Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 02 Março |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Favorito ao Oscar, Nomadland é um exercício de empatia

NOMADLAND, FRANCES MCDORMAND

Jaguar PS / Shutterstock.com

Octavio Messias - publicado em 21/04/21

Filme emociona ao retratar a luta de uma mulher para sobreviver após a crise de 2008

A cerimônia do Oscar 2021, que acontece neste domingo (25), tem um grande favorito, Trata-se do drama Nomadland, dirigido por Chloé Zhao e estrelado por Frances McDormand, que disputa a estatueta em seis categorias: filme, direção, atriz, roteiro adaptado, fotografia e montagem. E a julgar pelo resultado final do épico com menos de duas horas de duração, o longa é merecedor do prêmio em cada uma delas. Vencedor de melhor filme nos festivais de Veneza e de Toronto, Nomadland estreou no Brasil na última sexta-feira, em poucas salas, em função da pandemia.

História de superação 

Nomadland acompanha o dia a dia de Fern (interpretada por Frances McDormand), uma mulher na faixa dos 60 anos, recém-viúva, que é obrigada a deixar Empire, uma cidade industrial no meio do deserto, depois que a fábrica de gesso onde tabalhavam seus habitantes vai à falência depois da crise econômica de 2008. Para sobreviver, ela é obrigada a viver viajando pelo Centro-Oeste dos Estados Unidos, trabalhando em serviços temporários, enquanto mora em uma van e chega à terceira idade sem nenhuma proteção, assim como seus colegas de empresa ou de acampamento. O longa é baseado no livro-reportagem da jornalista Jessica Bruder, sobre o estilo de vida nômade que muitos norte-americanos idosos precisaram adotar após a Grande Recessão. 

Peregrinos pós-modernos

Em certo momento de Nomadland, uma personagem diz que enxerga os nômades do pós-recessão como uma versão moderna dos primeiros peregrinos ingleses do século 18 e a comparação não é um exagero. Como podemos acompanhar os percalços de Fern para sobreviver em condições por vezes indignas, como quando ela acorda enjoada em uma noite e precisa usar o vaso sanitário da mesma van onde fica sua cama. Esse tipo de situação extrema, retratada com tamanho naturalismo, desperta a mais profunda empatia por Fran, assim como pelos seus colegas idosos, uma dos quais precisa se manter trabalhando e na estrada enquanto trata um câncer no cérebro. O filme expõe as feridas da sociedade atual. 

Atuação histórica

Nomadland é uma história de superação do calibre de Náufrago (2000), com Tom Hanks, Na Natureza Selvagem (2007), com Emile Hirsch, e O Regresso (2015), todos indicados ao Oscar. E a atuação da veterana Frances McDormand, que não vivia papel tão emblemático e impactante desde Fargo (1996), não deixa a dever para nenhum deles. Suas expressões, suas falas, seus tiques nervosos, tudo traduz muita honestidade. E os momentos mais líricos do filme são aqueles em que, apesar dos pesares, Fern encontra bom humor e esperança, seja em si mesma ou na natureza selvagem que a cerca, para seguir em frente. 

Tags:
Cinema
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia