel Cristina Mrad Campos foi violentada por um homem que foi montar um armário em seu apartamento. Ela, no entanto, tentou resistir, mas levou um cadeirada na cabeça. O criminoso, então, a amarrou, amordaçou e rasgou suas roupas.

Como continuava resistindo à violência, o homem foi incapaz de estuprá-la. Mas ele a matou com 15 facadas.

Em 2001, Isabel Cristina recebeu o título de Serva de Deus. Durante oito anos, um Tribunal Eclesiástico colheu depoimentos de dezenas de pessoas para comprovar a religiosidade de Isabel, que desde a adolescência fazia parte da comunidade de voluntários “Conferência de São Vicente”.

Enfim, em outubro de 2020, o Papa Francisco reconheceu sua morte “in defensum castitatis” (em defesa da pureza). O Vaticano, assim, a declarou mártir e aprovou a causa de sua beatificação, que ainda não tem data para acontecer.


Isabel Cristina Mrad Campos

Leia também:
Isabel Cristina Mrad Campos: uma brasileira a caminho dos altares

Benigna Cardoso da Silva

Outro exemplo de brasileira mártir da castidade é Benigna Cardoso da Silva nasceu em 15 de outubro de 1928, em Santana do Cariri (CE). Em 24 de outubro de 1941, aos 13 anos, morreu violentamente após se recusar a ter relações sexuais com um adolescente.

A menina saiu de casa para buscar água bem perto da residência. Porém, Raul Alves a golpeou com um facão depois que ela resistiu a suas tentativas de ter relação sexual e manter legitimamente sua pureza. 

Desde então, vem aumentando a devoção à menina. Em 2004, teve início a Romaria da Menina Benigna, que acontece de 15 a 24 de outubro e entrou para o calendário oficial do Estado do Ceará em junho de 2019.

Sua beatificação seria em 2020, mas foi suspensa por causa da pandemia do coronavírus.




Leia também:
Quem é a menina mártir brasileira Benigna, que o Papa Francisco vai beatificar

Tags:
MártiresSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia