Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 15 Abril |
São Damião Veuster
home iconReligião
line break icon

O Papa Francisco e o aborto na Argentina: é correto acusá-lo de não agir?

Papa Francisco

HANDOUT/AFP/East News

Francisco Vêneto - publicado em 29/12/20

É um fato constatável que a mídia costuma censurar o Papa Francisco quando ele fala contra o aborto

O Papa Francisco e o aborto na Argentina: é correto acusá-lo de não agir? Afinal, Francisco tem sido frequentemente acusado de omissão diante da mais recente campanha pró-aborto em seu país natal.

Um fato facilmente constatável é que a mídia costuma censurar o Papa Francisco quando ele fala contra o aborto, conforme foi ressaltado neste mês pelo vaticanista italiano Sandro Magister. Em seu blog Settimo Cielo, Magister observou que, quando o Papa fala em aborto, os grandes meios de comunicação costumam omitir a notícia ou dar-lhe o mínimo possível de visibilidade. Isso tem valido especialmente no caso do ativismo pró-aborto do governo argentino.

Em 14 de dezembro, Magister escreveu:

“Cada vez que toca esse tema, Francisco não desfruta de forma alguma de boa imprensa. Além disso, é sistematicamente ignorado”.

O Papa, no entanto, volta ao tema com frequência e com clareza. No recente livro “Sonhemos Juntos”, por exemplo, ele declara:

“Não posso ficar calado sobre os mais de 30-40 milhões de nascituros que, segundo os dados da Organização Mundial de Saúde, são descartados todos os anos por meio do aborto. É terrível constatar que, em muitas regiões consideradas desenvolvidas, essa prática é frequentemente incentivada porque os filhos que vão nascer são deficientes ou não foram planejados. Mas a vida humana nunca é um fardo. É preciso dar-lhe espaço e não descartá-la. O aborto é uma grave injustiça. Nunca pode ser uma expressão legítima de autonomia e poder. Se a nossa autonomia exige a morte de outros, então a nossa autonomia nada mais é do que uma jaula de ferro. Costumo me fazer duas perguntas: é justo eliminar uma vida humana para resolver um problema? E é justo contratar um assassino de aluguel para resolver um problema?”.

Como se esta posição não fosse explícita e suficientemente clara, Francisco ainda recorda que se trata da postura firme do Magistério:

“Meu predecessor, São Paulo VI, advertia em sua carta encíclica de 1968, Humanae vitae, sobre a tentação de considerar a vida humana como um objeto entre muitos, sobre o qual os poderosos e as pessoas instruídas podem exercer o seu domínio. Como é profética a sua mensagem agora! Hoje, o diagnóstico pré-natal é rotineiramente utilizado para filtrar aqueles que são considerados fracos ou inferiores”.

O Papa Francisco e o aborto na Argentina

E por que Francisco não se pronuncia especificamente sobre o caso da Argentina?

Como arcebispo de Buenos Aires, o então cardeal Bergoglio se manifestava sobre todos os assuntos relevantes do seu país que exigissem posicionamento específico da Igreja ou dele pessoalmente. Agora, porém, ele não é mais o arcebispo de Buenos Aires, mas o Papa de todos os católicos. Como Papa, Francisco se posiciona sobre os assuntos relevantes da humanidade inteira, evitando acirrar conflitos com governos nacionais que facilmente seriam interpretados a partir de perspectivas ideológicas e politiqueiras, principalmente pela mídia ávida por sensacionalismo.

O Papa Pio XII, diga-se de passagem, é até hoje injustamente acusado de inação e covardia em relação ao regime nazista de Adolf Hitler, apesar de todas as provas gritantes de que agiu intensamente para salvar indivíduos, famílias e grupos inteiros de judeus. Farta documentação a respeito pode ser consultada AQUI.

As narrativas desonestas sobre Pio XII não são muito diferentes de certas versões ideologicamente enviesadas sobre Francisco. Aliás, quando foi eleito Papa, ele chegou a ser fortemente criticado por ativistas e autodeclarados jornalistas que, manipulando informações, o acusavam de ter cooperado com a ditadura militar no país. Esta mentira gerou boa audiência para a mídia caça-níquel, mas foi desmentida por pesquisas e testemunhas sérias, entre as quais até um ganhador do Prêmio Nobel da Paz. Pouco depois, e sem o menor pudor, a mesma mídia militante passou a apresentar o novo Papa como uma espécie de garoto-propaganda da esquerda latino-americana, amparando-se nas iniciativas de Francisco em prol dos mais necessitados. Intermitentemente, essa mesma mídia ativista tem selecionado palavras e obras do Papa Francisco de acordo com a sua conveniência ideológica, de modo a divulgá-las ou omiti-las propositalmente com base em critérios enviesados. Isto sem falar nas escancaradas manipulações da imagem do Papa e de suas falas, tirando-as completamente de contexto a ponto de as usarem, por exemplo, até para alegar que ele estaria incentivando o aborto. Foi o caso deste episódio:




Leia também:
DENÚNCIA: Campanha no Brasil manipula o Papa Francisco para promover o aborto

Ainda no tocante à relação entre o Papa e seu país natal, o mesmo Sandro Magister escreve:

“O Papa quer demostrar que se preocupa em ir até o fundo das questões e em falar diretamente ao mundo, sem se envolver na luta política, especialmente na política argentina. Em particular, para Bergoglio, é urgente evidenciar o seu duplo distanciamento: da ex-presidente peronista Cristina Fernandez de Kirchner, com quem diz que ‘não tem nenhum contato’ desde que deixou o cargo, e de Juan Grabois, organizador de primeiro nível dos ‘movimentos populares’ tão amados pelo Papa e a quem ele nomeou assessor do dicastério vaticano para o serviço do desenvolvimento humano integral. A razão desse distanciamento é que tanto uma quanto o outro nos fazem crer que são mais próximos do Papa e mais amigos dele do que realmente são”.

O resultado disto, como ressalta o vaticanista, é o mesmo que o próprio Papa descreveu há poucos dias:

“Os meios de comunicação acabam atribuindo a mim, Francisco, não ‘o que digo’, mas ‘o que dizem que digo’”.

Por outro lado, Francisco tem se manifestado frequentemente contra o aborto e a favor da vida junto à população argentina, mediante iniciativas diretamente voltadas a pessoas que defendem o nascituro. São exemplos recentes duas cartas abertas que ele enviou e que, obviamente, a grande mídia procurou noticiar o mínimo possível:

  • uma, para mulheres da periferia de Buenos Aires que estavam preocupadas com a possível legalização do aborto (confira a respeito no artigo recomendado ao final desta matéria);
  • a outra, em 1º de dezembro, a um grupo de ex-alunos argentinos.

Basicamente: grande parte da assim chamada “grande mídia” censura o Papa Francisco em certos assuntos e o utiliza em outros, conforme conveniências ideológicas que nada têm a ver com jornalismo.

Aparentemente, uma parcela de católicos escolheu fazer o mesmo.


Papa Francisco

Leia também:
Mulheres da periferia argentina contra o aborto: o Papa escreve para agradecer

Tags:
AbortoIdeologiaPapa FranciscoVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens poderosas
2
MIGRANT
Jesús V. Picón
O menino perdido no deserto nos convida a refletir
3
Pe. Zezinho
Reportagem local
Não desprezem o templo nem posem de católicos avançados, alerta o...
4
LOVE AND MERCY FILM
Aleteia Brasil
O filme sobre Santa Faustina e a Divina Misericórdia já está disp...
5
DIVINE MERCY
Reportagem local
Como obter indulgência plenária no Domingo da Divina Misericórdia...
6
agnus Dei
Catholic Link
Filme “Agnus Dei”: o dilacerante calvário das freiras...
7
Aleteia Brasil
Havia um santo a bordo do Titanic?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia