Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 16 Outubro |
Santa Margarida Maria Alacoque
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

3% dos consagrados franceses cometeram abusos, mas os outros 97% pagam o pato

Batina

Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 08/10/21

É inquestionável a realidade vergonhosa dos abusos sexuais; mas não se combate este mal com acusações falsas contra religiosos inocentes

Gerou devastação nesta semana o estarrecedor relatório elaborado ao longo de 32 meses de investigações pela Comissão Independente sobre os Abusos na Igreja Católica na França (CIASE). O documento registrou que, de 1950 até 2020, cerca de 330 mil menores de idade teriam sido vítimas, só na França, de padres criminosos, religiosos criminosos ou leigos católicos criminosos, em ambientes relacionados com a Igreja. Veja mais sobre o relatório na matéria sugerida ao final deste artigo.

Uma realidade criminosa

Ao se manifestar sobre o conteúdo das investigações, o Papa Francisco declarou “tristeza, pesar e vergonha” diante do sofrimento imposto por membros da Igreja Católica a centenas de milhares de vítimas de abusos sexuais. Ele afirmou que a Igreja teve uma “incapacidade excessivamente longa” de colocar as vítimas “no centro das suas preocupações” e, reiterando que “este é o momento da vergonha”, encorajou “os bispos e superiores religiosos a continuarem fazendo todos os esforços para garantir que dramas semelhantes não se repitam”.

O relatório estimou que cerca de 3% das pessoas consagradas na França estiveram envolvidas nos crimes de abusos sexuais. Portanto, 97% deles não perpetraram esses crimes.

Acontece que, muito injustamente, a totalidade do clero católico é com frequência acusada pelos crimes de alguns, mediante generalizações que desprezam os fatos, às vezes de propósito.

O trigo e o joio

O Papa Francisco fez questão de demonstrar solidariedade para com os bons religiosos, bons sacerdotes e bons leigos católicos franceses, garantindo a todos a sua “proximidade e apoio paternal diante desta provação, que é dura, mas saudável”. Ele também exortou os fiéis católicos, como comunidade unida, a se comprometerem com afinco para fazer da Igreja “uma casa segura para todos”.

É inquestionável a vergonhosa realidade dos abusos sexuais perpetrados por pessoas católicas consagradas. São bandidos e devem responder canonicamente e civilmente por cada um dos atos criminosos que, comprovadamente, tenham praticado. Ao longo dos últimos vinte anos, aumentou consideravelmente o número de padres expulsos do estado clerical pela Igreja por acusações e comprovações de crimes de abuso sexual, mas também ficou claro que muitos deles morreram impunes e, em vida, contaram com o acobertamento no mínimo culposo de superiores eclesiásticos omissos ou abertamente cúmplices.

Por outro lado, também aumentou exponencialmente a quantidade de acusações falsas contra clérigos inocentes, o que também é crime e igualmente deve ser combatido.

Houve casos particularmente graves de calúnias contra sacerdotes que redundaram em prisões injustas e até em mortes trágicas. Estes episódios reforçam que é imprescindível zelar pela objetividade e pela imparcialidade no combate aos crimes de abusos sexuais para não cometer injustiças paralelas.

Quando os outros 97% pagam o pato

Entre os casos de calúnia contra sacerdotes, com sérias consequências, está, por exemplo, o do pe. Antonio Molina, de El Salvador, que chegou a ser expulso do estado clerical após as falsas acusações de Isaí Ernesto Mendoza, que depois admitiu ter mentido.

Ou o caso do pe. Adam Stanisław Kuszaj, da Polônia, que, trabalhando pastoralmente na descristianizada República Tcheca, foi levado aos tribunais sob a acusação de assédio sexual contra uma jovem de 16 anos. O pe. Adam também foi expulso do estado clerical e da sua congregação religiosa, além de ser condenado civilmente. Ele teve a pena suspensa pela justiça, mas passou anos marcado pelo estigma de uma acusação abominável e só conseguiu se sustentar porque arrumou emprego como operário. Finalmente, após 9 anos de calvário, o padre foi inocentado porque um grupo de amigos da suposta vítima revelou que ela tinha inventado as acusações contra ele. O que veio à tona, ao final das investigações, foi que a mulher queria se vingar do padre porque ele tinha se negado a lhe dar dinheiro.

Dois pesos, duas medidas na mídia

Naturalmente, a notícia da inocência destes e de vários outros padres injustamente condenados passou quase em brancas nuvens pelas manchetes dos mesmos “grandes” veículos de comunicação que os tinham usado com espalhafato e sensacionalismo, visando moê-los de forma irresponsável em troca de audiência.

O jovem que levou 3 padres para a cadeia – mentindo contra eles

Entre os muitos relatos semelhantes, porém, é provável que o mais espantoso e indignante episódio de injustiça contra padres falsamente acusados e condenados por crimes que não cometeram seja o dos três sacerdotes e um professor da arquidiocese da Filadélfia, nos Estados Unidos, que foram presos devido às grosseiras falsidades do ex-coroinha Daniel Gallagher. O rapaz se tornara conhecido no país como “Billy Doe” e era tratado como vítima inocente de supostos padres pedófilos quando, na realidade, era ele o criminoso carrasco dos verdadeiros inocentes.

Uma das vítimas das calúnias doentias de Daniel Gallagher chegou a morrer na cadeia: o pe. Charles Engelhardt faleceu em novembro de 2014, após ter um pedido negado pela justiça para se submeter a uma cirurgia cardíaca.

A influente revista Newsweekpublicou extensa reportagem sobre a série de falsidades do ex-coroinha. Confira o relato completo deste caso criminoso no seguinte artigo:

Tags:
Abusos SexuaisJustiçamentiramidiaPadres
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
2
Milagre do Sol em Fátima
Reportagem local
13 de outubro: o dia em que o mundo presenciou o Milagre do Sol e...
3
Reportagem local
O grande crucifixo submerso que só pode ser visto quando o lago c...
4
Restauração da imagem de Aparecida por Maria Helena Chartuni
A12
Arrebentada em 200 pedaços: a impactante experiência da restaurad...
5
PRIEST-EUCHARIST-ELEVATION-HOST
Philip Kosloski
O que devemos rezar quando o padre eleva a hóstia e o cálice?
6
MULHER REZANDO
O São Paulo
Rezar deitado: é certo ou errado?
7
Claudio de Castro
Uma alma do Purgatório te agradecerá por isto
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia