Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 09 Dezembro |
São Juan Diego Cuauhtlatoatzin
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Nunca dialoguem com o diabo, exortou o Papa Francisco

Jesus rejeita tentação do diabo no deserto

Shutterstock

Reportagem local - publicado em 22/02/21

O diabo faz três propostas e Ele não responde com suas palavras, mas com três passagens da Escritura

Nunca dialoguem com o diabo, exortou o Papa Francisco em sua alocução deste primeiro Domingo de Quaresma, logo antes da oração do Ângelus. Falando sobre o evangelho do dia, que relatou as tentações de Jesus no deserto, o Papa recordou que o deserto é um símbolo tanto do silêncio em que podemos ouvir a Deus quanto de um lugar de tentação apresentada pelo diabo. Foi nesse contexto que Francisco enfatizou: com o diabo, “não há diálogo possível”.

Simbolismo do deserto

Evocando o Evangelho de São Marcos (1,12-15), o Papa falou do caminho que Jesus percorreu quando “o Espírito o levou para o deserto”, onde Ele se retirou durante 40 dias e “foi tentado por Satanás”. Francisco disse:

“O deserto é o lugar onde Deus fala ao coração do homem e onde brota a resposta da oração, ou seja, o deserto da solidão, o coração separado de outras coisas. E, naquela solidão, ele se abre à Palavra de Deus. Mas é também o lugar da provação e da tentação, onde o tentador, aproveitando a fragilidade e as necessidades humanas, insinua a sua voz mentirosa, uma alternativa à voz de Deus, uma voz alternativa que te mostra outro caminho, um outro caminho de engano. O tentador seduz”.

Aparente derrota de Jesus

O duelo entre Jesus e o diabo no deserto simboliza todo o ministério de Cristo, que é uma luta contra o maligno e suas manifestações: doenças, possessões, pecados; contra elas, Jesus traz cura, exorcismo, perdão. Chega a parecer que o diabo tem a vantagem e que o Filho de Deus é rejeitado e condenado à morte. Mas a morte era o último “deserto” a ser atravessado para derrotar o diabo definitivamente e libertar cada um de nós do seu poder.

Francisco explica:

“Este Evangelho das tentações de Jesus no deserto nos lembra que a vida do cristão, nos passos do Senhor, é uma batalha contra o espírito do mal. Precisamos estar conscientes da presença deste inimigo astuto, interessado na nossa condenação eterna, no nosso fracasso, e nos prepararmos para nos defender dele e combatê-lo”.

Nunca dialoguem com o diabo, exortou o Papa Francisco

O Papa reforça:

“Nas tentações, Jesus nunca dialoga com o diabo. Nunca. Na sua vida, Jesus nunca fez um diálogo com o diabo. Nunca. Ou o afasta dos possuídos, ou o condena, ou mostra a sua malícia, mas nunca um diálogo. E, no deserto, parece que há um diálogo porque o diabo faz três propostas e Jesus responde. Mas Jesus não responde com as palavras dele: responde com três passagens da Escritura. E isso é para todos nós. Quando o sedutor se aproxima, ele começa a nos seduzir: ‘Pense isto, faça aquilo’… A tentação é de dialogar com ele, como fez Eva. Eva disse: ‘Mas não podemos, porque nós’… E entrou em diálogo. E se nós entrarmos em diálogo com o diabo, seremos derrotados. Coloque isso na cabeça e no coração: com o diabo nunca se dialoga, não há diálogo possível. Somente a Palavra de Deus”.


JUDEAN DESERT

Leia também:
Deserto da Judeia: fotos do lugar onde Jesus foi tentado por Satanás

Tags:
DemônioJesusPapa FranciscoQuaresma
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia