Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 22 Abril |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Iraque: as memórias do Papa Francisco sobre Mosul e Qaraqosh

000_94J338.jpg

IRAQI PRESIDENCY / AFP

I. Media - publicado em 08/03/21

Questionado por jornalistas no voo de regresso a Roma sobre as suas impressões sobre a viagem ao Iraque, o Sumo Pontífice confidenciou os encontros e as fortes memórias que esta viagem histórica lhe deixou

O “perdão” de uma mãe de Qaraqosh e as ruínas dos edifícios religiosos de Mosul: o Papa voltou aos episódios que o marcaram particularmente durante a sua visita ao Iraque. Falando na conferência de voo de retorno em 8 de março de 2021, ele também ficou indignado com a retomada da violência por parte do Daesh.

“O que eu conheci no Iraque, em Qaraqosh?” Questionado por jornalistas no voo de regresso a Roma sobre as suas impressões sobre a viagem ao Iraque, o Sumo Pontífice confidenciou os encontros e as fortes memórias que esta viagem histórica lhe deixou.

As ruínas das igrejas

“Na verdade, nunca imaginei as ruínas de Mosul”, admitiu o chefe da Igreja Católica. Ele se lembrou da parada que fez em frente a uma igreja destruída e disse que “não tinha palavras” para descrever o que observou. Ele observou que este não foi um caso isolado e que havia vários outros em ruínas, além de uma mesquita.

“Quem vende armas para esses destruidores?” – pontífice perguntou. “Eu pelo menos pediria a quem vende as armas que fosse sincero e dissesse, ‘nós vendemos as armas’. Mas eles não dizem isso.”

“Nossa crueldade humana é inacreditável”, disse o Papa Francisco com indignação. “Não quero dizer a palavra, mas está começando de novo: vamos olhar para a África”, disse ele, destacando que até o chamado Estado Islâmico está começando a agir novamente e que “isso é uma coisa muito ruim”.

Um testemunho de perdão

Em Qaraqosh, o que mais “tocou” o bispo de Roma foi “o testemunho de uma mãe” que perdera o filho quando o Estado Islâmico entrou na cidade em 2014. Ele disse que ficou comovido: “Ela disse apenas uma palavra: ‘perdão’. Uma mãe que diz: “Eu perdôo, peço perdão por eles!”

Este encontro o lembrou das mulheres, “mães e esposas”, durante sua viagem à Colômbia em 2017. Elas lhe contaram sobre “o assassinato de seus filhos e de seus maridos” e também lamentaram.

“Esta palavra [perdão], nós a perdemos”, lamentou o Papa Francisco. “Sabemos insultar sem limites”. “Mas perdoar… perdoar nossos inimigos é o puro Evangelho. Isso é o que mais me impressionou em Qaraqosh”.




Leia também:
Papa no Iraque: caridade, amor e fraternidade são o caminho

Tags:
Iraque
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia