Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Julho |
Santa Marta
home iconAtualidade
line break icon

Paquistão: Tribunal demorou 11 anos a reconhecer a inocência de cristão

PAKISTAN; IMRAN MASIH; BLASPHEMY

Fundação AIS - publicado em 04/01/21 - atualizado em 04/01/21

Os juízes reconheceram que Masih estava inocente e que nunca teve o propósito de ferir os sentimentos dos muçulmanos

O dia 15 de Dezembro de 2020 será inesquecível para o cristão Imran Masih. Foi nessa terça-feira que o Tribunal de Relação de Lahore o absolveu das acusações que o levaram para a cadeia há 11 anos. Os juízes reconheceram que Masih estava inocente e que nunca teve o propósito de ferir os sentimentos dos muçulmanos, situação que está prevista no Código Penal e que tem sido usada em muitos casos de acusações de blasfémia.

Prisão perpétua

A história deste caso remonta a Julho de 2009 quando Imran Masih foi condenado a prisão perpétua por ter, segundo testemunhos oculares, queimado livros contendo versos do Corão enquanto limpava a sua loja em Hajveri, Faisalabad.

O processo judicial – que durante os 11 anos em que Masih permaneceu na cadeia sofreu quase 70 adiamentos – ficou marcado por profundas contradições na forma como a acusação foi formulada.

Crime de blasfêmia

O advogado de Imran Masih diz, em declarações à Fundação AIS, que é muito difícil a defesa dos acusados do crime de blasfémia no Paquistão. “Primeiro prendem o acusado e só mais tarde verificam as provas”, explica Khalil Tahir Sandhu. E foi isso que sucedeu precisamente neste caso.

O advogado diz sentir alívio por ter conseguido finalmente a libertação do seu cliente mas pede o apuramento de responsabilidades por todo o longo tempo em que Masih esteve detido na prisão central de Faisalabad. “É excelente que Imran tenha sido absolvido de todas as acusações, mas quem é o responsável por ele ter passado mais de 11 anos atrás das grades por um crime que nunca cometeu?”, pergunta Tahir Sandhu.

Uma responsabilidade que inclui também a morte dos pais de Masih. Segundo o causídico, eles “morreram de mágoa” por saberem que o seu filho estava na cadeia por um crime que não cometera.

Perseguição

O caso de Imran Masih é exemplo do clima persecutório em que se encontram as minorias religiosas no Paquistão. O facto de o tribunal ter demorado tantos anos a reconhecer a injustiça da prisão deste cristão de Faisalabad ajuda a compreender também, segundo este advogado, que muitos juízes temam a reacção hostil das multidões sempre que está em causa a possível libertação de alguém acusado de blasfémia e pertencente às comunidades cristã ou hindu, as duas principais minorias religiosas neste país.

A história de Imran Masih foi apresentada no passado mês de Novembro na campanha lançada a nível internacional pela Fundação AIS em favor da libertação dos cristãos presos injustamente por causa da sua fé. O caso de Asia Bibi é outro exemplo da intolerância religiosa. Condenada à morte por um crime que também não cometeu, esta mulher simples e mãe de cinco filhos passou, tal como Imran Masih, praticamente uma década da sua vida numa prisão minúscula no Paquistão à espera sempre que a levassem para se cumprir a sentença iníqua. Isso não aconteceu apenas porque o mundo se mobilizou pela sua libertação. A Fundação AIS foi das organizações que mais se bateram pela vida de Asia Bibi.

Mas, infelizmente, há muitas ‘asias bibi’ em muitos países. São mulheres e homens, por vezes ainda crianças, que veem as suas vidas amputadas por causa do fanatismo religioso. Um fanatismo que transforma seres humanos em inimigos, em coisas sem valor, em alvos a abater.

Esperança

Em Novembro deste ano, quando foi lançada esta campanha, “Libertem os Prisioneiros”, a directora da Fundação AIS em Portugal disse que “esquecer estes cristãos” seria para todos eles como “uma segunda condenação”. “Por isso – acrescentou Catarina Martins de Bettencourt –, é imperativo ajudar a libertá-los. Apoie a Fundação AIS também nesta missão.”

A libertação de Imran Masih ao fim de 11 anos de prisão por um crime de blasfémia que não foi cometido é um exemplo de esperança que alimenta o trabalho de todos os dias da Ajuda à Igreja que Sofre.


Terrorismo do Boko Haram na Nigéria

Leia também:
Bispo raptado na Nigéria: perseguição contra cristãos do país não cessa




Leia também:
Cristãos são os que sofrem mais perseguição religiosa no mundo

(Departamento de Informação da Fundação AIS)

Tags:
Perseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY
Elizabeth Zuranski
A oração escondida no fim da Ave-Maria
4
menino Lázaro curado câncer
Aleteia Brasil
Brasil: família testemunha cura de menino com câncer por interces...
5
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
6
Padre Zezinho
Reportagem local
Cura pela televisão é possível? Pe. Zezinho desmascara manipulaçõ...
7
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia