Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 05 Agosto |
Santos Vardan e companheiros
home iconAtualidade
line break icon

Fanáticos islâmicos estão decapitando crianças em Moçambique, denuncia ONG

Deslocados pelo terrorismo jihadista em Moçambique

Aid to the Church in Need

Francisco Vêneto - publicado em 23/03/21

Mãe relata: "Tentamos fugir para a floresta, mas eles pegaram o meu filho mais velho e cortaram a cabeça dele"

Fanáticos islâmicos estão decapitando crianças em Moçambique, denunciou na semana passada a ONG Save the Children em referência à aberrante situação que se arrasta na província de Cabo Delgado, região norte do país, há mais de 3 anos.

Em 2017, militantes que se autoproclamam membros do famigerado bando jihadista Estado Islâmico invadiram a província e implantaram nela mais um regime de horror semelhante ao que haviam imposto ao Iraque, à Síria e à Líbia na década passada.

A Save the Children informou que manteve contato com várias famílias obrigadas a deixar as suas terras em fuga desesperada, e que os relatos sobre os horrores ali vividos são estarrecedores.

Segundo a ONG, uma mulher cuja identidade foi preservada contou ter sido forçada a testemunhar a decapitação do próprio filho de 12 anos, enquanto ela tentava se esconder com seus outros filhos:

“Nosso vilarejo foi atacado e as casas foram queimadas naquela noite. Eu estava em casa com meus quatro filhos. Tentamos fugir para a floresta, mas eles pegaram o meu filho mais velho e cortaram a cabeça dele. Nós não podíamos fazer nada, porque eles iam matar a gente também”.

Fanáticos islâmicos estão decapitando crianças em Moçambique

Crianças ainda menores já foram covardemente mortas pelos mesmos fanáticos. Outra mãe relatou um pesadelo quase idêntico ao da primeira mulher mencionada pela denúncia da Save the Children:

“Depois que o meu filho de 11 anos foi morto, nós vimos que não era mais seguro ficar no vilarejo. Fugimos para a casa do meu pai em outro vilarejo, mas, uns dias depois, eles começaram a atacar também lá”.

O diretor da Save the Children em Moçambique, Chance Briggs, afirmou que a equipe da organização “foi às lágrimas ao ouvir as histórias de sofrimento contadas pelas mães nos campos de deslocados”.

O terror de Cabo Delgado é denunciado por um bispo brasileiro

Dom Luiz Fernando Lisboa
Leandro Martins, Aid to the Church in Need

Dom Luiz Fernando Lisboa

Desde a invasão dos jihadistas em 2017, pelo menos 2,5 mil pessoas já foram assassinadas em Cabo Delgado e mais de 700 mil tiveram de fugir de casa na tentativa de escapar da morte.

Uma das primeiras e principais vozes que se alçaram mundialmente para denunciar o surreal terror vivido no norte de Moçambique foi dom Luiz Fernando Lisboa, então bispo de Pemba. O religioso, que é carioca e foi transferido neste ano de volta ao Brasil, relatou durante uma recente audiência no Parlamento Europeu a gravíssima situação de emergência vivida em Moçambique. Na ocasião, dom Luiz Fernando a descreveu como uma tragédia humanitária.

Extrema pobreza e extrema covardia

Em novembro passado, os terroristas decapitaram num único ataque mais de 50 pessoas e esquartejaram seus corpos num campo de futebol transformado em local de execuções. Entre as vítimas havia pelo menos 15 crianças e jovens.

A província de Cabo Delgado é rica em gás natural, mas a grande maioria da população vive em extrema pobreza. Trata-se, de fato, da província mais pobre do país, que, por sua vez, é um dos dez países mais pobres do planeta. Os jihadistas exploram essa pobreza para recrutar novos adeptos, visando o controle da região.


Bispo Dom Luiz Fernando Lisboa

Leia também:
Bispo brasileiro sob ataque jihadista: a “experiência de cruz” de dom Luiz F. Lisboa

Tags:
Estado IslâmicoPerseguiçãoTerrorismo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
Gritos levam polícia à casa de dois idosos, que choravam copiosam...
2
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento a si mesmo e ao seu...
3
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
4
MAN
Reportagem local
Oração da noite para serenar o espírito e pacificar a ansiedade
5
Pe. Edward Looney
Padre revela: por que sempre levo água benta comigo ao viajar
6
sacerdotes
Reportagem local
Suicídio de sacerdotes: desabafo de padre brasileiro comove as re...
7
Princesa Diana no Accord Hospice
Reportagem local
Um padre católico acompanhou a princesa Diana na madrugada de sua...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia