Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 18 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente

VENEZUELA

@gotasevzla

Ramón Antonio Pérez - publicado em 18/10/21

O olhar terno de uma jovem mãe com paralisia, em relação ao filho recém-nascido, comove as redes sociais

O bebê Miguel de Jesús veio ao mundo no dia 12 de outubro de 2021, em Guanare, Venezuela. Ele será submetido a um teste de DNA para saber quem foi a pessoa que abusou de sua mãe, María Alejandra Yánez, 21 anos. A jovem mãe é deficiente; vive em uma cadeira de rodas e é incapaz de falar. Apesar de tudo, o sorriso na frente da criança revela seus sentimentos e coração de mãe.

De acordo com relatos da organização não governamental Gotas de Esperanza Venezuela, a família de María Alejandra é formada por camponeses da região de Guanare. Devido à dificuldade econômica, eles foram para Caracas em busca de trabalho e deixaram a garota sob os cuidados de conhecidos. “Eu estou arrasado, não sei o que fazer”, diz o pai em um vídeo de ONG, ao falar sobre o estupro de María Alejandra.

A gravidez foi adiante, e eles nunca propuseram o aborto. Nesse tempo, a ONG lhes deu o apoio necessário para a chegada do bebê.

“Olá, mundo. Bem-vindo ao mundo, Miguel de Jesús. Vamos te dar muito amor”, escreveram eles em 12 de outubro.

View this post on Instagram

A post shared by 𝐆𝐨𝐭𝐚𝐬 𝐃𝐞 𝐄𝐬𝐩𝐞𝐫𝐚𝐧𝐳𝐚 𝐕𝐞𝐧𝐞𝐳𝐮𝐞𝐥𝐚 (@gotasevzla)

A imagem comoveu todos que acompanharam o caso. A mãe, apesar da paralisia, lança um olhar carinhoso sobre o filho recém-nascido.

Em 11 de outubro, a ONG publicou: “María Alejandra foi abusada e engravidou”. “Hoje precisamos do apoio para trazer a criança ao mundo. Sua família tem poucos recursos e estamos aqui para ajudá-la no que for preciso”.

Além disso, divulgaram uma lista de necessidades. “Precisamos comprar material médico, fraldas, fórmulas (a mãe não vai poder amamentar). Também temos que comprar cama e colchão para María Alejandra, que dorme em condições precárias”.

Assim começou a campanha para trazer Miguel de Jesús ao mundo. A iniciativa foi uma resposta de amor ao ato indigno e criminoso que um estranho cometeu contra a jovem que não pode se defender por si mesma.

“Tem um culpado e sabemos que a justiça será feita (…) Agora temos que nos preocupar com mãe e filho e ajudá-los a seguir em frente”, escreveram os membros da ONG Gotas de Esperanza.

“Nós apenas pedimos a você que ajude esta criança a vir saudável ao mundo. Eles moram a duas horas e meia de Guanare, estaremos cuidando do traslado e hospedagem em Guanare no dia da cesárea”, disseram antes de entrar no hospital.

A ONG Gotas de Esperanza foi fundada em 2017 e atua na região de Guanare, na Venezuela, com as crianças e mulheres mais carentes da sociedade.

Tags:
Abusos SexuaisGravidezViolência
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia