Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Julho |
Santa Marta
home iconAtualidade
line break icon

Por que você não deve dar um celular para o seu filho(a)

DZIECKO Z TELEFONEM

carballo | Shutterstock

Jim Schroeder - publicado em 24/02/21

Uma carta de um pai psicólogo para sua filha em idade escolar

Minha querida filha,

Como você está chegando ao Ensino Médio, quero primeiro dizer o quanto eu amo você e como é emocionante vê-la crescer. É difícil acreditar que em poucos anos você estará vivendo por conta própria. Só espero que o que sua mãe e eu fizemos, e faremos, prepare você para o mundo emocionante e desafiador que está por vir.

Como parte de nossas discussões em andamento, sei que uma das coisas que você continua desejando é ter seu próprio celular. Claro, com todos os seus amigos exibindo seus smartphones e tantas coisas acontecendo online, eu não te culpo nem por um segundo por querer um.

Falamos sobre todas as pesquisas relacionadas a problemas graves com os jovens e seus celulares, incluindo os riscos do sono, atenção, seu estado emocional, vida espiritual, habilidades sociais e muitos outros fatores que me preocupam muito, especialmente ao saber que os pais estão colocando dispositivos as mãos de jovens que simplesmente não estão preparados para o que pode acontecer por meio dessa tecnologia.

Mas, além de tudo isso, quero que você saiba que sua mãe e eu queremos algo ainda mais para você no que se refere a essa difícil decisão. E é isso – liberdade.

Você pode pensar: “Não me dar um celular me daria a liberdade que eu quero?” Novamente, entendemos por que você pode perguntar isso. Mas deixe-me explicar a liberdade de que estou falando.

É a liberdade de distrações desnecessárias

Claro, todos nós vamos ficar distraídos às vezes, mas o que estou descrevendo é o zumbido constante e as tentações que tantos de seus colegas estão experimentando a cada minuto do dia. Como você e eu discutimos, depois que você tem um celular, essas distrações nunca te deixam. No entanto, o que mais me preocupa é que os estudos mostram que, para muitos que vivenciam esse tipo de estímulo constante e excessivo na juventude, eles lutam para se concentrar e prestar atenção de maneiras que são mais necessárias por muitos anos até a idade adulta.

É a libertação da dependência

Falei com muitos adolescentes da sua idade e todos eles dizem a mesma coisa: eles não sabem o que fariam se não tivessem seus celulares. Mesmo em poucos anos (ou mesmo meses), eles dizem que se tornaram tão dependentes de seus telefones que não conseguem se imaginar funcionando sem eles. Seja para encontrar o caminho para um novo lugar, se comunicar com outras pessoas ou até mesmo lidar com momentos incômodos e entediantes, eles precisam de seus telefones ou se sentem perdidos.

É liberdade de ansiedade excessiva

Assim como o telefone pode criar dependência, ele também pode criar ansiedade que não é bom para você (e os outros). Percebo que parte dessa ansiedade vem com o excesso de estímulo daquilo que o telefone permite que você faça. Mas, como você e eu sabemos, seus colegas passam tanto tempo preocupados com a forma como as outras pessoas vão responder às suas postagens e bate-papos que ficam em sala de aula lendo a última postagem ou texto, ou se preocupam com o que encontrarão em seus telefones quando o sinal tocar. Isso torna muito mais difícil para eles se concentrar no que estão fazendo no momento.

É a liberdade de expectativas prejudiciais

Anos atrás, eu estava sentado em um seminário conversando com alguns alunos do Ensino Médio e fiz a eles uma pergunta que já havia feito muitas vezes. Simplificando, perguntei-lhes se alguma vez desligaram seus telefones. Esses alunos olharam para mim e disseram que “podiam”, mas nunca “fariam”. E a razão é que, se o fizessem, eles não apenas se preocupariam por terem perdido algo importante, mas que os outros se perguntariam por que eles não responderam imediatamente. Como tantos outros adolescentes, eles confessaram que, se você tem um telefone, a expectativa é que responda o mais rápido possível, caso contrário, algo está errado (com você ou com eles). Na minha opinião, isso é simplesmente pressão demais para você ter neste momento da vida.

É a liberdade de tentação e exploração

Em meu consultório, várias vezes ao longo dos anos, uma adolescente como você – de família estável, amorosa e fiel – descreveu para mim como foi pressionada ou apenas solicitada a enviar fotos nuas para um menino. Todas elas sabiam que isso era errado. Todas sabiam que, apesar de se sentirem entusiasmadas com o fato de o menino as ver atraentes, elas se arrependeriam da decisão. E elas se arrependeram, mesmo anos depois de acontecer.

Nos melhores cenários, essas fotos nunca foram compartilhadas (até onde elas sabem) com ninguém. Na pior das hipóteses, as fotos eram repassadas ​​para os amigos do menino e muitos outros, ou usadas ​​como chantagem para conseguir ainda mais nudes delas. E em todas as situações, essas meninas se preocuparam por muito tempo sobre onde as fotos (e vídeos) poderiam acabar. Sempre existiram tentações de se comprometer e ser potencialmente explorada. Mas os smartphones transformaram isso em algo que acontece instantaneamente, todos os dias.

Decisão difícil

E, finalmente, se tudo isso não for suficiente, o que mais queremos é que você tenha a liberdade de viver como Deus deseja que você viva. Entendemos que não ter um celular é difícil (e constrangedor) para você em alguns aspectos, e lamentamos que a sociedade apoie uma prática que não é a melhor para você e seus amigos.

Mas não importa o que esteja acontecendo, queremos que você tenha a liberdade de ouvir o chamado de Deus, não importa onde isso te leve a cada dia. Sei que ter um telefone não significa que você ainda não possa ouvir e seguir o chamado de Deus. Mas assim como as sementes (como na parábola) que caem em solo fértil têm mais probabilidade de crescer do que outras, acreditamos que decisões difíceis como essa darão a você a melhor chance de crescer e se tornar a mulher que você foi chamada para ser.

Compreendemos a frustração que você possa sentir em relação a essa decisão, mas saiba que estamos fazendo o que acreditamos ser o melhor. E esperamos que, à medida que você continue a crescer, você também continue a ser livre. Nós te amamos e estamos muito orgulhosos de você.

Com amor,

Pai


CENTENARY.MASS,ORIENTAL.POPE FRANCIS

Leia também:
Papa: voltem à Missa, a Eucaristia é real, não virtual


TEENAGE GIRLS

Leia também:
Quando você deve interferir nas amizades de um adolescente?


TALK

Leia também:
Crise da adolescência: um chamado para mais responsabilidades?

Tags:
EducaçãoInternettecnologia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira reza todos os dias às 3h ...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY
Elizabeth Zuranski
A oração escondida no fim da Ave-Maria
4
menino Lázaro curado câncer
Aleteia Brasil
Brasil: família testemunha cura de menino com câncer por interces...
5
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
6
Padre Zezinho
Reportagem local
Cura pela televisão é possível? Pe. Zezinho desmascara manipulaçõ...
7
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia