Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Fevereiro |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Por que pesquisas online por “oração” bateram recorde em 90 países durante 2020

Pesquisas online por oração

Mangostar | Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 15/06/21

Ocorre que nem sempre as pessoas encontram quem lhes dê respostas satisfatórias

As pesquisas online por “oração” bateram recorde em 90 países durante o ano de 2020: mas por quê?

Um indício de resposta pode surgir de outra pesquisa sobre manifestações de fé nesse mesmo ano marcado pela pandemia da covid-19: segundo o instituto Pew Research, 24% dos adultos norte-americanos afirmaram que a sua fé se fortaleceu durante 2020.

Cenários semelhantes foram identificados em outros países: na Grã-Bretanha, a empresa de consultoria em pesquisas Savanta ComRes constatou que 2,6 milhões de britânicos disseram ter rezado pela primeira vez na vida após a emergência do coronavírus. Além disto, 5 milhões declararam que não participavam de cerimônias religiosas antes, mas passaram a acompanhá-las via meios de comunicação, como é o caso das Missas transmitidas pela internet.

Em matéria publicada pelo site The Conversation, a teóloga e professora Danielle Tumminio Hansen, de Austin, no Texas, comentou esse panorama recordando que eventos traumáticos envolvem crises de significado, que levam as pessoas a questionarem suposições sobre a sua vida e, por conseguinte, também sobre as suas crenças. A pandemia de covid-19, analisa ela, causou muitas experiências traumáticas ligadas ao isolamento, à doença, ao medo e, é claro, à morte.

Durante a experiência desses traumas, é frequente as pessoas questionarem as suas ideias sobre quem é Deus, qual é o propósito da existência ou por que acontecem coisas ruins com pessoas boas.

Nem sempre, porém, as pessoas encontram quem lhes dê respostas satisfatórias.

Há, por exemplo, os que, mesmo bem antes da pandemia, já tinham herdado “crenças embutidas” como as de um Deus castigador, e, não compreendendo adequadamente os conceitos aparentemente contrapostos de justiça e misericórdia divina, acabam vivenciando um tipo “estressante” de fé religiosa, marcado por dúvidas, medos e angústias. Esse tipo de “estresse religioso” pode se manifestar com ainda mais força durante o longo evento traumático desta pandemia.

Danielle Tumminio Hansen também recorda que especialistas em saúde mental, como Judith Herman, propõem que a cura de um trauma requer que se dê significado ao evento traumático. No âmbito espiritual, a busca deste significado passa pelo reconhecimento de que algumas das próprias crenças estão sendo desafiadas pelo trauma e, por isso mesmo, precisam ser mais claramente compreendidas.

Nessa tentativa de melhor compreensão, proporcionada pela busca de significado, o indivíduo traumatizado pode recorrer a orações, rituais e conversas com pessoas de referência, como padres, religiosas, catequistas ou diretores espirituais, no caso dos católicos. O aprofundamento nos porquês da fé, afinal, ajuda a lançar luz sobre os porquês do sofrimento permitido por Deus.

Entretanto, visões parciais ou tendenciosas das explicações doutrinais podem enfatizar desproporcionalmente o aspecto punitivo do sofrimento, aumentando o trauma e levando o indivíduo a experimentar mais angústia ainda; ou podem gerar a rejeição da fé em Deus, caso se ache que não faz sentido acreditar num Deus supostamente bom, mas que permite o sofrimento em níveis absurdos; neste caso, pareceria mais razoável acreditar num universo aleatório e caótico, no qual não há sentido a ser buscado.

Apesar do risco da perda de fé ou da deformação da fé em decorrência da falta de respostas bem fundamentadas sobre o significado espiritual do sofrimento, Danielle Tumminio Hansen considera que os eventos traumáticos não necessariamente destroem a fé: podem, antes, fortalecê-la quando o trauma desafia as suposições das pessoas e lhes oferece provocações e recursos significativos para ajudá-las a questionar-se mais a fundo sobre a natureza e a solidez das suas próprias crenças.

A demanda humana por significado é infinita. E, aparentemente, muita gente não está conseguindo achá-lo nem no mundo físico, nem no virtual.

O fato de que as pesquisas online por “oração” tenham batido recorde em 90 países durante 2020 é um bom sinal, por um lado, já que revela um crescimento da busca por significado espiritual. Por outro lado, é um fenômeno que desperta uma relevante inquietação: que tipo de respostas será que as pessoas andaram encontrando na internet?

Tags:
FilosofiaPandemiaPsicologiaReligiãoSofrimento
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia