Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 23 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Depois de sumir no auge do sucesso, Manu Chao reaparece nas redes

MUSIC

praszkiewicz / Shutterstock.com

Octavio Messias - publicado em 01/04/21

Músico francês que passou os últimos 20 anos longe dos holofotes publica apresentações em quarentena

Sem eira nem beira. É assim que muitos podem considerar a trajetória de Manu Chao, músico francês radicado na Espanha, nos últimos 20 anos. Depois de lançar quatro discos de sucesso por grandes gravadoras entre 1998 e 2002, o músico sumiu, por assim dizer. Com status e público comparável a Dave Matthews Band ou Ben Harper, Manu deixou de dar entrevistas, parou de frequentar os grandes festivais, de lançar seus discos por grandes gravadoras e nunca mais fez turnês como normalmente fazem os artistas de sua envergadura. O que não significa que tenha ficado parado, pelo contrário. E agora o músico está de volta ao alcance do público em geral com uma série que disponibilizou em seus canais na internet, a Coronarictus Smily Killer Sessions.

Sessões caseiras

De maneira descontraída, no melhor esquema voz, banquinho e violão, Manu apresenta canções antigas, como “Otro Mundo”, e novas composições, como “Mi Libertad”, diretamente de sua modesta casa em Barcelona, com direito a cachorros latindo ao fundo. Sem um lançamento de músicas inéditas desde La Radiolina, lançado em 2007 por uma gravadora independente, Manu Chao disponibilizou no YouTube no último ano canções suficientes para lançar um disco, algumas inclusive com videoclipes de produção rudimentar.

Passado brasileiro

“Clandestino” (1998) e “Próxima Estación: Esperanza” (2001), juntos, venderam mais de quatro milhões cópias, o que deu a Manu Chao a liberdade para ele administrar sua carreira como bem entendesse, o que significa de uma maneira menos consumista, como defendem suas canções. Por exemplo, seu primeiro show no Brasil, foi no badalado festival Free Jazz, em 2000. Os demais foram no Fórum Social Mundial (2005), em Porto Alegre, na Virada Cultural (2010), em São Paulo e nos jogos universitários InterUNESP (2011), em Marília (SP), entre outros shows em locais improváveis pelo país. Foi a partir de uma estada no Brasil que o músico francês entrou em contato com os ritmos latinos e a cultura latino-americana que até hoje fazem parte do seu trabalho. 

Causas sociais

Manu abriu mão de uma carreira dentro dos padrões de profissionalismo e exposição para se apresentar em bares pequenos, tocar com músicos de rua e apoiar causas em que acredita. Defendeu trabalhadoras do Serviço de Atendimento Domiciliar de Barcelona, atuou pelo meio-ambiente na Argentina e defendeu os imigrantes mexicanos nos Estados Unidos. Prestes a completar 60 anos, Manu Chao não quer saber de viver para trabalhar, mas, sim, de trabalhar para poder viver. 


VOCES8

Leia também:
Música sacra: a melhor gravação do Hino a Santa Cecília

Tags:
Música
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia