Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 17 Abril |
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Turismo de Jerusalém enfrenta graves dificuldades

Jerusalem

hikrcn | Shutterstock

J-P Mauro - publicado em 25/10/21

Apesar das restrições por causa da pandemia, visitar os locais religiosos vazios oferece uma experiência estética e espiritual única

Jerusalém está reiniciando lentamente sua indústria do turismo, mas o processo sofreu contratempos devido à contínua crise da COVID-19. Em 19 de setembro, Israel reabriu aos turistas, mas o número de visitantes foi escasso em comparação com as multidões anuais hospedadas antes da pandemia. A situação se tornou terrível para os milhares de israelenses que dependem do turismo.

De acordo com informações da Agência Fides, o processo de reabertura começou em maio de 2021, com um amplo esforço de vacinação. Nos três meses seguintes, houve apenas 2.000 peregrinos.

No final de agosto, o país foi fechado novamente devido a um influxo da variante Delta. Isso mais uma vez paralisou o setor turístico. As restrições duraram o mês inteiro.

Reabertura

Não foi até meados de setembro que as autoridades tentaram reabrir novamente, mas tem demorado para melhorar.

Uma razão para a recuperação lenta são as restrições impostas a todos os visitantes. De acordo com o Patriarcado Latino de Jerusalém, há um conjunto de regras específicas. O que inclui apenas viajar de avião, chegar em grupos de 5 a 30 no mesmo voo e submeter-se ao teste de COVID-19 na chegada.

Aqueles que desejam visitar Israel vindo de um país da “Lista Vermelha” do Ministério da Saúde caem em restrições ainda mais rigorosas. Cada viajante deve fornecer prova de vacinação, preencher uma documentação e apresentar teste PCR negativo feitos às vésperas. Além disso, eles devem se submeter a outro teste PCR na chegada ao aeroporto Ben Gurion.

Quarentena

Uma vez que os obstáculos sejam ultrapassados, os visitantes ainda devem ficar em quarentena por pelo menos um dia, período que pode se tornar mais longo se um dos membros do grupo testar positivo. Mesmo que todos estejam liberados, as viagens no país são limitadas.

Os turistas também estão proibidos de usar táxis ou transporte público. Em vez disso, eles devem ficar com seus grupos em seus ônibus turísticos designados sob a responsabilidade de seu operador turístico.

O Patriarcado Latino observa que apenas operadores turísticos registrados no Ministério do Turismo estão atualmente em operação e estes só podem operar em Jerusalém Oriental. Os territórios palestinos, incluindo Belém, ainda estão restritos.

Embora essas restrições possam ser difíceis para os viajantes, pode ser um bom momento para visitar Israel. Os preços estão atrativos e as condições climáticas atuais são consideradas ideais.

E como há tão poucos turistas no país, os locais estão vazios e oferecem uma experiência estética e espiritual única, especialmente em lugares religiosos.

Tags:
CulturaHistória da IgrejaViagem
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia