Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 16 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Vaticano e Papa recordam em livro a oração que uniu o mundo na pandemia

urbi et orbi

VINCENZO PINTO | AFP

Reportagem local - publicado em 23/03/21

“A Praça de São Pedro, naquele final de tarde, estava vazia, deserta. Incrivelmente deserta. E mais silenciosa do que nunca"

A editora Dom Quixote lança nesta quarta-feira, 24 de Março, e em simultâneo com a Libreria Editrice Vaticana, o álbum “Porque Sois Tão Medrosos? Ainda não Tendes Fé”, obra que reúne as orações, mensagens e imagens do Papa Francisco em tempos de pandemia.

Livro que chega às livrarias precisamente um ano após o inesquecível momento de oração presidido pelo Papa, num Adro da Basílica de São Pedro deserto, pelas 18h, do dia 27 de Março de 2020, a que assistiram centenas de milhões de fiéis pela TV e pelas redes sociais.

“A Praça de São Pedro, naquele final de tarde, estava vazia, deserta. Incrivelmente deserta. E mais silenciosa do que nunca. No entanto, ali mesmo, o mundo inteiro reuniu-se, convocado por um homem vestido de branco que, mais uma vez, a todos sem exceção, repetiu com palavras fortes e persuasivas, com o humilde poder das imagens: ‘O homem que reza tem o leme da história tem suas mãos.’ Por esta razão, ele convocou a Igreja e, em certo sentido, o mundo inteiro, pedindo-lhes que levantassem os olhos, todos juntos, para o Senhor do tempo e da história”, escreve monsenhor Guido Marini, mestre das celebrações litúrgicas do Vaticano, no prefácio de uma obra descrita como um “álbum de recordações”.




Leia também:
A chuva, o entardecer e o vazio versus o Papa, Maria e o Cristo Milagroso

Dicastério para a Comunicação

Organizado pelo Dicastério para a Comunicação, o livro recolhe as palavras que o Papa Francisco pronunciou de 9 de Março a 14 de maio de 2020 para apoiar a Igreja nesse período de grande dificuldade: homílias quotidianas e mensagens do Angelus, mas também as palavras que foi dizendo ao longo de último ano. Numerosas fotos comovedoras e emotivas, que foram vistas no mundo inteiro, compõe também a obra onde o próprio Papa Francisco recorda a oração que uniu o mundo: “Caminhava assim, sozinho, pensando na solidão de tantas pessoas… um pensamento inclusivo, um pensamento com a cabeça e com o coração, juntos… Sentia tudo isso e caminhava… “

“Folhear estas páginas é olhar para trás, recordar. Não apenas porque precisamos de manter uma consciência histórica de eventos que nunca pensámos que vivenciaríamos, mas porque aprendemos a enfrentar e a aceitar o sofrimento nas nossas vidas. Estes acontecimentos ensinaram-nos que ninguém sofre sozinho. Ninguém sofre inutilmente. A poderosa imagem do Papa Francisco, sob a chuva, abraçando o Crucifixo de São Marcelo al Corso, lembra-nos que os que sofrem, sofrem com Cristo”, lê-se no livro no qual o Papa reflecte sobre a celebração daquela sexta-feira de Quaresma, 27 de Março: “Duas coisas me vieram à mente: a praça vazia, as pessoas unidas à distância… e, deste lado, o barco dos migrantes, aquele monumento… E estamos todos no barco, e neste barco não sabemos quantos poderão desembarcar… Todo um drama diante do barco, a peste, a solidão… em silêncio..”

“A palavra precisa sempre do silêncio. E o silêncio só é eloquente quando ecoa a palavra”, escreve Paolo Ruffini, prefeito do Dicastério para a Comunicação, do Vaticano, na apresentação do livro que pretende resgatar o “humilde poder” da oração, através das palavras, dos gestos e das imagens.




Leia também:
Papa: para sair da pandemia, é preciso cuidar uns dos outros e da natureza




Leia também:
As imagens mais impactantes de 2020

(Mais informação em Libreria Editrice Vaticana)

Tags:
LivrosPapa Francisco
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia