Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 20 Abril |
Santa Inês de Montepulciano
home iconEspiritualidade
line break icon

Jesus teve medo da morte – e isto deve nos encorajar

Jesus é confortado pelo anjo

Carl Bloch | Public Domain

Francisco Vêneto - publicado em 08/03/21

Após a morte, e graças à morte do Filho de Deus, seremos por Ele ressuscitados, graças à Ressurreição do Filho de Deus

Jesus teve medo da morte e literalmente sentiu na pele a angústia excruciante que atormenta o homem perante o momento mais misterioso da nossa passagem por este mundo finito.

Durante a Sua oração no Horto do Getsêmani, ao sopé do Monte das Oliveiras, Ele experimentou uma tristeza tão pesada e profunda que os Seus apóstolos a notavam no próprio semblante do Senhor. Ele parecia sentir “medo e angústia”, conforme os Evangelhos registraram.

Depois de já ter instituído a Sagrada Eucaristia na Última Ceia, o Mestre caminhou com Seus discípulos até o vale do riacho do Cedron. Jesus deixou oito dos apóstolos à entrada do jardim e chamou os outros três para acompanhá-lo: Pedro, Tiago e João. A essa altura, já não estava com eles o traidor.

Um horror profundo tomou conta do Filho de Deus feito homem, a ponto de fazê-lo exclamar:

“A minh’alma está triste de morte”.

Ele sabia que estavam chegando as horas cruciais da Redenção. Era a hora de entregar a vida em sacrifício por todos nós, na cruz. Da perspectiva humana, todo o horror de ser preso, torturado, espancado, condenado à morte, crucificado e morto explodia em Seu Sagrado Coração. Jesus rezava e pedia forças ao Pai, consciente das dores brutais que O aguardavam e dos suplícios que aguardavam os Seus discípulos – que sequer conseguiam ficar acordados para acompanhá-Lo em oração.

Jesus teve medo da morte

O grande medo humano da morte o toma a tal ponto que Ele implora ao Pai:

“Pai: tu podes tudo! Afasta de mim este cálice!”

Era toda a humanidade do Deus feito carne que ali se manifestava, deixando-nos claro que, mesmo sendo Deus verdadeiro, Ele morreria como homem verdadeiro, experimentando toda a dor e toda a angústia que a morte pode provocar no homem. Ele Se fez solidário para conosco na experiência dessa dor, sendo em tudo igual a nós, exceto no pecado.

Isto deve nos encorajar

E é essa mesma fraqueza de Jesus, porém, que nos traz coragem perante o sofrimento e a morte. Ele nos lembra: sim, o homem se fez mortal em decorrência do pecado, mas a mortalidade se restringe à nossa passagem por este mundo finito. Após a morte, e graças à morte do Filho de Deus, seremos por Ele ressuscitados, graças à Ressurreição do Filho de Deus.

Ainda que os tormentos terríveis de Cristo tenham decorrido muito menos do Seu sofrimento físico do que dos nossos pecados, a Sua experiência desses tormentos e a Sua vitória definitiva sobre eles é um incentivo para que os encaremos conforme o Seu exemplo: sentindo, sim, as angústias e o medo natural da dor e da morte, mas tendo também a certeza de que é somente um momento, intenso, mas breve, diante da infinitude da Vida Plena que nos aguarda após esta separação dilacerante do mundo finito.

Jesus chegou a suar sangue naquela de tristeza mortal:

“E um suor Lhe veio e caiu no chão como se fossem grossas gotas de sangue” (Lc 22,44).

Medo, mas também consolações espirituais

Ao mesmo tempo, no entanto, Ele também experimentou consolações espirituais que nós também podemos esperar para quando tivermos de enfrentar essa passagem decisiva: o Evangelho nos diz que Nosso Senhor foi consolado por um anjo enquanto orava em agonia no jardim do Getsêmani.

Segundo S. Tomás de Aquino, pode-se dizer que o anjo proporcionou reconforto moral à alma de Nosso Senhor, tão sensível às manifestações de afeição quanto aos abandonos, traições e ultrajes. O papel do anjo foi o de reanimar a Sua coragem humana. Mensageiro celeste, aquele anjo teria evocado as virtudes magníficas que germinariam do Sangue Divino e os frutos abundantes que brotariam do Seu sacrifício.

O sofrimento humano de Jesus perante a iminência da morte é tão cheio de luz e inspiração para todos nós que o primeiro mistério doloroso do rosário é justamente “A Oração de Nosso Senhor Jesus Cristo no Horto das Oliveiras” (cf. São Marcos 14, 32-42). Que, rezando o terço conscientes de que a dor redentora dará lugar à luz eterna da Ressurreição, Nossa Senhora, Mãe Dolorosa, nos encoraje.


TURIN

Leia também:
O homem do Sudário não estava morto, segundo um estudo médico

Tags:
JesusMedoMorteRessurreiçãovida eterna
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens poderosas
2
Ordenação sacerdotal
Francisco Vêneto
Ex-testemunha de Jeová será ordenado padre católico aos 25 anos
3
MIGRANT
Jesús V. Picón
O menino perdido no deserto nos convida a refletir
4
BENEDICT XVI
Francisco Vêneto
Em nova e extensa biografia, Bento XVI desmascara o atual “...
5
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
6
Reportagem local
Hoje celebramos Santa Bernadette, a menina que viu Nossa Senhora ...
7
Papa Bento XVI
Francisco Vêneto
Bento XVI faz 94 anos e é o primeiro Papa a atingir essa idade na...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia