Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 23 Abril |
Bem-aventurada Maria Gabriela Saghéddu
home iconReligião
line break icon

O horóscopo, o santo e o cientista

HOROSCOPE HOROSCOPO

Who is Danny / Shutterstock.com

Vanderlei de Lima - publicado em 18/01/21

A astrologia e o horóscopo são práticas nascidas num tempo pré-científico no qual a imaginação fantasiosa e a mera crendice falavam mais alto

Há, ainda em nossos dias, quem acredite firmemente no horóscopo(do grego hora – hora e skopéo – observar). Sua base é a seguinte: se observarmos a posição de certos astros no momento em que a pessoa nasceu, é possível dizer algo sobre sua vida, comportamento etc. Este artigo demonstra que tal análise não tem fundamento sério.

Demos, logo de início, a palavra a Marcelo Gleiser, professor de Física teórica do Dartmouth College, em Hanover (EUA), que diz: “Santo Agostinho, no século 4º, condenou firmemente a astrologia, pois ela interferia no livre-arbítrio e na onipotência divina: se tudo está já escrito nas estrelas, nós não podemos optar pelo bem ou pelo mal e a fé em Deus se torna irrelevante” (Profissão: astrólogo? Folha de S. Paulo, 28/07/2002, online). 

Realmente, Santo Agostinho († 430), grande gênio da Idade antiga, ao notar o nascimento do filho de um senhor rico, que recebeu o nome Firmino, e o de uma escrava, conservado no anonimato, no mesmo dia e hora – portanto com o mesmo destino traçado pelos astros – desmentiu o horóscopo com a seguinte constatação: “Firmino nascera entre os seus, numa casa suntuosa, e seguia pelos caminhos mais resplandecentes do século. Era cumulado de riquezas e enaltecido de honras, enquanto o servo, de nenhuma maneira aliviado do jugo da sua condição, continuava servindo seus amos, conforme relatava ele próprio, que o conhecia. E assim, tendo eu ouvido e acreditado nestas coisas, atendendo a quem as narrava, toda aquela minha relutância [em abandonar a astrologia] caiu desfeita”. Agostinho deixou de ser astrólogo para, depois, se tornar católico!

Divina Providência

Prossegue o Santo: “Daí, tomando isto como um começo, e ruminando comigo mesmo estas coisas, fixei a minha reflexão naqueles que nascem gêmeos”. Ora, os astrólogos “observando os mesmos mapas [astrais], deveria dizer as mesmas coisas acerca de Esaú e Jacó; mas não sucederam as mesmas coisas a ambos. Logo, o astrólogo teria dito mentiras”. Conclui, portanto, o santo ser muito mais razoável crer na Divina Providência do que na força cega do destino. Com isso, ele repreende as pessoas que buscam os astrólogos e os próprios astrólogos que as atende: “Tu, Senhor, justíssimo moderador do universo, ages por desígnio secreto, sem o conhecerem os que consultam e os que são consultados” (Confissões, VII, VI, 8-10).

Voltando ao astrofísico Marcelo Gleiser, lemos: “O ingrediente fundamental que estava faltando nos modelos de Ptolomeu e outros era a física, que descreve as relações causais que regem os movimentos celestes. Quando Galileu, Kepler e Newton desenvolveram as bases da ciência moderna, descrevendo os movimentos celestes como sendo consequência da força da gravidade, a astrologia começou a se divorciar da astronomia: em um Universo regido por forças causais entre objetos materiais, não havia espaço para relações sobrenaturais entre corpos celestes e pessoas que violassem o conceito mais fundamental da física, a causalidade. Ou seja, é impossível, segundo tudo o que conhecemos hoje sobre o Universo e as suas propriedades físicas, obter informações sobre eventos futuros na vida de uma pessoa lendo os céus. Mais ainda, não existe nenhuma evidência quantitativa de que planetas e estrelas possam influenciar o comportamento de pessoas aqui na Terra. A astrologia não é uma ciência, é uma crença” (Folha de S. Paulo, 28/07/2002, online). Ainda: ser contra a astrologia “não significa que cientistas sejam bitolados ou fechados para novas ideias. Muito pelo contrário: nós dedicamos a vida ao desconhecido. Mas, em ciência, o processo de validação empírica é fundamental” (idem).

Como se vê, as palavra do santo e as do cientista nos levam a concluir que a astrologia e, por conseguinte, o horóscopo são práticas nascidas num tempo pré-científico no qual a imaginação fantasiosa e a mera crendice falavam mais alto do que a ciência de observação, a lógica e a reta fé.


ZODIAC

Leia também:
Como avaliar a astrologia e o horóscopo?

Tags:
Superstição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
ROBERTO CARLOS
Ricardo Sanches
A música que Roberto Carlos cantou no próprio aniversário de 80 a...
2
Imagem de Nossa Senhora na Síria
Reportagem local
Freiras na Síria redescobrem oração de 700 anos contra epidemias
3
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens poderosas
4
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma gestação rara
5
Broken Mary
Reportagem local
Nasce (e cresce) nos EUA a inspiradora devoção a “Nossa Senhora D...
6
Ordenação sacerdotal
Francisco Vêneto
Ex-testemunha de Jeová será ordenado padre católico aos 25 anos
7
MIGRANT
Jesús V. Picón
O menino perdido no deserto nos convida a refletir
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia