Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 17 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Michael Keaton faz filme do Netflix sobre vítimas do 11 de setembro

CINEMA, KEATON

Featureflash Photo Agency / Shutterstock.com

Octavio Messias - publicado em 21/09/21

Em Quanto Vale?, personagem interpretado pelo ator tem a ingrata missão de colocar um valor sobre a vida humana 

Quanto vale, ou melhor, como se contabiliza o valor de uma vida humana? Um católico sabe que não existe preço para a vida de ninguém, mas e quando um advogado é apontado pela prefeitura de Nova York como o mestre especial do fundo de compensação às vítimas do 11 de setembro e encarregado de chegar a um cifrão para ressarcir os familiares das 7 mil vítimas do atentado? 

Essa é a ingrata missão de Kenneth Feinberg, professor da faculdade de direito da Universidade Columbia e personagem de Michael Keaton (imortalizado no primeiro filme Batman, de 1990) em Quanto Vale?, tocante drama baseado em fatos reais que estreou no Netflix na semana anterior ao aniversário de 20 anos dos ataques às Torres Gêmeas do World Trade Center. O longa é dirigido por Sara Colangelo, com roteiro de Max Borenstein. 

Preço da vida 

Como dividir entre a família das vítimas o total do fundo indenizatório, que não pode ser baixa demais para um executivo do alto escalão nem tão alta para um faxineiro? Com base nessa lógica, Feinberg cria uma faixa de valores proporcional ao quanto as vítimas recebiam em vida, e é quase linchado no primeiro encontro com os familiares. Na ocasião ele conhece o viúvo Charles Wolf, líder da mobilização das vítimas e um de seus maiores críticos. 

Empatia

A relação que começa turbulenta torna-se a voz na consciência que o advogado precisava. A partir dos relatos emocionados do luto de Wolf – interpretado por Stanley Tucci, em brilhante atuação –, que perdeu sua esposa no 11 de setembro, Feinberg, que vive suas próprias crises interpessoais, desenvolve o dom da compaixão, e desenvolve um trabalho muito mais eficiente junto às diferentes necessidades e expectativas das famílias das vítimas.  

Indenização bilionária 

Junto com sua colega Camille Biros, Feinberg começa a flexibilizar a legislação de modo a conseguir ressarcir de maneira digna as famílias das vítimas e chegam a fazer lobby de modo a alterar leis estaduais. Como aconteceu na vida real, a dupla conseguiu administrar bilhões de dólares no repasse que indenizou 97% das vítimas elegíveis. O filme é baseado no livro autobiográfico What Is Life Worth?, de Kenneth Feinberg.  

Tags:
Cinema
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia