Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 25 Fevereiro |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Por que o ciúme não é amor?

JEALOUSY

Shutterstock | LightField Studios

Octavio Messias - publicado em 09/03/21

Cinco dicas para ajudar a identificar e a evitar acessos de ciúmes 

“Quem ama cuida”, já diz o ditado, que talvez não seja tão equivocado quanto a interpretação que fazemos dele. Nele tendemos a interpretar o verbo cuidar como vigiar, proteger, enquanto seu sentido original diz respeito ao amor em sua expressão mais genuína: pelo cuidado. Quem ama cuida, não se apropria, não tenta controlar nem dominar. E o ciúme vem de um desejo de posse, pelo qual não temos nenhum direito.

Como escreveu o criador da teoria analítica e discípulo de Freud, Carl Gustav Jung: “Onde o amor impera, não há desejo de poder; e onde o poder predomina há falta de amor. Um é a sombra do outro”. Ou seja, o ciúme leva ao controle, que por sua vez é uma forma de exercer poder, o que não combina com amor. É natural, obviamente, sentirmos ciúmes. O importante, no entanto, é saber se controlar com relação a eles, entender que é uma reação primitiva que não tem nenhuma relação com a (o) parceira (o).

Listamos, a seguir, cinco dicas para lidar com comportamentos ciumentos, seja da nossa parte ou da do outro, e sugerimos como lidar com eles. 

1- Não confunda com falta de atenção

Como uma demonstração de preocupação, geralmente carregada de afeto, os ciúmes podem ser confundidos com amor. O que no fundo não passa de um sentimento de posse, que é justamente o oposto do amor. 

2- Ciúme é irracional

O ciumento pode ser sempre uma justificativa na ponta da língua para tentar justificar o acesso de ciúme. Seja de qual parte você for, o ciúme está relacionado a uma insegurança e ela nem sempre é consciente. Por isso é importante apelar à razão em conversas francas. 

3- Não crie uma dinâmica tóxica

Um erro comum que muitos casais cometem é um membro passar a se justificar por tudo que faz e logo passa a se sentir no direito de cobrar a (o) parceira (o) por tudo. Esse tipo de manipulação, novamente, associada a tendências de controle, é o que hoje se caracteriza como um relacionamento tóxico.

4- Se abra

Se por acaso você sentiu ciúme e isso está te consumindo? Se abra. Não com exigências, não apontando o dedo para a pessoa, mas expondo como você se sente, de preferência deixando o julgamento de lado.

5- Não tenha medo de procurar ajuda

Se o ciumento é você e esse sentimento está te corroendo por dentro ou prejudicando o seu relacionamento? Fale a respeito, converse com amigos e não hesite em levar para a terapia. Se estiver sofrendo com os ciúmes do outro, procure expor o seu lado e deixar claro o seu limite. Se for vítima de violência doméstica, ligue 180.


FAMILY PARENTING

Leia também:
Meu marido é ciumento, às vezes violento. O que fazer?

Tags:
AmorCasamentoNamoro
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia