Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 19 Setembro |
Santos Mártires coreanos (AndréKim Taegon, Paulo Chong Hasang e 101 companheiros)
home iconReligião
line break icon

Incríveis histórias de papas e pássaros

Pope Francis

OSSERVATORE ROMANO | AFP

I.Media para Aleteia - publicado em 24/08/21

O apreço pela Criação é uma marca registrada de vários pontificados

É 13 de março de 2013. Jornalistas de todo o mundo estão com os olhos fixos na chaminé da Capela Sistina, em busca da famosa fumaça branca. Cardeais de todo o mundo estão deliberando há mais de 20 horas. De repente, por volta das 16h30, uma gaivota branca pousa na tampa do tubo de cobre vermelho. O pássaro é rapidamente substituído por outro, um pouco maior. De seu poleiro sagrado, o animal parecia olhar para a multidão.

“O Espírito Santo está chegando ao conclave”, brinca um jornalista em sua conta no Twitter. Isso é tudo de que o Vaticano precisa para fazer do pássaro o mascote desta eleição. Em minutos, uma conta no Twitter (@SistineSeagull) é criada e, em nenhum momento, cerca de 4.000 pessoas começam a seguir o perfil. A rede social “tuíta” sem parar.  

Será a presença deste pássaro poucas horas antes do anúncio da eleição do Papa Francisco, amante da Criação e autor da famosa encíclica Laudato si ‘ ,puro acaso? Alguns se divertem com a coincidência. Na noite de 13 de março de 2013, a AICA, agência de notícias católica da terra natal do papa, estabelece um vínculo muito sério entre o pássaro e Bergoglio. A ave do conclave é uma gaivota da espécie Larus argentatus , argumenta a mídia argentina, explicando que o termo argentatus se refere ao nome do país de origem do 266º papa. 

A pomba, sinal da eleição

Este episódio, que traz um sorriso, não pode deixar de nos lembrar da ligação – desta vez totalmente comprovada – que existe entre os papas e um pássaro muito mais nobre: ​​a pomba. No livro “História Eclesiática”, Eusébio de Cesareia conta que, no século III, o papa Fabiano foi escolhido por esse pássaro bíblico para liderar a Igreja. “De repente, uma pomba desceu do céu e pousou na cabeça [de Fabiano], (…) reproduzindo a descida do Espírito Santo sobre o Salvador na forma de uma pomba”, escreve o historiador.

Fabiano, um homem simples do campo, não foi o único providencialmente elevado à categoria de papa dessa forma. Em seu livro Il bestiario del papa, Agostino Paravicini Bagliani explica que, segundo várias fontes, São Zeferino pode ter sido designado por este mesmo meio. O italiano também assinala que os relatos dos conclaves mencionam a descida do pássaro do Espírito Santo por ocasião de eleições inesperadas – de homens simples ou ainda estranhos ao mundo de Roma.

Gregório I

A pomba também é o símbolo de um papa conhecido: Gregório I, “O Grande”. Na biografia do santo, o monge Paulo Diácono relata as origens dessa associação. Diz-se que um homem que estava espionando Gregório viu um desses pássaros sagrados voando sobre o ombro do 64º papa. Quando ele parava de rezar, o animal colocava o bico entre os lábios para sugerir um novo comentário. 

De papa em papa, a pomba se tornou o símbolo da Igreja e do papado. Suas múltiplas representações na Basílica de São Pedro em Roma – nada menos que 500 – atestam isso.

A águia, símbolo do poder pontifício 

No entanto, o pássaro da paz não é o único que conquistou os muros da cidade de Roma. Em um tom diferente, o historiador Gilles de Roma usou a águia para definir a função do papa. Segundo ele, este pássaro majestoso representa claramente o símbolo do poder pontifício sobre a Igreja universal. Capaz de proteger “tudo” graças às suas grandes asas, a águia está “cheia de penas, isto é, de virtudes”, e por isso é a imagem dos Soberanos Pontífices, afirma. 

Depois, mais conhecido por sua tagarelice do que por sua sabedoria, o papagaio também teve um lugar de honra junto aos papas. A história de amizade entre este animal colorido e os papas começou no século 11, quando um governante – provavelmente Estêvão I, rei da Croácia e da Dalmácia – enviou um papagaio ao Papa Leão IX. O animal foi capaz de falar não só “Eu vou ao papa”, mas também o nome do pontífice. Quando este último estava cansado e desanimado, o pássaro lhe dava “nova força interior”.

No século 13, a redescoberta da Roma antiga e seu simbolismo reforçou o interesse da Cúria por este animal imperial. No entanto, foi durante o Papado de Avignon que a presença recorrente de pássaros com os pontífices, mesmo em seus quartos, se tornou notável. Os dois últimos papas de Avignon – Urbano V e Gregório XI – voltaram a Roma com um papagaio. A partir de então, a tradição do “papagaio do papa”, animal carregado nas viagens do sucessor de Pedro, continuou até o século XV. 

A “Sala do Papagaio”

Em 1420, um documento relata pela primeira vez a existência de uma “sala de papagaios” no Palácio Apostólico, na qual o papa reunia os cardeais em consistório e se preparava antes de participar de cerimônias solenes. Espécie de fronteira entre o espaço privado e o público, esta sala também servia para receber embaixadores. 

No pontificado de Leão X, o simbolismo do papagaio no Vaticano atingiu seu auge: para homenagear o papa Médici, o pintor Rafael retratou São João Batista olhando para um pequeno papagaio sul-americano. 

Canários de Pio XII

Muito mais tarde, o Papa Francisco trouxe os pássaros de volta à cena durante uma audiência em 2014. Ao passar pela multidão na Praça de São Pedro, um papagaio pousou em seu dedo. A lendária foto deu a volta ao mundo e suscitou comentários afetuosos. Como um bom filho espiritual de São Francisco, o 266º papa disse ao dono do animal: “É um lindo presente de Deus”. Essa ternura pelo pássaro não o impedia de alertar os fiéis contra o risco de orar como papagaios, ou seja, mecanicamente.

Enfim, na história recente dos papas, o sucessor de Pedro que mais gostava de pássaros foi Pio XII. O papa da Segunda Guerra Mundial tinha uma afeição especial por um pequeno canário que gostava de pousar em seu dedo. E se os membros da Cúria Romana às vezes podiam zombar desse passarinho – um animal estranho para um papa – sua secretária, a irmã Pascalina, cuidava muito bem desse pássaro que trazia conforto a esse homem com um peso tão grande sobre os ombros.

Tags:
CriaçãoHistória da Igrejapapas

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
7
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia