Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 24 Setembro |
home iconAtualidade
line break icon

Jihadistas sequestram crianças: eles para soldados, elas para escravas sexuais

MOZAMBIQUE; AID TO THE CHURCH IN NEED

Ajuda à Igreja que Sofre (ACN)

Francisco Vêneto - publicado em 10/06/21

Está acontecendo sob o silêncio da mídia num país de língua portuguesa na África: o martirizado Moçambique

Jihadistas sequestram crianças em Moçambique para forçá-las a lutar como soldados, no caso dos meninos, e para estuprá-las como escravas sexuais, no caso das meninas. Pouco ou nada desse brutal escândalo tem merecido as nobres atenções da assim chamada “grande mídia” internacional.

Quem está denunciando este horror é principalmente a Igreja, em especial por meio da fundação pontifícia Ajuda À Igreja que Sofre (ACN).

Entre os heróis que arriscam a vida em defesa dessas crianças está o padre Kwiriwi Fonseca, da diocese de Pemba, uma das mais afetadas pelo fanatismo jihadista na atualidade em todo o planeta.

Moçambique vive desde 2017 o pesadelo da invasão de grupos terroristas à região de Cabo Delgado, rica em recursos minerais. Desde então, os covardes assassino já mataram mais de 2.500 pessoas e deixaram 750 mil deslocados após devastarem aldeias e vilas.

Jihadistas sequestram crianças

Um dos dramas mais abomináveis na região é o do sequestro de centenas de meninos obrigados a se tornarem jihadistas e de meninas literalmente usadas como escravas sexuais ou como “esposas” forçadas.

Não há estatísticas oficiais sobre os sequestros. O pe. Fonseca, no entanto, declarou à ACN que “podemos falar em centenas, porque, se contarmos todas as aldeias em que houve raptos, podemos falar desse número”.

Os sequestros também se estendem a adultos, inclusive religiosos católicos que atuam na região como missionários. Em agosto de 2020, por exemplo, uma freira brasileira esteve entre as vítimas: a irmã Eliane da Costa, da congregação de São José de Chambéry, passou 24 dias em poder de terroristas escondidos na selva.

O pe. Fonseca também relatou o drama de Mina, moradora da região, que teve os filhos sequestrados e viu o marido e o irmão serem assassinados:

“Apareceram lá cinco homens de surpresa. Perceberam que eram do Al-Shabaab, os terroristas. E os terroristas encontraram lá o marido dessa senhora, o seu irmão, quatro filhos… Eles disseram o seguinte: nós vamos levar os três meninos, um de 14, outro de 12 e outro de 10 anos. E levaram. O marido e o irmão já tinham sido amarrados. Eles insistiram para que a mulher fosse embora, porque iam matar o marido e o irmão. Ela resistiu e não saiu do local. Foi então que ela viu o seu marido e o seu irmão serem degolados. Naquele momento, uma criança menor, de uns dois ou três anos, viu toda aquela cena”.

A religiosa portuguesa Mónica da Rocha, das Irmãs Reparadoras de Nossa Senhora de Fátima, também está em Moçambique e reforça em declarações à ACN que o país vive uma dramática emergência humanitária. Ela confirma a onda de raptos e estupros, que já ocorriam antes do conflito e agora cresceram exponencialmente.

O pe. Fonseca acrescenta às preocupações o processo de radicalização que os jovens sequestrados sofrem e que terá consequências durante gerações:

“Estamos falando de gente que saiu no ano passado, no ano anterior… É muito tempo em contato com o mal. E aí acabam assimilando o mal. E também, eu insisto nisso, na incapacidade de distinção de ‘isto é o mal, isto é o bem’ pelas próprias crianças, pode levá-las a serem mais radicais. Podem vir a ser terroristas piores”.

A presença dessas crianças nos bandos terroristas gera ainda um grave dilema:

“Vários parceiros internacionais, vários governos, vários países pretendem ajudar Moçambique a eliminar os terroristas. Que quer dizer isso? Quer dizer que muitos inocentes também irão morrer”.

Tags:
Estado IslâmicoPerseguiçãoTerrorismoViolência
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Sangue de São Januário ou San Gennaro
Reportagem local
Milagre do sangue de São Januário volta a ser registrado em Nápol...
2
Vulcão Cumbre Vieja
Violeta Tejera
Vulcão Cumbre Vieja obriga pároco a evacuar capela às pressas
3
Jim Caviezel
J-P Mauro
Jim Caviezel presta uma homenagem eletrizante a Maria
4
Maria Paola Daud
O dia em que Nossa Senhora parou a lava do vulcão Etna
5
Exorcista padre Gabriele Amorth
Gelsomino Del Guercio
Os assombrosos diálogos entre o diabo e um exorcista do Vaticano
6
RECONSTRUCTED CHRIST
Lucandrea Massaro
Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3...
7
Oração católica para pedir chuva
Reportagem local
Existe oração católica para pedir chuva? Sim, e aqui vai ela
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia