Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 18 Setembro |
São José de Cupertino
home iconCultura e Viagem
line break icon

Uma peregrinação inspirada na mártir moderna Maria Goretti

Maria Goretti

Pietro|Wikimedia|CC BY-SA 4.0

Bret Thoman, OFS - publicado em 10/02/21

Faça uma peregrinação de Corinaldo a Nettuno, Itália, e aprenda sobre os extraordinários dons de misericórdia e perdão desta santa

A história de Maria Goretti – uma camponesa inocente e simples que morreu como uma mártir moderna enquanto perdoava seu agressor – cativou os corações dos fiéis de uma forma poderosa.

O começo humilde de Maria

Maria nasceu em 16 de outubro de 1890, na aldeia italiana de Corinaldo. Seus pais, Luigi e Assunta, eram simples arrendatários. Superficialmente, parecia que não havia nada de extraordinário em Maria. Como outras crianças, ela era devota e fazia suas orações diárias. Gentilmente, porém, o Espírito Santo estava trabalhando, preparando-a com graças extraordinárias para enfrentar as tragédias que ela veria em breve.

A vida na Itália era difícil para a maioria das famílias naquela época. Quando Maria tinha seis anos, a situação econômica da família não era mais sustentável. Os Goretti se tornariam uma das três famílias italianas forçadas a emigrar naquela época. O pai de Maria, Luigi, tinha conhecidos na área conhecida como Agro Romano, na região de Lazio. Se soubesse do trágico destino que o aguardava, certamente teria feito uma escolha diferente.

Veja a galeria de fotos:

A pobreza leva a família a emigrar para uma terra sem lei

Foi durante sua primeira passagem por um município chamado Palliano que a família Goretti teve contato com a família Serenelli, que também era da região. As condições cada vez mais precárias obrigaram as duas famílias a emigrar para ainda mais longe de sua terra natal – para a área notória ao sul de Roma: os Pântanos Pontinos.

Os Pântanos Pontinos eram conhecidos como terras áridas, onde a ilegalidade e o banditismo não eram controlados. Talvez pior ainda, sua elevação abaixo do nível do mar tornou-o pantanoso, fazendo dali um paraíso para a propagação da temida malária.

Dificuldades e morte

De fato, dois anos após a chegada da família, Luigi foi vítima da doença e morreu. A mãe de Maria, Assunta, foi deixada para cuidar sozinha de seus cinco filhos e assumir o trabalho do marido no campo. Maria, a mais velha das meninas, assumiu com prazer as tarefas domésticas.

Assunta nunca confiou em nenhum dos homens Serenelli – o pai era um bêbado e o filho Alessandro costumava sair à noite para farrear. Mas ela estava presa a eles. Ela precisava deles para o trabalho árduo nos campos. Após a morte de Luigi, os antigos parceiros de trabalho mudaram para pior. O pai e o filho começaram a beber mais, brigar e praguejar na frente dos outros. Pior, eles se tornaram predadores. Enquanto o pai avançava em direção a Assunta, Alessandro o fazia em direção a Maria.

Em 1902, quando Maria tinha 12 anos e Alessandro 20, isso aconteceu três vezes. Nas duas primeiras vezes, Maria resistiu ao ataque e ele foi embora. Na terceira vez, entretanto, Alessandro havia decidido o que faria se ela se opusesse novamente.

A arma era um furador, uma ferramenta agrícola longa, pontiaguda e em forma de espigão usada para fazer buracos na madeira. Ele a colocou em um baú dentro da cozinha. Enquanto todos os outros debulhavam favas, ele puxou Maria do patamar para a casa da fazenda. Quando ela começou a resistir ao seu ataque sexual, ele ficou furioso. Alessandro Serenelli esfaqueou Maria Goretti 14 vezes no abdômen e no torso. Mais tarde, ele testemunhou que fez isso, “como você faz quando bate no milho”.

Maria foi levada a cavalo e de carruagem para um hospital em Nettuno. Ela passou 20 horas em agonia. Os médicos tentaram uma cirurgia, mas não puderam fazer nada para ajudá-la. O tempo todo ela estava preocupada com o estado da alma de Alessandro e continuamente gritava: “Por quê? Alessandro? Por quê? Você irá para o Inferno!”

Um mártir e um santo

Um padre foi chamado e Maria recebeu a unção dos enfermos. Ela morreu no dia seguinte, 6 de julho de 1902, de peritonite séptica e hemorragia interna. A história desta jovem “mártir e santa” espalhou-se pela cidade de Nettuno, depois pela região.

Alessandro foi condenado a 30 anos de trabalhos forçados na prisão. Nos primeiros três anos, ele não se arrependeu. Então Maria Goretti apareceu para ele em um sonho. Ela estava pegando flores de uma cesta e jogando-as no chão. Isso iniciou uma conversão dramática em Alessandro. Depois de cumprir 27 anos, ele foi solto. Seu primeiro ato foi ir até a mãe de Maria, Assunta, e pedir que ela o perdoasse. Ela fez isso. Posteriormente, tornou-se associado leigo em um convento franciscano capuchinho, onde trabalhou como jardineiro e faz-tudo. Ele morreu lá em 1970.

Maria foi beatificada em 1947 e canonizada em 1950. Sua mãe e seus irmãos compareceram às duas cerimônias em Roma.

A vida de Santa Maria Goretti reflete o Evangelho em muitos níveis. As extraordinárias virtudes defendidas por esta jovem mártir – preocupada acima de tudo com que Alessandro não perdesse sua alma por agredir seu corpo – são poderosas em si mesmas. Talvez mais impressionante seja a corrente de perdão e misericórdia que seguiu seu exemplo.

Maria Goretti é a santa padroeira da castidade, dos adolescentes, dos jovens e das vítimas de estupro. Sua festa é celebrada em 6 de julho.


Alessandro Serenelli

Leia também:
A carta-testemunho arrepiante do assassino de Santa Maria Goretti aos 80 anos

Tags:
SantosViagem

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
7
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia