Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 25 Junho |
São Salomão
home iconEm foco
line break icon

Com a Fratelli tutti, rumo a uma política melhor

Antoine Mekary | ALETEIA

Francisco Borba Ribeiro Neto - publicado em 06/06/21

Quando as instituições políticas são fracas, o Estado se torna ineficiente, os corruptos se dão bem, os autoritários se impõem, os fracos e os pobres sofrem ainda mais

Comentei no último artigo que o início precoce da campanha para as próximas eleições mostrou a força dos políticos personalistas e a fragilidade das nossas instituições políticas (os poderes executivo, legislativo e judiciário, bem como a máquina estatal que os aparelha). A força de líderes políticos com grande carisma pessoal e sensibilidade social não é obrigatoriamente ruim. Como o Papa Francisco observa, eles podem dar uma importante contribuição para a construção de uma sociedade melhor. Essa habilidade torna-se má quando esses líderes a utilizam para manipular e enganar o povo (cf. Fratelli tutti, FT 159).

Se a força desses políticos não é obrigatoriamente um defeito, a fragilidade das instituições sempre é problemática. Caberia a elas manter, ao longo do tempo, as boas políticas públicas e corrigir as más; garantir que os corruptos não usem o poder de forma criminosa e interesseira; manter o equilíbrio entre os diferentes atores políticos; evitar os autoritarismos. Quando as instituições políticas são fracas, o Estado se torna ineficiente, os corruptos se dão bem, os autoritários se impõem, os fracos e os pobres sofrem ainda mais. Por isso, é importante sempre procurar candidatos comprometidos com o fortalecimento das instituições.

A política melhor

O jogo no qual acontece esse fortalecimento das instituições e a construção do bem comum não é o da antipolítica, mas sim daquilo que o Papa Francisco chamou, na Fratelli tutti, de “política melhor” (FT 176-197). Existe um caminho para a construção dessa “política melhor”. Pode ser mais lento do que gostaríamos (FT 195-196), pois é feito de pequenas conquistas que vão se somando, mais do que de transformações súbitas (que frequentemente se revelam enganosas).

Esse caminho, na reflexão do Papa, se baseia numa aposta, pessoal e coletiva, na possibilidade do amor orientar a política. Nesse sentido, é uma proposta eminentemente ética. Imbuídas de uma verdadeira “caridade social e política”, nos colocando juntos, em busca do bem comum, tendo em vista sobretudo os que mais sofrem, os pobres e os últimos, ao longo do tempo faremos a diferença. No caminho proposto por Francisco, esse amor político tem duas passagens obrigatórias. A primeira é o compromisso com os últimos, com os que mais sofrem. É olhando para eles – e não para os nossos interesses e convicções – que descobrimos as formas de construir o bem comum e de realizarmos a nossa própria humanidade. A segunda passagem é a do diálogo. Acreditamos que o bem triunfa pela eliminação de nossos adversários, mas o bem só pode triunfar no diálogo e no encontro entre os bons.

Nosso problema é que as ideologias frequentemente nos cegam para o que acontece de bom e não percebemos que esse caminho já está sendo construído hoje. Primeiro julgamos a posição ideológica de uma pessoa, para depois olharmos seu compromisso ético com o bem e a verdade. Sempre é difícil encontrar quem pense exatamente como nós, então acabamos condenando também pessoas bem-intencionadas. Além disso, nos tornamos presas fáceis de manipulações por líderes que parecem pensar como nós, mas na verdade apenas se aproveitam de nosso ressentimento e de nossa frustração com os demais políticos.

Um exemplo concreto – e uma tarefa para todos nós

Um dos instrumentos mais importantes para a construção, no Brasil, dessa “política melhor” são os movimentos de renovação e as escolas de formação de novos quadros políticos. Em sua maioria, não se filiam a um partido ou a outro e atraem jovens interessados em trabalhar na política de uma forma mais ética e voltada ao bem comum.

Não são secretos ou coisa parecida, mas costumam agir com discrição, justamente porque não querem se apresentar como forças políticas específicas, mas ajudar a criar políticos mais éticos e conscientes em várias frentes. Por isso, precisamos estar atentos para conhecer seu trabalho e os novos políticos que estão formando.

Alguns destes movimentos e escolas de formação têm forte influência católica ou cristã ecumênica, outros têm origem muita diversa – e podem até parecer em oposição a certos valores cristãos. O que os coloca, apesar da pluralidade de posições, em condições de dialogar é a confiança – nem sempre explicita – no compromisso ético dos jovens que desejam fazer um trabalho político.

A quem pedir, será dado; quem buscar, encontrará; quem bater terá a porta aberta (cf. Mt 7, 7). Muitas vezes não acreditamos nessa promessa evangélica – e por isso não procuramos com o necessário empenho. Existe sempre gente bem-intencionada procurando construir uma política melhor, mas temos que nos esforçar para encontrá-los. Se existem pessoas bem-intencionadas se jogando na política, é nossa tarefa apoiá-los.

Em alguns casos, a questão é simplesmente apoiar com o voto e acompanhar seu trabalho parlamentar. Em outros, existem pontos de desencontro e desentendimento – e aí o diálogo e o testemunho ganham importância. Quando políticos bem-intencionados pensam diferente de nós, não podemos simplesmente cancelá-los. Se fizermos isso, fortaleceremos os corruptos e os desleais. Temos, nesse caso, que tornar nosso testemunho de amor e compromisso com o bem comum ainda mais explícito, consciente e sábio, para que esses bons políticos também possam ver e compreender nossas propostas. A força dos maus se baseia, em grande parte, nas divisões que erroneamente separam os bons.

Tags:
Doutrina Social da IgrejaPapa FranciscoPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BABY GIRL
Mathilde de Robien
12 nomes de meninas cujo significado é ligado a Deus
2
CARLO ACUTIS
Francisco Vêneto
Corpo incorrupto: quais foram os tratamentos aplicados ao rosto d...
3
Lucía Chamat
A curiosa foto de “Jesus” que está comovendo a Colômb...
4
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
5
Leticia e Juliano Cazarré
Reportagem local
Filha de Juliano Cazarré e Leticia é batizada na Igreja Católica
6
ST JOSEPH,THE WORKER CARPENTER, JESUS,CHILDHOOD OF CHRIST
Philip Kosloski
Esta antiga oração a São José é “conhecida por nunca ter falhado”
7
ŚMIERĆ CÓRKI
Reportagem local
A assustadora sociedade em que a última criança nasceu há 25 anos
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia