Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 25 Fevereiro |
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Uma peregrinação à cidade de Guadalajara, no México

Guadalajara

Cassiohabib | Shutterstock

Christin Parcerisa - publicado em 05/02/21

Todos os anos, em 12 de outubro, mais de dois milhões de peregrinos carregam a imagem da Virgem de Zapopan em uma viagem de 8km

Guadalajara é uma das cidades mais animadas do México, conhecida por sua cultura, dança, música e gastronomia. Também é conhecida por sua impressionante arquitetura, vista em suas belas igrejas e na catedral.

Os católicos representam 95% da população aqui, e Guadalajara é considerada uma das capitais católicas do México, com mais de 400 paróquias.

Catedral de Guadalajara

Localizada no centro histórico da cidade, na Avenida Fray Antonio Alcalde, a Catedral Metropolitana, chamada de Catedral Basílica da Assunção de Nossa Senhora, é considerada um ícone arquitetônico desta cidade mexicana.

Construída há 400 anos, ela ainda é o símbolo mais representativo do catolicismo em Guadalajara. A construção desta igreja começou em 1561, por ordem do Rei Felipe II de Espanha e executada pelo arquiteto Martín Castillas. Demorou 57 anos para ser concluída, embora não tenha sido consagrada como uma catedral até 12 de outubro de 1716.

Seu estilo arquitetônico é único, e o que a torna tão bonita é que seu design é bastante eclético. Única catedral do país com interior gótico, esta catedral conjuga influências góticas com pormenores mouriscos, neoclássicos e barrocos.

A quilômetros de distância, é fácil identificar a catedral por suas duas torres de 65 metros de altura que são rematadas por cruzes. Essas torres são consideradas um símbolo distintivo de Guadalajara e, portanto, tornaram-se um cartão postal para os viajantes.

No entanto, é interessante saber que essas torres não são as originais. Elas tiveram que ser reconstruídos duas vezes depois de serem danificadas por terremotos, primeiro em 1.818 e depois em 1.849. Curiosidade: a catedral tem 19 sinos, e para chegar aos sinos no topo das torres são 98 degraus.

Interior

O interior da igreja é rico em detalhes, de pequenas pinturas intrincadas a esculturas impressionantes e assentos de madeira ricamente entalhados. As paredes da igreja são salpicadas pela luz colorida dos belos vitrais franceses que são compostos por motivos católicos. O altar-mor é em mármore e prata.

No entanto, este altar não é a única peça de arte na igreja; há mais nove altares adornados com afrescos criados por artistas mexicanos. Na entrada, há um enorme órgão francês cheio de história. Este é o segundo maior órgão em todo o México e ainda está sendo usado até hoje. Este fantástico instrumento musical traz um toque único às cerimônias aqui realizadas.

Por baixo do altar-mor e do coro encontra-se um dos locais mais visitados da catedral: as criptas. Aqui estão os restos mortais de todos os bispos e cardeais que fazem parte da diocese desde o século XVI. Além disso, a igreja abriga dois tesouros. O primeiro é o Relicário dos Mártires, que exibe os restos mortais de 23 homens que morreram durante a Guerra Cristera. Esses homens foram beatificados pelo Papa João Paulo II em 1992. O segundo tesouro é uma escultura da Virgem da Rosa, um presente do imperador Carlos V.

Veja a galeria de fotos:

Uma peregrinação única repleta de música e dança

Todo ano há um evento que ninguém quer perder. A Romaria (Romería) de Nossa Senhora de Zapopan é tão impressionante que em 2018 foi até inscrita na Lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. A celebração data de 1734. Todos os anos, no dia 12 de outubro, mais de dois milhões de peregrinos carregam a imagem da Virgem de Zapopan em uma viagem de cinco quilômetros, da Catedral Metropolitana de Guadalajara à Basílica da cidade vizinha de Zapopan.

A “Romería” é o culminar de um ciclo conhecido como Carregamento da Virgem, que começa em maio. Durante estes meses, a imagem da Virgem visita várias paróquias, hospitais, mercados, fábricas, escolas e prisões e, por último, a Catedral, antes de regressar a Zapopan. A imagem da Virgem é a original, datada do século 16, e ela é considerada altamente milagrosa.

A viagem de volta é a maior festa religiosa da cidade. Começa com a música tradicional dos mariachis, que nasceu neste estado mexicano e também está na Lista Representativa do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO. As pessoas seguem a passeata com flores, “papel picado” (arte em papel) e artesanato, enquanto se envolvem em apresentações musicais e de dança. Mais de 30.000 dançarinos nativos preparam apresentações especiais, e as pessoas abrem suas portas e janelas para assistir e se juntar à celebração.




Leia também:
3 fatos cientificamente inexplicáveis sobre a imagem de Guadalupe

Tags:
HistóriaigrejasViagem
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia