Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 14 Junho |
Santo Eliseu
home iconEstilo de vida
line break icon

As mulheres e uma doença misteriosa: a fibromialgia

ForElle App|Youtube

Silvia Lucchetti - publicado em 01/06/21

O Papa Francisco expressou sua solidariedade com aqueles que sofrem dessa doença paralisante, cujas causas ainda são desconhecidas. As mulheres são as mais afetadas

O jornal católico italiano Avvenire dedicou, no dia 20 de maio, um grande espaço ao tema da fibromialgia. Uma doença reumática misteriosa, definida pelo Papa Francisco durante o Regina Caeli no domingo, 9 de maio como “patologia que às vezes é negligenciada”.

As causas ainda são desconhecidas

O Pontífice expressou sua solidariedade com aqueles que sofrem desta doença dolorosa e paralisante, cuja causa ainda é desconhecida. Também chamada de síndrome da fibromialgia ou síndrome de Atlas, é uma doença crônica que causa dor generalizada, astenia não justificada pelo esforço físico, e rigidez muscular.

Hoje sabemos que as mulheres são as mais afetadas, uma vez que representam cerca de 90% dos doentes, com um pico entre 40 e 60 anos, por essa patologia, o que repercute em seu ambiente de trabalho e socioafetivo (Fondazioneveronesi.it).

Vítimas de fibromialgia? Mulheres

Estima-se que na Itália cerca de 4 milhões de pessoas sofram com isso: um número que coloca a fibromialgia em segundo lugar em termos de frequência entre as doenças reumáticas, imediatamente após a osteoartrite.

Acredita-se que haja uma predisposição genética caracterizada por anormalidades dos receptores neurotransmissores de serotonina e dopamina, intimamente envolvidos nos processos de processamento da dor. De acordo com essa interpretação, os pacientes teriam um limiar de dor mais baixo no âmbito do sistema nervoso central, o que explicaria a facilidade de experimentar sintomas dolorosos.

Principal sintoma da fibromialgia: dor generalizada

Também parece que alguns sintomas psiquiátricos, como ansiedade, depressão, transtorno de estresse pós-traumático e somatização podem predispor ao aparecimento da doença.

Seu início é geralmente sutil, muitas vezes depois de ter sofrido um evento traumático físico e/ou psíquico. O principal sintoma é a dor generalizada, uma vez que está localizada nos músculos, tendões, ligamentos e pele.

A dor está associada a uma variedade de manifestações clínicas: astenia, rigidez matinal, parestesia, distúrbios do sono, ansiedade, dor de cabeça, depressão, intestino irritável, fenômeno de Raynaud (distúrbios da circulação nas extremidades das mãos e pés).

A fibromialgia não se manifesta com alterações físicas. Portanto, o diagnóstico é feito clinicamente, a partir de pontos sensíveis: pontos eletivos em que a dor é estimulada, localizada nos músculos, nas inserções de tendões ou proeminências ósseas.

MULHER TRISTE,

Diagnóstico tardio

A dificuldade de diagnóstico faz com que muitas pacientes convivam muito tempo com a doença antes de encontrar o tratamento médico adequado.

Além da dor – explica Maria Antonietta D’Agostino, professora de Reumatologia da Universidade Católica de Roma – não há sinais clínicos específicos e característicos e, portanto, procedemos a um diagnóstico diferencial de exclusão.

Quando surge dor que não está associada a outras anormalidades, e não há razões clínicas objetivas, consideramos a fibromialgia, que pode ser primária ou mesmo prodrômica para outras patologias, complicando ainda mais a situação. (Avvenire)

“O impacto na qualidade de vida é terrível”

É tão difícil de diagnosticar, especialmente precocemente, quanto complexa de curar.

O circuito de dor é alterado, começando das terminações nervosas até o centro. Os pacientes sofrem muito, e uma simples pílula certamente não é suficiente para curá-los. O impacto na qualidade de vida é terrível, é impossível descansar, torna-se quase impossível continuar com atividades diárias normais, no trabalho e nos cuidados familiares.

Para nós, médicos, é importante ouvir o paciente por um longo tempo, entender seus problemas e dificuldades. Precisamos de medicamentos, é claro, mas eles não são suficientes. Quando a dor se torna crônica, também pode incidir a depressão, e seria necessário ter suporte fisioterapêutico e psicológico adequado.

Tags:
DoençaSaúdeSofrimento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BABY GIRL
Mathilde de Robien
12 nomes de meninas cujo significado é ligado a Deus
2
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
3
Reportagem local
Poderoso filme de 1 minuto sobre casamento rende prêmio a cineast...
4
POPE FRANCIS - PENTECOST MASS - SUNDAY
Comunidade Shalom
Depois da Comunhão, o que (e por quem) é mais aconselhável rezar?
5
Reportagem local
Papa Francisco explica quais são os piores inimigos da oração
6
PASSION OF THE CHRIST
Cerith Gardiner
7 provações e tribulações que Jim Caviezel enfrentou ao interpret...
7
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da noite
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia