Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 21 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Igreja: carismas diferentes, mas um mesmo espírito

papa francisco 26 – pt

© GABRIEL BOUYS / AFP

El Papa Francisco en la Plaza de San Pedro

Manuel Bru - publicado em 22/11/20

Uma oportunidade especial para refletir de maneira generosa sobre a universalidade da Igreja Católica

O Papa Francisco se referiu aos carismas na Igreja como “dons e graças especiais que o Espírito Santo distribui para a edificação da Igreja”. E explicou como eles enriquecem a caridade, que está acima de tudo: “Sem amor, os carismas são vãos. Com amor, até o menor dos nossos atos repercute em benefício de todos”.

O Santo Padre insistiu em que os bens espirituais que compartilhamos na Igreja estão ao serviço da comunhão e da missão e, mediante a comunhão dos santos, cada um de nós é sinal e sacramento do amor de Deus aos demais e ao mundo inteiro.

A vivência da “espiritualidade de comunhão”, já proposta pelo Beato João Paulo II, aplicada à relação entre os velhos e os novos carismas, e entre eles e as igrejas locais, não consiste em uma espécie de fusão, no caso dos novos, perdendo cada um sua identidade e seu carisma; ou de um controle excessivo da contribuição dos antigos carismas religiosos por parte das estruturas diocesanas, freando sua vocação de missão de fronteira.

Testemunho de comunhão

Ao contrário, trata-se de que todos se conheçam e reconheçam a novidade de cada carisma com a mesma alegria com que se experimenta a vivência da novidade do próprio; de dar um testemunho, diante da Igreja e da humanidade, de unidade (que é todo o contrário à uniformidade), de comunhão entre eles e de comunhão com toda a Igreja.

Este tempo se apresenta como uma esplêndida e providencial ocasião para contemplar com generosidade a universalidade da urgência evangelizadora, retomar o tesouro dos antigos, mas sempre novos carismas que regaram a Igreja com tantas ordens religiosas, e confrontar isso com a seiva dos novos carismas eclesiais, carismas que o Espírito Santo quis dar principalmente aos leigos, para acelerar uma nova primavera para as nossas Igrejas, para ser um povo evangelizado e evangelizador.

Talvez, se fôssemos um pouco menos fechados e tornássemos nossa a riqueza do outro na comunhão da Igreja, e buscássemos o bem da comunidade eclesial mais distante do mundo como se fosse a nossa; se pudéssemos, por um instante, ver a Igreja e o mundo com o olhar universal do Papa Francisco, e sentíssemos a paixão por amá-los como ele os ama, nossas igrejas acordariam do sonho e do desânimo e, na missão, encontrariam a luz e a vitalidade pelas quais anseiam.


PESSOAS NA MISSA COM MÃOS ERGUIDAS

Leia também:
Papa muda regra para evitar que charlatões fundem comunidades

Tags:
IgrejaPapa Francisco
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia