Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 29 Fevereiro |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Falece o sacerdote ordenado no hospital com autorização especial do Papa

Padre celebra Eucaristia

Shutterstock | Sidney de Almeida

Reportagem local - publicado em 23/04/21

Gravemente doente, o pe. Livinus pôde adiantar a sua ordenação sacerdotal na Quinta-Feira Santa

Falece o sacerdote ordenado no hospital com autorização especial do Papa Francisco: gravemente doente de leucemia, o pe. Livinus Esomchi Nnamani, da congregação Mater Dei, havia recebido o sacramento da ordem sacerdotal na Quinta-Feira Santa, em pleno leito hospitalar, pelas mãos de dom Daniele Libanori, bispo auxiliar de Roma.

Neste mundo, o pe. Livinus foi sacerdote durante apenas 23 dias, mas continuará sacerdote para toda a eternidade devido ao caráter indelével deste sacramento.

Um pedido extraordinário

O religioso era da Nigéria e tinha chegado à Itália em 2019. Enquanto lutava contra a doença, continuou estudando para o sacerdócio com determinação. Uma piora em seu quadro de saúde o levou a solicitar do Papa Francisco a especial autorização de adiantar a sua ordenação sacerdotal. O religioso escreveu uma carta a mão no dia 31 de março, durante a Semana Santa, provavelmente sem imaginar que o seu intenso desejo se realizaria em apenas 24 horas.

Dom Libanori relatou o fato à Rádio Vaticano – Vatican News, testemunhando a força dessa experiência de fé no dia em que Jesus Cristo estabeleceu o sacerdócio e a Eucaristia:

“Fiquei sabendo deste jovem religioso, doente e hospitalizado aqui em Roma; do desejo dele de se tornar sacerdote; soube que ele precisava de permissão especial. Então eu disse ao superior dele que ele próprio devia fazer este pedido. Uma hora mais tarde, ou pouco mais, mas ainda não tinham passado duas horas, o Santo Padre deu a sua permissão para que ele fosse ordenado. Tudo aconteceu no dia 31 de março, na manhã de Quarta-Feira Santa. Tudo em menos de duas horas”.

A permissão especial de Francisco

No dia seguinte, Quinta-Feira Santa, dom Libanori se encontrou com o Papa Francisco na Basílica de São Pedro:

“Fui até ele em sua sacristia e lá ele me deu o documento com o consentimento para a ordenação de Livinus. Na mesma tarde, no Centro de Saúde, fizemos a liturgia da ordenação. Livinus estava muito emocionado, mas também sofrendo por conta do seu estado de saúde. Celebramos a Missa com dignidade, tentando não cansá-lo muito. Ele ficou feliz com isso. Acredito que tenha sido um momento muito íntimo”.

As mãos do novo sacerdote foram ungidas com o Crisma consagrado pelo Papa poucas horas antes, na Basílica de São Pedro.

“Eu disse a Livinus que ele vive o seu sacerdócio nesta oferenda de si mesmo, na doença que lhe pesa, que talvez até o humilhe e que certamente o impede de viver o seu ministério como tantos outros. Mas a única, verdadeira, grande Missa que todo cristão celebra é aquela em que ele mesmo se oferece vivendo a vida diária e, quando Deus quiser, sua morte em união com Cristo. Portanto, o sacerdócio de Livinus não é mortificado em sua condição; pelo contrário, é exaltado, porque se torna ainda mais evidente quem é o sacerdote”.

A primeira bênção do pe. Livinus foi dada aos médicos e enfermeiros.

Falece o sacerdote ordenado no hospital

Segundo o Vatican News, na manhã desta sexta, 23 de abril, o superior geral do sacerdote na congregação Mater Dei rezou com ele, no hospital, o Terço da Misericórdia. Participou da oração também um jovem que está fazendo o seu discernimento vocacional.

Pouco depois, às 11h10, o pe. Livinus entregou o espírito nas mãos do Pai, enquanto seus irmãos religiosos o confiavam ao amparo de Nossa Senhora rezando o “Sub tuum praesidium” (“À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus”).

Tags:
CâncerMortePadresSacramentos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia