Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 28 Setembro |
Santos Alfeu, Alexandre e Zósimo
home iconAtualidade
line break icon

Só um convidado pode usar banheiro no Natal: a medida surreal do governo belga

Banheiro

Shutterstock | artazum

Francisco Vêneto - publicado em 08/12/20

A palavra "ciência" tem sido repetida ad nauseam como "o mantra da pandemia". Onde está ela?

Só um convidado pode usar banheiro no Natal. É ordem do governo da Bélgica!

Isso mesmo que você leu. O governo belga determinou as seguintes regras para quem quiser receber convidados na noite de Natal deste ano:

  1. Você pode receber um limite máximo de 4 convidados.
  2. Você não pode recebê-los dentro da sua casa, mas somente no jardim.
  3. Os convidados devem ter acesso direto ao jardim a partir da rua: se eles precisarem entrar na sua casa para só então chegarem ao jardim, então você não pode recebê-los.
  4. E agora vem a melhor parte: somente um dos 4 convidados estará autorizado pelo governo a usar o banheiro da sua residência!

Pausa para ficar de boca aberta.

Só um convidado pode usar banheiro no Natal

Para que não restem dúvidas sobre o item 4, um porta-voz do Ministério belga do Interior, que é capitaneado pela ministra Annelies Verlinden, foi bastante claro:

“Se você [como convidado] realmente tiver que ir ao banheiro, então não terá remédio a não ser voltar para a sua própria casa”.

Vamos imaginar, por exemplo, que os convidados sejam os seus pais, um irmão e a cunhada. Qual deles você vai deixar entrar no seu banheiro? Sua mãe ou seu pai?

A “lógica” (?) deste surreal “dilema” se “ampara” no objetivo de frear a pandemia da covid-19. Este objetivo, que é evidentemente urgente, tem servido, porém, como elástica justificativa para as mais estapafúrdias arbitrariedades perpetradas por governos contra seus cidadãos.

A necessidade de tomar medidas para reduzir os contágios é particularmente gritante na Bélgica, já que é um dos países com a maior proporção de óbitos por 100.000 habitantes em todo o planeta. O que se espera, porém, é que as medidas adotadas sejam razoáveis.

Medidas razoáveis?

É até possível que a restrição ao uso do banheiro tenha lá sua razoabilidade – a questão é que não está claro qual é.

Do jeito que a medida foi definida e comunicada à população, ela parece muito mais um ato de autoritarismo e arbitrariedade do que uma norma sanitária fundamentada em objetividade.

Qual é o embasamento científico de uma determinação desse tipo? O que exatamente se sabe, com comprovação científica, sobre o aumento do risco de contágio pelo coronavírus durante o uso do banheiro de casa em comparação com o risco durante a ida ao supermercado usando o transporte público? Se as pessoas derem descarga e lavarem direito as mãos com água e sabão antes e depois do uso, qual exatamente vai ser a diferença de impacto se os usuários do banheiro forem um, dois ou quatro? Como saber, com segurança científica, que a única pessoa autorizada a usar o banheiro não era justamente a que talvez fosse a única já previamente infectada pelo coronavírus, mas ainda assintomática?

Por que 4 pessoas e não 3, ou 5, ou zero?

Mesmo no tocante ao resto das “regras natalinas” da Bélgica: o que exatamente a ciência sabe até agora sobre quantas pessoas constituem um limite seguro para um encontro comemorativo que possa ser autorizado responsavelmente pelo governo? Por que 4 pessoas e não 3 ou 5? Ou zero, de uma vez? E quais pessoas são “menos inseguras”? Familiares? Amigos? Vizinhos? Por quê?

E se o critério científico de segurança for mesmo a quantidade, então o que impediria um cidadão belga sem convidados para a ceia natalina de oferecer o seu banheiro a um convidado do vizinho, por mais perfeitamente desconhecido que ele seja? Afinal, ficará respeitado o limite quantitativo de apenas um “usuário externo” com acesso ao banheiro da residência. Não era esse o critério? “Queridos vizinhos, nosso banheiro ficará disponível para um de seus convidados, até as 23h59, pela módica taxa de 5 euros por uso“.

A palavra “ciência” tem sido repetida ad nauseam como “o mantra da pandemia”. Onde está ela?

Enquanto a situação sanitária do planeta exige seriedade, o Natal que o governo quer impor aos belgas já virou piada mundo afora – pena que tão “engraçada” quanto “científica” e “democrática”.

Só falta mandarem o Papai Noel fiscalizar de casa em casa quem é que foi ao banheiro.


BIG BROTHER

Leia também:
Pandemia: a intromissão dos governos na liberdade religiosa passou dos limites?




Leia também:
4 bispos reagem com veemência contra desmandos e hipocrisias nesta pandemia

Tags:
CiênciaCoronavíruscovid-19IdeologiaPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Claudio de Castro
O Purgatório e o misterioso alarme das 3 da manhã
2
Broken Mary
Reportagem local
Nasce (e cresce) nos EUA a inspiradora devoção a “Nossa Senhora D...
3
Maria Paola Daud
O dia em que Nossa Senhora parou a lava do vulcão Etna
4
Caio Batista, jovem ex-protestante que se tornou católico
Reportagem local
Carta de jovem ex-protestante repercute nas redes: “Sim, eu me to...
5
Vulcão Cumbre Vieja
Violeta Tejera
Vulcão Cumbre Vieja obriga pároco a evacuar capela às pressas
6
Santa Missa
Reportagem local
Quanto tempo devemos chegar antes da Missa?
7
Irmã Cecilia
Reportagem local
Quem sorri assim no momento da morte?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia