Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 01 Agosto |
home iconEm foco
line break icon

Perguntas e respostas sobre as mudanças em relação à Missa tridentina

LEONINE PRAYERS

Andrewgardner1 | CC BY 4.0

Pe. Patrick Briscoe - publicado em 20/07/21

Um resumo das questões e preocupações atuais

Com o motu proprioTraditionis Custodes” (“Guardiões da Tradição”), o Papa Francisco estabeleceu novas regras que norteiam a vida litúrgica da Igreja. Em essência, ele devolveu “competência exclusiva” para permitir a celebração da Missa tridentina aos bispos diocesanos.

Quatorze anos depois que o Papa Bento XVI concedeu permissão geral aos padres para oferecer a Missa e os outros sacramentos no rito tridentino (através do motu proprioSummorum Pontificum), o Papa Francisco determina aos sacerdotes que peçam permissão aos bispos locais para fazê-lo. A nova determinação do Papa Francisco, que revoga grande parte do Summorum Pontificum, entrou em vigor imediatamente.

Desde a promulgação do motu proprio, no dia 16 de julho de 2021, muitas questões surgiram entre o clero e os fiéis. O que se segue é uma tentativa de resumir e abordar as questões e preocupações atuais.

O que mudou em relação à Missa tridentina?

Após o Concílio Vaticano II (1962-1965), o Papa Paulo VI publicou uma nova edição do Missal Romano. Com seu ritual simplificado e uso de línguas vernáculas, este missal inaugurou a liturgia que a maioria dos católicos conhece hoje. A partir dessa época, no entanto, os bispos locais puderam conceder permissão para certos padres e comunidades continuarem a adotar o rito mais antigo, conhecido como Rito Tridentino, que havia sido promulgado pelo Papa São Pio V após o Concílio de Trento (1545-1563 ).

Em 2007, com o Summorum Pontificum, o Papa Bento XVI ampliou essas permissões concedendo aos próprios sacerdotes a autoridade para celebrar Missas públicas no Rito Tridentino de acordo com seu discernimento e disponibilidade. 

Agora, o Papa Francisco achou por bem reverter a autoridade de supervisionar a celebração da Missa tridentina ao bispo diocesano. O Santo Padre afirma:

“Cabe ao Bispo diocesano, como moderador, promotor e guardião de toda a vida litúrgica da Igreja particular que lhe foi confiada, regular as celebrações litúrgicas da sua diocese. Portanto, é sua competência exclusiva autorizar o uso do Missal Romano de 1962 em sua diocese, de acordo com as diretrizes da Sé Apostólica”. 

Em termos práticos, isso significa que os padres que atualmente celebram a Missa Tridentina devem solicitar ao bispo diocesano a manutenção desse tipo de celebração. Padres recém-ordenados, isto é, padres ordenados após a promulgação da Traditionis Custodes, devem igualmente solicitar a permissão do bispo diocesano, que deve consultar a Santa Sé antes de conceder ou não a permissão para a celebração da Missa tridentina.

Duas Missas ou duas formas do mesmo rito?

Na Summorum Pontificum, o Papa Bento XVI explicou que duas formas da Missa – a Missa de Paulo VI e a Missa tridentina – enriquecem mutuamente o culto da Igreja latina. O Papa Bento XVI escreveu:

“O Missal Romano promulgado pelo Papa Paulo VI é a expressão comum da lex orandi (regra de oração) da Igreja Católica de Rito Latino. O Missal Romano promulgado por São Pio V e revisado por João XXIII deve, no entanto, ser considerado uma expressão extraordinária da mesma lex orandi da Igreja e devidamente honrado por seu uso venerável e antigo.” 

Para o Papa Bento XVI, a Missa de Paulo VI continua a ser a forma ordinária (normativa, típica) da celebração da Missa, enquanto a Missa tridentina seria geralmente permitida como extraordinária (excepcional).

Mudando a abordagem do Papa Bento XVI, o Papa Francisco declara na Traditionis Custodes:

“Os livros litúrgicos promulgados por São Paulo VI e São João Paulo II, em conformidade com os decretos do Concílio Vaticano II, são a expressão única da lex orandi do Rito Romano.” 

Quais são as preocupações do Papa Francisco?

Por meio de conversas com muitos bispos do mundo todo, o Papa Francisco concluiu que a unidade da Igreja foi ameaçada, não fortalecida, nos anos subsequentes à carta apostólica Summorum Pontificum. Em uma carta que acompanha a Traditionis Custodes, o Papa Francisco explica suas preocupações:

“Uma oportunidade […] destinada a recuperar a unidade de um corpo eclesial com sensibilidades litúrgicas diversas foi explorada para alargar as lacunas, reforçar as divergências e fomentar desacordos que prejudicam a Igreja, bloqueia seu caminho e a expõe ao perigo de divisão.”

O Papa Francisco explica que a preferência pela Missa Tridentina não pode incluir a rejeição nem da Missa de Paulo VI nem do Concílio Vaticano II:

“Duvidar do Concílio é duvidar das intenções daqueles mesmos Padres que exerceram o seu poder colegial de forma solene cum Petro et sub Petro em um concílio ecumênico e, em última análise, duvidar do próprio Espírito Santo que guia a Igreja”.

O Papa Francisco pode fazer isso?

Muitas pessoas nas redes sociais perguntaram se, ao publicar o motu proprio sobre a Missa tridentina, o Papa Francisco excedeu sua autoridade. Na verdade, ele não cometeu “abuso de autoridade”. O Papa é o legislador supremo da Igreja. A este respeito, o Código de Direito Canônico afirma: “Em virtude de seu ofício, possui o poder ordinário supremo, pleno, imediato e universal na Igreja, que sempre pode exercer livremente”. 

Esse e outros cânones do Código do Direito Canônico deixam claro que as questões disciplinares da Igreja, incluindo a celebração dos sacramentos, são de competência do Papa para supervisionar e regulamentar.

Ao longo da história da Igreja, o culto cristão se desenvolveu sob a orientação cuidadosa dos Papas. O Papa Gregório Magno (540-604), por exemplo, colocou o Pai Nosso depois da Oração Eucarística, onde permanece até hoje. O Papa Urbano IV (1195-1264) estendeu a festa de Corpus Christi para ser celebrada em toda a Igreja. Em Summorum Pontificum, o Papa Bento XVI lista outros exemplos de papas adicionando mudanças cuidadosas à liturgia. Ele destaca Clemente VIII, Urbano VIII, São Pio X, Bento XV, Pio XII e João XXIII entre aqueles que “dirigiram suas energias. . . a fim de garantir que os ritos e livros litúrgicos fossem atualizados e, quando necessário, esclarecidos”.

Enfim, a Missa tridentina permaneceu o rito normativo da Igreja latina por cerca de quatrocentos anos. No entanto, a disciplina dos sacramentos – incluindo proscrições, rubricas e diretrizes – pertence à jurisdição do Sumo Pontífice.

Tags:
LiturgiaMissaPapa
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
3
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
4
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
5
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
6
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
7
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia