Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 19 Setembro |
Santos Mártires coreanos (AndréKim Taegon, Paulo Chong Hasang e 101 companheiros)
home iconAtualidade
line break icon

Brasil: Conselho Nacional dos Direitos Humanos promove forma de aborto em casa

Aborto

Mopic | Shutterstock

Reportagem local - publicado em 03/09/21

Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, porém, responde que a prática põe mulheres em risco

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) está promovendo no Brasil uma forma de aborto em casa.

No começo de agosto, o órgão divulgou a Recomendação nº 29, a fim de solicitar que o Ministério da Saúde “se abstenha de criar embaraços ao serviço de aborto legal via telessaúde oferecido pelo Núcleo de Atenção Integral a Vítimas de Agressão Sexual do Hospital de Clínicas de Uberlândia, vinculado à Universidade Federal de Uberlândia (NUAVIDAS HC/UFU), bem como a quaisquer serviços similares desenvolvidos em outras instituições de saúde”.

A recomendação também pede ao ministério que “assegure às mulheres e meninas o acesso ao aborto legal, inclusive com recurso ao atendimento por telemedicina, através do Sistema Único de Saúde – SUS”. As recomendações se estendem ao Conselho Federal de Medicina, às defensorias públicas estaduais e da União e ao Ministério Público, além de defender a assim chamada “cartilha para o aborto em casa”, publicada pelo Hospital de Clínicas de Uberlândia (MG), ligado à Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) é um órgão constituído por 22 membros, dos quais 11 são representantes do poder público e os outros 11 da sociedade civil. Sua finalidade, oficialmente, é defender os direitos humanos no Brasil mediante “ações preventivas, protetivas, reparadoras e sancionadoras das condutas e situações de ameaça ou violação desses direitos, previstos na Constituição Federal e em tratados e atos internacionais ratificados pelo Brasil”. O conselho pode “recomendar diretrizes” e “expedir recomendações a entidades públicas e privadas envolvidas com a proteção dos direitos humanos”.

Aborto em casa

A recomendação pró-aborto, no entanto, foi criticada pela Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que, nesta quarta-feira, 1º de setembro, publicou nota de repúdio à liberação do aborto por telemedicina.

Damares afirma respeitar o CNDH no exercício regular das suas atribuições legais, mas observa que a recomendação sobre o aborto por telemedicina “não corresponde aos ditames da legislação brasileira, nem à orientação do Governo Federal”.

Ela recorda ainda que “o aborto não é reconhecido como direito humano, nem nas disposições da Constituição Federal, nem tampouco na ordem internacional”; em vez disso, “é a vida que exsurge como direito fundamental, tanto no caput do artigo 5º da Constituição Federal, como no artigo 3 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, no artigo 4 da Convenção Americana dos Direitos Humanos e no artigo 6 do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos”.

A ministra acrescenta que é a recomendação do CNDH o que de fato “põe em risco a vida das mulheres, dada a incompatibilidade do uso da telemedicina na execução de aborto, consistente nas complicações inerentes ao procedimento realizado fora do ambiente hospitalar e sem acompanhamento médico presencial, conforme já alertado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Conselho Federal de Medicina (CFM)”.

Ministério da Saúde, Anvisa e CFM se manifestaram contra

De fato, o Ministério Público da União e a Defensoria Pública da União pediram em maio que o Ministério da Saúde, a Anvisa e o Conselho Federal de Medicina adotassem providências contra a já mencionada “cartilha para aborto em casa”, que dá instruções para o aborto medicamentoso realizado pela própria gestante com orientação remota de um médico. A interessada receberia o medicamento pelo correio.

O Ministério da Saúde publicou nota aos profissionais da saúde esclarecendo que o aborto não pode ser executado por telemedicina. A Anvisa e o Conselho Federal de Medicina se pronunciaram igualmente contrários à prática.

Entretanto, em agosto, uma juíza federal substituta, da Justiça Federal da 1ª Região, desconsiderou as recomendações contrárias e julgou “seguros” os abortos domésticos realizados com um determinado medicamento. Ela justificou essa modalidade de aborto “como meio de se evitar a exposição ao contágio pelo coronavírus no ambiente hospitalar em razão de internações desnecessárias, além de liberar leitos e profissionais”.

Tags:
AbortoIdeologiaMulherPolíticaSaúde

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
BEATRIZ
Reportagem local
Mistério do sumiço de uma mulher em Aparecida já dura 9 anos
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
Orfa Astorga
Os erros mais comuns das sogras
4
Berthe and Marcel
Lauriane Vofo Kana
O segredo do casal que tem a união mais longa da França
5
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa reafirma: casamento sacramental é só entre homem e mulher
6
Aleteia Brasil
O dia em que os cães farejadores detectaram Alguém vivo no Sacrár...
7
Papa Francisco pede homilias mais curtas
Francisco Vêneto
Papa Francisco pede aos padres: façam homilias mais curtas
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia