Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 19 Setembro |
Santos Mártires coreanos (AndréKim Taegon, Paulo Chong Hasang e 101 companheiros)
home iconAtualidade
line break icon

Charlie Watts e seu testemunho de fidelidade

ROLLING STONES

SEBASTIAN GOLLNOW / DPA / AFP

Martín Susnik - publicado em 25/08/21

O baterista dos Rolling Stones foi leal à esposa durante as seis décadas que passaram juntos

O mundo da música, em particular o mundo do rock, ficou em choque com a notícia da morte de Charlie Watts, lendário baterista dos Rolling Stones, aos 80 anos.

Natural de Londres, cidade onde morreu no dia 24 de agosto de 2021, juntou-se ao grupo icônico (o mais antigo da história do rock) em 1963 e lá permaneceu até o último dia de ida. Além de responsável pela bateria, Watts também colaborou como designer das capas dos primeiros discos, já que era artista gráfico.

Sua maior paixão musical, entretanto, não era o rock, mas o jazz. O desejo de tocar bateria se manifestou justamente ao ouvir discos de Charlie Parker, Thelonious Monk, Johnny Dodge, Gerry Mulligan (cujo baterista Chico Hamilton foi especialmente inspirador para Watts). Além da discografia do Rolling, temos pelo menos onze álbuns de projetos alternativos no disco de Watts.

Bateria disfarçada, mas indispensável

Como baterista, embora à primeira vista pareça não se destacar especialmente, ele conquistou um merecido reconhecimento. Não só porque foi a base rítmica sólida de uma banda de rock , mas porque soube fazer um amálgama entre jazz, blues, R&B que, hoje, é bem conhecido por todos nós, mas no qual foi um pioneiro. Sua forma de interpretar não chama muito a atenção, até que se pare para analisá-la detalhadamente. E aí se descobre que, sem Charlie Watts, os RollingStones não seriam o que são.

Em 2016, ele ficou em 12º lugar na lista dos 100 maiores bateristas de todos os tempos da revista Rolling Stone, e o crítico Robert Christgau chegou a afirmar que Watts é “o melhor baterista de rock”.

Vida pessoal

No que diz respeito à vida privada, Watts, assim como no palco, destacou-se pela calma, moderação e longe da extravagância de seus colegas Mick Jagger e Keith Richards. Ele suportou sua luta contra os vícios e também contra o câncer de garganta, em 2004, longe dos holofotes e da imprensa. 

No entanto, ele não era uma pessoa covarde. Isso é demonstrado pela anedota que Richards conta em sua autobiografia. Era 1984 e, depois de uma noite fora, Jagger, em seu quarto de hotel, chamou Watts, perguntando insistentemente: “Onde está meu baterista?” Ao ouvir isso, Charlie teve tempo para se barbear, se vestir e se perfumar, desceu as escadas para o quarto de Jagger e quando ele abriu a porta deu um soco no rosto dele. “Eu não sou seu baterista. Você é meu maldito cantor”, disse.

Charlie Watts e Shirley Ann: uma história de fidelidade

Charlie Watts não foi apenas fiel aos Rolling Stones e ao jazz, mas especialmente à sua esposa Shirley Ann Shepherd. Ele a conheceu na década de 1960, antes de se tornar famoso. Casaram-se em 1964 e tiveram uma filha, Seraphine (1968).

 Shirley foi sua companheira na estrada ao longo da vida. Ambos deram um forte testemunho de saúde conjugal e apoio mútuo. Em uma entrevista de 2018, quando Watts foi questionado sobre como conseguiu manter um relacionamento sólido, estável e duradouro, já que isso não é tão comum com astros do rock, ele respondeu: “Porque eu não sou realmente um astro do rock. Eu não tenho as armadilhas de tudo isso.”

Fidelidade colocada à prova

No entanto, como se pode supor, essa fidelidade não deixou de ser posta à prova. Especialmente conhecida é a anedota de 1972. Durante uma turnê pelos Estados Unidos, os músicos foram convidados a se hospedar na Mansão Playboy, de Hugh Hefner. Mais de um sucumbiu aos encantos das “coelhas” . Porém, Watts decidiu não cair na tentação e ficou na sala de jogos do casarão, enquanto seus companheiros se divertiam na festa.

“Ela é uma mulher com muito caráter e uma ótima companheira. Toda vez que volto cansado de uma turnê e me pergunto se vou continuar tocando ou não, depois de um tempo, Shirley me pergunta: ‘Quando você vai trabalhar de novo?’ ”, disse o músico. Sua família era um verdadeiro refúgio no qual ele se protegia, evitando toda exposição desnecessária

No entanto, as coisas nem sempre foram fáceis. O próprio Watts admitiu que certa vez esteve perto de perder a esposa. Durante a década de 1980, ele caiu nas drogas e no álcool, causando distanciamento no relacionamento. “Acho que foi uma crise de meia-idade. Tudo o que sei é que me tornei uma pessoa completamente diferente em 1983 e saí disso em 1986. Quase perdi minha esposa e tudo mais por causa do meu comportamento “, confessou. 

Depois de se recuperar, ele explicou que foi o amor de Shirley Ann e o medo de perdê-la que o fizeram buscar ajuda.

Charlie Watts e Shirley moravam em Dolton, uma vila rural onde tinham uma fazenda dedicada aos cavalos árabes. Eles foram casados ​​por 57 anos e ela, claro, o acompanhou em seus últimos dias. 

Tags:
CasamentoCelebridadesMúsica

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Exorcista padre Gabriele Amorth
Gelsomino Del Guercio
Os assombrosos diálogos entre o diabo e um exorcista do Vaticano
7
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia